O Livro de Kraus - Capitulo I

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Seg 27 Out 2014, 19:03


Livro de Klaus - Capitulo I


Olá, meu nome é Klaus Keine, vivi em uma época não muito boa, depois da grande guerra, 22 anos depois dela eu nasci, no tempo da ditadura em Shinki, o ultimo pedaço de terra habitado por seres humanos e Pokémons, minha vida estar contada nesse livro, quem se atrever a ler, vai conhecer o mundo como eu vi...



Procurando Os Armagedons



Ano 50 D.A, dia 29 de outubro, estou em minha casa, situada na cidade de Pugil City, um lugarzinho que aluguei a algum tempo, já é noite, tenho que sair para comer, como não sei cozinha, tenho que ir em um restaurante barato para não ir a falência, mas isso não importa mais, ja estou acabado, minha única esperança é conseguir entrar em uma organização criminosa, chamada os Armagedons. Saio de casa, caminho de vagar pelas ruas da bela cidade, procuro um lugar para comer, mas dessa vez não vou nos restaurantes pé de chinelo, onde só vai pessoa da baixa, vou em um lugar popular, onde pessoa da media e da alta vai, um lugar onde possa se encontrar gente de todo tipo, o restaurante Kiga, eu ja passei por aquele lugar ali, quando cheguei de viagem, uma coisa chamou minha atenção quando fui lá, um pokémon deitado do lado do trailer, aquele pokémon é um inicial do grupo criminoso Armageidon, o grupo que estou tentando entrar, isso pode ser coincidência, mas eu vou pagar para ver.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qua 29 Out 2014, 21:31

Off: irei assumir sua rota.
Off²: as frases do teu post estão muito longas, tornando o texto cansativo. Aconselho a reler em voz alta, verificando as pausas (curtas = vírgulas, longas = ponto final). Também aconselho a narrar primeiro no word, afim de verificar possíveis palavras com erros ("de vagar", suponho que em realidade seja "devagar")


Pugil City sempre foi descrita como uma das cidades mais belas de toda Shinki. As ruas eram bem cuidadas, apesar de cortadas pelos rios. Seus diversos pontos turísticos sempre chamaram a atenção, atraindo diversos visitantes, embora ainda seja considerada calma e relaxante. As árvores se erguiam, as folhas agitadas pelo vento, embelezando ainda mais a cidade.

Klaus Kleine, no entanto, não estava lá tirando férias. Após muito tempo vivendo à custa de seu irmão, passou a conhecer o lado mais inóspito que existe em toda a cidade. A parte pobre mostrava que não existia apenas calmaria. A lua se erguia lentamente, indicando o começo da noite, enquanto o rapaz de cabelos castanhos amarelados cruzava uma ponte. Era maré alta, então os rios forçavam as pessoas a irem por caminhos mais longos.

Os passos do homem seguiam, quase em completo silêncio, se não fosse os felinos revirando latas de lixo e perseguindo alguns Rattatas, embora isso não chamasse a atenção, ou das pessoas que caminhavam e conversavam, aproveitando a brisa noturna. Os pensamentos de Klaus iam para longe, pensando na organização criminosa conhecida como Armagedon. Também pensava na falta de dinheiro, na sua falência, forçado a ir comer no lugar mais barato que encontrasse.

O Restaurante Kiga, embora o nome não fosse muito atrativo, se encontrava relativamente movimentado. O cozinheiro, ranzinza, fazia o possível para atender aos pedidos. Alguns clientes estavam de cara fechada, provavelmente não gostando do tratamento recebido, mas aguardavam os pratos. Um Poochyena observava as pessoas, sentado e comportado, não mirando ninguém em especifico.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Sex 31 Out 2014, 03:21

A cidade de Pugil City, a cidade mais bonita que eu vi, a minha cidade natal nunca foi um lugar bom, mas em Pugil eu me sinto muito bem, mesmo com tantas coisas acontecendo, minha falência, minha independência forçada, mas acho que isso é até bom, assim aprendo a me virar sozinho nesse mundo. A maré alta de Pugil, essa enorme quantidade de água, fez com que o caminho até o restaurante quase que dobra.
"Tenho que ir pelas pontes para chegar lá"
A ponte longa que liga um ponto ao outro, me deu uma enorme quantidade de tempo para arquitetar um plano, um plano quase que perfeito, mas como todo plano, esse também tem grande possibilidade de falhar, mas vou seguir em frente com ele, mesmo que me custe caro depois. Quando chego do outro lado, pego minha caneta azul, então pego uma nota de dinheiro, escrevo uma coisa na parte de cima, não muito grande, mas se visto de perto dá para ler.

Homem Organizado - Organizado Homem
RoEdor CaLado Uivou TArde, Mas sÃO CAlados BErros LOngos.

Coloca a caneta de volta no bolso, guardo a nota no meu outro bolso, e continuo. Chego no local, o restaurante Kiga, como eu desconfiava, gente de todo tipo, mas a maioria mão humorada, procuro um lugar para me sentar, procuro algum cadete, fingindo procurar um lugar para eu sentar.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Dom 02 Nov 2014, 19:16

Off: Dica: quando for falar com os recrutadores, tome cuidado com as ações e falas. Os recrutadores não sabem se teu personagem ta trabalhando para os cadetes ou para a gangue rival, então não tem motivos para confiar no teu personagem. Tem que primeiro conquistar a confiança do NPC.


O homem caminhava, tomando o caminho mais longo para chegar ao seu destino, quando começa a arquitetar um plano, acreditando ser muito bom, mas como sempre, até mesmo o plano mais elaborado nos mínimos detalhes podia dar totalmente errado. Era sempre um risco, mas Klaus pretendia seguir com ele.

Assim que terminou de atravessar uma ponte, Klaus pegava uma caneta e começava a fazer uma anotação em uma das notas de dinheiro. Pequena demais para ser notada com facilidade, mas visível se alguém prestasse atenção.

O pequeno restaurante já possuía algum movimento, como era o esperado. Algumas pessoas sorriam e se divertiam, comentando de alguns passeios e lugares visitados, enquanto outras aguardavam a comida de cara mais fechada. Pessoas de todos os tipos, embora todas tivessem a renda no máximo mediana. Gladiadores, Stylists, Cadetes e civis se reuniam.

Kleine logo ocupava uma das poucas mesas que ainda não estavam ocupadas, aguardando o cozinheiro se aproximar para fazer um pedido, o que não levou muitos minutos.

- Mais um? Fala ai o que vai querer. Peça algo fácil e cuidado com o que pedir.

O cozinheiro, de idade semelhante ao do homem, não tinha nada de simpático. Entregava o cardápio e aguardava, demonstrando também não ter muita paciência.

Cardápio escreveu:
Combo Apocalipse: 150Pk$
Combo Armagedon: 150Pk$
A fúria cadete: 150Pk$

Alaminuta: 30Pk$
Sopa de legumes: 30Pk$
Caldo de batata: 20Pk$
...

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Seg 03 Nov 2014, 13:04

Eu procuro uma mesa, encontro uma mesa perto do Pokémon, esse me pareceu muito preguiçoso, não é o tipo de Pokémon que eu quero, fico sentado esperando, alguns minutos se passam, um rapaz mau humorado, acho que pelo motivo de ele trabalhar muito, o rapaz me entrega o cardápio, vejo os preços, os três primeiros, não tinha como eu comprar aquilo, vejo mais embaixo, os três últimos, todos os três são baratos.
- Boa Noite, por favor, poderia me dizer um pouco mais desse Combo Armageidon ?
Evito olhar para ele por muito tempo, em rápidos momentos, vejo a movimentação no restaurante, procuro algum cadete por ali.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qui 06 Nov 2014, 22:18

Off: Sei que posso estar sendo chata, mas além de eu ser chata de nascença sou uma narradora meio mala mesmo. Quanto melhor for tua narração, maiores serão as chances do teu personagem se sair bem. A narração boa vai garantir que estratégias funcionem melhor, que as missões sejam melhor sucedidas e consiga evitar que o personagem seja preso. Narração ruim, ou excesso de erros, irão resultar em diversas consequências, tais como: missões falhando, estratégias dando errado, prisões, ou até mesmo personagem ser baleado. No Spoiler tem algumas dicas. Se tiver alguma duvida pode perguntar em off, ou pode consultar o tópico Dúvidas Frequentes de Português

Spoiler:

Dica¹: novamente, cuidado com a pontuação. Frases tão longas tornam-se muito cansativas e corre o risco do texto ficar confuso. Também tenha cuidado com a escrita, "Armagedon" não tem a letra I. Aconselho a revisar melhor as frases e evitar repetições desnecessárias.
Pegando o primeiro paragrafo do teu post como exemplo:

Original: Eu procuro uma mesa, encontro uma mesa perto do Pokémon, esse me pareceu muito preguiçoso, não é o tipo de Pokémon que eu quero, fico sentado esperando, alguns minutos se passam, um rapaz mau humorado, acho que pelo motivo de ele trabalhar muito, o rapaz me entrega o cardápio, vejo os preços, os três primeiros, não tinha como eu comprar aquilo, vejo mais embaixo, os três últimos, todos os três são baratos.

Alterado: Procuro uma mesa, encontrando uma próxima do Pokémon, que por sinal, me parecia muito preguiçoso. Não é o tipo de Pokémon que eu quero. Fico sentado esperando por alguns minutos, até que um rapaz mal humorado se aproximava e me entrega o cardápio. Acredito que esse mau humor dele seja por causa do trabalho excessivo... Analiso os preços, os três primeiros sendo caros demais, e com o dinheiro que tenho, não há como comprar aquilo. Os outros itens, no entanto, são mais baratos.

Dica²: Se tiver dificuldades, acompanhe rotas de outros players. Sakura Mille/Ayzen, Moon_fire/Bianca.red, Athena, Alice (mais indicada, já que ela narra também em primeira pessoa), ou minhas duas doubles (Fleur tem posts menores, então é menos cansativa e bem mais fraca. Kate também narra em primeira pessoa, além de ser Armagedon), Brian$ (pessoalmente, eu não acompanho muito as rotas dele, mas ouvi dizer que narra bem), Chris Storm (outro Armagedon, mas que pessoalmente, me agrada narrar e me fez dar boas risadas na rota).

Off2: Desculpe a demora para postar. Tem a chance de ser um pouco frequente a minha demora, mas é por causa das aulas da faculdade + projetos para o Shinki


O homem ocupava uma mesa mais próxima ao Pokémon Dark. O cão não pareceu se importar muito quando foi observado, bocejando um pouco e se espreguiçando, antes de voltar a mirar ao seu redor com pouco interesse. Parecia preguiçoso, ou talvez estivesse entediado, quem sabe ele estivesse mal acostumado a ficar acordado durante a noite. Não teria como saber.

Poucos minutos se passavam e Klaus logo recebia a atenção do cozinheiro, que também era garçom, além de dono do pequeno estabelecimento. O cozinheiro se mostrava tão rabugento, que Kleine atribuía o humor ao trabalho excessivo. Deixando os pensamentos de lado, os olhos esverdeados se focaram no cardápio, analisando os preços. Os primeiros itens caros demais, não sendo uma opção, enquanto os outros eram mais acessíveis.

Enquanto analisava os preços, o homem observava o movimento do local. Muitas pessoas diferentes estavam ali, todas sendo analisadas. Alguns cadetes se reuniam em uma das mesas, sendo visível um lindo Persian deitado ao lado de um dos integrantes das forças policiais. Um Riolu estava junto do felino, comendo o que parecia um biscoito. Três Meowths brincavam ao redor, um deles escalando o grande Persian. Três oficiais conversavam animadamente, enquanto o outro parecia mais interessado em conseguir o número de uma mulher que estava por ali, acompanhada por um Servine. A jovem em questão parecia mais interessada em brincar com o Mienfoo, que fazia gracinhas para ela, do que em conversar com o cadete. O lutador se saía melhor do que seu mestre quando o assunto era obter a atenção de uma mulher.

Em outra mesa era visível duas garotas jogando baralho. Uma tendo pousado no encosto de sua cadeira um Starly e a tatuagem de Stylist no ombro visível, a outra com uma pequena Smoochum no colo, indicando muito provavelmente ser uma Gladiadora, vencedora da arena de Twister. A Pokémon gelo, no entanto, espirrava e espalhava as cartas, para tristeza das garotas, que não conseguiam ficar irritadas com a Pokémon após o olhar choroso da mesma.

Na mesa próxima à de Klaus, era possível ver um jovem conversando ao telefone, possuindo um Absol sentado ao seu lado e uma bíblia apoiada na mesa. Com o homem, uma mulher de olhar entediado, que se ocupava em acariciar um pequeno Oshawoot. Quando o homem desligava o celular e bebia um gole da água, a mulher se aproximava e sussurrava algo no ouvido do mesmo, o que o fez engasgar com a água e ficar com o rosto vermelho. A mulher, no entanto, dava uma pequena risadinha.

Neste meio tempo, mais pessoas chegavam, parecendo o retrato distorcido de uma família feliz. A mulher acompanhada por uma Arbok e parecendo estar suja de sangue, comentando sobre sacrifícios para Giratina não serem ilegais e disso não fazer mal ao bebê. O homem desaprovando o comportamento e apontando para a barriga saliente da esposa, claramente a contrariando.

-O combo Armagedon é filé de alomomola ao molho de canela, manga e pimenta. Sobremesa um manjar de coco, mais suco de sabor a escolha. Vai querer?

O cozinheiro respondia, pronto para anotar o pedido, mas já olhando para o casal que ocupava outra mesa, o que aumentava sua pressa. Poochyena se aproximava, farejando um pouco Klaus, antes de se afastar e caminhar um pouco entre as mesas, analisando as pessoas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Ter 11 Nov 2014, 17:37


Depois de olhar ao meu redor, noto que, todos os tipos de pessoas vem aqui, desde simples moradores e turistas, a cadetes e gladiadores, mas isso não me preocupa, pelo contrario, me alivia, com todas essas pessoas aqui, os cadetes não vão desconfiar de mim. O rapaz mau humorado, me explica sobre o combo Armagedon, algo que parece ser ótimo, mas com um escorpião no bolso nem tanto, decido mesmo com pouco dinheiro comprar o prato, com uma voz calma e lenta digo.
- Sim, vou querer o combo Armagedon senhor.
Depois de responder, espero ele sair, depois começo a olhar Poochyena, ele se levanta e vem até mim, no primeiro momento, me assusto com a reação, mas quando ele chega perto, passo a mão na sua cabeça, meus olhos encontram o dele, dou um enorme sorriso. O Pokémon Dark, continua caminhando por debaixo das mesas, não sei o que procura, mas por enquanto não ligo. Mudo meu alvo, agora fico de olho nos cadetes, meros homens, mas se acham bem mais, espero que nem todos seja assim, mas nesse mundo sempre tem exceções, isso me faz acreditar no futuro, um melhor para todos, cheio de alegria, felicidade, e principalmente liberdade.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Sab 15 Nov 2014, 16:03

O rapaz sentia algum alivio ao ver diversas pessoas no local. Todas diferentes, o que fazia o homem parecer praticamente invisível. Não havia motivos para que os cadetes desconfiassem dele, o que acalmava o coração. Deixando tais pensamentos de lado, Klaus ouvia o cozinheiro explicava sobre o prato. Por um lado, o prato parecia atrativo, por outro lado, seria um tiro no bolso.

Embora o pouco dinheiro, o futuro gangster ainda assim pedia pelo combo. O outro anotava o pedido, começando a se afastar. Um dos cadetes erguia o braço, chamando pelo garçom e se pronunciando de forma alta o suficiente para que o homem o ouvisse.

-Hey, Geavanne! Vê aí dois combos Armagedons, um com pouca pimenta, e um combo Apocalipse!

O oficial dizia, sendo visível o cozinheiro anotando os novos pedidos também. Aparentemente, aqueles pratos eram relativamente populares no local. Geavanne voltava para a cozinha, começando a elaborar os pedidos solicitados. Enquanto isso, o canino se aproximava e Klaus passava a mão na cabeça do Pokémon. Poochyena se afastava e, com uma das patas, arrumava o pelo recém-bagunçado, se afastando logo depois.

Com o canino fora do alcance de seus olhos, Klaus mirou os oficiais. Os três homens riam e conversavam, enquanto o outro continuava flertando com uma garota, mas o Mienfoo continuava levando a melhor. O Persian se espreguiçava, sentando-se e derrubando um dos Meowths que o escalava, antes de colocar uma das patas no colo de seu oficial, recebendo uma caricia como resposta. Um gesto carinhoso vindo de um oficial, talvez fosse mais ameno que os outros, ou este lado era apenas para o Pokémon. Era difícil saber.

O homem começava a refletir sobre o futuro, esperando que este fosse livre e feliz. Poochyena entrou em seu campo de visão novamente, sendo possível ver o Pokémon saindo do local e indo para a rua, antes de sumir de vista novamente.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Dom 16 Nov 2014, 04:03

" Hahaha, pelo menos sei que, esse combo Armagedon é bom, pois até cadetes o pedem, mesmo com o bolso formigando, eu o comprarei, ele deve ser muito gostoso... e mesmo, depois que vira Armagedom, farei logo uma boa missão, uma que tenha uma boa recompensa."
Depois de pensar um pouco, no que farei quando virar Armagedon, abaixo minha cabeça, e fico esperando pelo prato.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qui 20 Nov 2014, 20:25

Off: sugiro prestar mais atenção nos detalhes dos posts do narrador... No meu último post, teu personagem podia ter feito uma coisinha que daria uma brecha para teu personagem conseguir se juntar aos Armagedons... '-'


O homem pensava no prato que em breve deveria chegar, imaginando o gosto deste. O prato era popular até mesmo entre os cadetes, então devia ser realmente bom. O dinheiro era escasso, no entanto, assim que entrasse na gangue, poderia realizar missões e ganhar dinheiro com isso, então talvez não fosse tão ruim gastar um pouco mais daquela vez...

Após pensar e refletir, Klaus abaixava a cabeça e aguardava. O Pokémon Dark se retirava do local, saindo do restaurante, mas sendo aparentemente ignorado pelo loiro. Pouco depois, o celular do cadete que possuía um Persian tocava e o homem atendia. O olhar se tornando sério e o felino emitindo um baixo rosnado. Os outros paravam de rir, olhando o mais experiente.

-Era o Kibato. Temos Armagedons fazendo bagunça na cidade, vamos atrás deles.
-Geavanne, temos que ir!

Os oficiais se erguiam e partiam, embora as reclamações do cozinheiro sobre o tempo e ingredientes desperdiçados. Alguma coisa parecia estar acontecendo na cidade, algo que os outros civis não sabiam ao certo, mas pelas poucas palavras, sabiam que havia algo relacionado com a gangue Armagedon.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Sab 22 Nov 2014, 18:01

Klaus levanta sua cabeça, não acreditando no que ouviu, o rapaz olha para os cadetes, em um rápido momento, Klaus pensa no que fazer.
" Droga, tenho que agir rápido, não posso perde essa oportunidade, mas tenho que ter muito cuidado, vou seguir esses cadetes, mas tenho que ter muitíssimo cuidado e ser muito silencioso, se não eu vou ser um aspirante morto."
Depois de pensar o que fazer, Klaus vai até Geavanne, chegando lá ele diz.
- Vou ter que me ausentar por alguns minutos, mas volto daqui a pouco. - Klaus olha para o lugar onde Poochyena estava antes. - Vejo que seu Poochyena também teve que se ausentar...
Klaus nem espera a resposta, logo sai dali, tentando se lembra para que direção Poochyena foi, se ele lembra, o rapaz vai na direção que ele foi, mas se infelizmente ele não lembrar, Klaus vai tentar seguir sorrateiramente os cadetes, não ficando muito perto deles, mas em uma distancia que Klaus pudesse ver onde eles estão indo.


Off: Nem percebi isso, caramba, perdi uma chance dessas, uma coisa que acontece só uma vez na vida. Crying or Very sad

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Dom 23 Nov 2014, 17:39

As palavras proferidas pelo cadete chamava a atenção do homem, que olhava para os oficiais enquanto sua mente trabalhava o mais rápido possível. Era difícil de acreditar no que havia escutado, mas devia agir rapidamente se não quisesse perder esta chance. No entanto, além de rapidez, devia ter cautela. Se fosse visto pelos cadetes, se fosse descoberto que desejava ajudar a gangue, não seria poupado.

Klaus se aproximava do cozinheiro, avisando que se ausentaria, mas prometendo voltar. O homem apenas resmungou, mas logo mirou o rapaz quando este comentou sobre o Pokémon cão. O olhar antes mal humorado, agora era atento e analítico, enquanto observava o outro sair do restaurante.

Kleine, novamente nas ruas, olhava ao redor e tentava recordar a direção que o Pokémon canino havia ido. O som de tiros preenchia o ar, junto com apitos, não parecendo estar muito distante. Os cadetes que antes estavam conversando e rindo, agora corriam ao lado de seus Pokémon em direção a batalha. No entanto, Poochyena havia ido pelo lado oposto ao que eles estavam indo.

Klaus tentaria seguir os cadetes, seguindo os sons de uma batalha aparentemente violenta, ou tentaria encontrar o Pokémon e seguiria o caminho que viu o canino indo?


Off: ainda tem chances de recuperar \o\

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Sab 06 Dez 2014, 00:52

Klaus Kleine tem que decidi bem rápido, a batalha a frente, não deixa Klaus animado, sem um Pokémon, com toda certeza ele seria preso ou até morreria, essa opção não é viável, com isso, só sobra uma única opção, ir atrás de Poochyena.
"Não tenho muito o que fazer, essa batalha não é minha, se eu interferir nela, serei preso ou morto, e mesmo, essa batalha com certeza é só para atrasar os cadetes, serve de isca ou algo do tipo, aquele Poochyena deve ter indo para missão principal, com os cadetes aqui, se eles atacarem do outro lado, os cadetes vão demora para chegar lá, isso da tempo para fugir, então é isso mesmo, essa missão é uma secundária, a verdadeira missão quem tem é Poochyena, por isso vou atrás dele."
Depois de decidi o que fazer, Kleine olha pela ultima vez rumo a batalha, lamenta não pode participa dela, então ele caminha na direção em que Poochyena foi, antes de sumir, Klaus olha para Geavanne e sorri.


Off: Desculpa a demora, trabalho e prova, mais aniversário é muita coisa, a, mesmo passado algum tempinho, ainda aceito um feliz aniversário, e se quiser pode da presente kkkkk

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Seg 08 Dez 2014, 14:20

Off: feliz aniversário atrasado XD e nem esquenta, final de ano é assim msm ^^ presente vai ser o surgimento de um NPC legal mais pra frente na rota, pode sê? XD


A decisão deveria ser tomada com velocidade, cada segundo era precioso demais para ser desperdiçado. A batalha era arriscada demais, principalmente com a falta de Pokémon, mas mesmo com algum Pokémon, seria necessário ter algum nível para sobreviver aquela intriga. Arriscado demais, o que tornava uma das opções inviáveis para quem pretendia viver um pouco mais.

Klaus refletia, chegando a conclusão que aquela deveria ser uma missão de distração. Parecia algo comum da gangue, realizar falsos ataques e atrair a atenção, enquanto a missão verdadeira ocorria em algum ponto mais distante.

A decisão era tomada e o rapaz seguia na direção que o canino havia ido. Os passos eram apressados, tentando encontrá-lo. A noite dificultava um pouco sua busca, mas logo os orbes esverdeados encontravam o Pokémon Dark. Poochyena corria entre as sombras, parecendo carregar uma sacola consigo. As orelhas atentas, farejando o chão constantemente e olhando ao redor, como se tentasse ver se era seguido ou não, mas os passos rápidos também diziam que ele possuía pressa, como se tivesse uma missão importante para cumprir.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Dom 14 Dez 2014, 00:26

Continuo a seguir pelo caminho que o Pokémon Dark foi, depois de um tempo procurando, vejo um vulto, quando por fim noto que é Poochyena, mas ele não parece o mesmo de antes, a minha primeira impressão dele foi dele ser muito preguiço, um Pokémon que não é de fazer esforço, agora, ele parece um soldado cumprindo ordens.
" Droga, isso pode ser perigoso, se eu falar algo errado, com toda certeza ele vai me ataca, então tenho que ter muito cuidado."
Percebendo que não tenho muito tempo, me movo devagar, silenciosamente vou seguindo Poochyena, mas não deixo ele me ver, mas se ele me ver, ja tenho um plano, vou coloca a mão direita para frente, fazendo sinal para ele espera um pouco e não atacar, então falo baixinho.
- Espera, espera um pouco... Desculpe estar lhe seguindo... Não sou cadete, so para saber... Só quero ajudá-lo, será que poderia deixar eu ter essa honra ?



Off: Espero não ter feito besteira nesse post

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qua 17 Dez 2014, 17:41

Off: no stress, ta tudo ok \o Confiança do Poochyena vai depender do teu próximo post ;D


Klaus continuava seguindo o caminho, finalmente reencontrando o Pokémon negro. Poochyena parecia totalmente diferente de antes, se antes demonstrava ser preguiçoso e desinteressado, agora parecia um soldado competente cumprindo ordens. Se esforçava para cumprir sua missão, enquanto que provavelmente outros colegas se esforçavam para atrair a atenção, afastando os cadetes de Poochyena.

Cuidado era pouco, uma palavra ou gesto resultaria num ataque, disso não havia duvidas. Kleine se movia da forma mais silenciosa que podia, tentando não ser visto enquanto seguia o canino. No começo funcionava, provavelmente devido a pressa do Pokémon, mas logo o vento mudou de direção e Poochyena sentiu o cheiro do homem que o seguia, se virando logo em seguida e rosnando para ele.

Klaus se pronunciava, pedindo para não ser atacado e oferecendo ajuda. O Pokémon continuava rosnando, tentando manter a sacola fora de vista, parecendo não querer aceitar a ajuda de um estranho. No entanto, logo ele pareceu farejar algo e mirou em outra direção. Seguindo o olhar de Poochyena, o aspirante a Armagedon mirou um Meowth se aproximando pela rua. O felino rosnava baixinho, estando acompanhado por um Shinx. A dupla parecia tentar encurralar o Pokémon negro, que sentia ainda mais a urgência de sair dali e de proteger o item que carregava. O cadete proprietário daquela dupla não deveria estar longe. Próximo dali, um beco com vários sacos e latas de lixo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Dom 21 Dez 2014, 03:20

Tento ao máximo seguir o Pokémon sem ser visto, meus passos silenciosos e a pressa de Poochyena ajuda por um tempo, mas tudo tem seu tempo, "O que tem um dia acaba, então eu tenho pena de vocês", eu tenho pena de mim mesmo nesse instante, meus olhos não me ajuda, meus ouvidos me amedronta, minha respiração ofegante, mostra que estou muito nervoso, mas explico minhas intenções, que claro, nem são ouvidas.
" Eu já era, tenho que fazer algo rápido, se não vou virar comida."
Mal acabo de pensar isso, e ouço outro grunhido, não de Poochyena como penso no início, mas sim de um outro Pokémon, ai sim me desespero de vez, aquele Pokemon gato, Meowth, Pokémon cadete ou de cadete, tanto faz, meu cabelo fica em pé só de pensar em ver um cadete por essas bandas. Um bêco, quase sem saída, muito lico e latas, o barulho pode chamar a atenção de cadetes, por isso tenho que fazer o mínimo de barulho possível, mas é muito difícil, logo que minha vontade é de pegar uma lata de lixo e jogar na direção de Meowth, mas ai que tudo piora de vez, mas um grunhido avisa um Pokémon, dessa vez um Shinx também aparece, com isso percebo que realmente tem um cadete por perto, se eu tentar lutar, a luta vai ser desigual, dois contra um, ou dois contra um-um, já que Poochyena ainda não confia nenhum pouco em mim. Olho para o Pokémon Dark, a pressa dele de fugir dali e concluir a missão, estar estampado em seus olhos esse desejo, mas talvez sei verdadeiro desejo seja acaba com isso para depois descansar, e novamente ficar naquele modo vegetativo de antes, então já com voz trêmula eu digo a ele.
- Poochyena, agora não temos tempo para estabelecer laços de confiança... Você tem que concluir uma missão... Se você ser pego... O que espero que não ocorra, a missão será colocada como falha... Então não podemos deixar isso ocorrer... Certo ?! Vamos, temos que fugir bem rápido daqui... Não se preocupe comigo, se algo tentar lhe impedir de continuar... Me sacrificarei por você... Me sacrificarei por um bem maior !
Após dizer isso, me viro para o lado contrário do bêco, olho para Poochyena, e se ele concordar, eu começo a correr em direção ao fim do bêco, seguirei ele, correndo bem rápido para fugir dos dois Pokémons logo atrás.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Alice em Qui 25 Dez 2014, 12:28

Repentinamente você escuta um estranho som que lhe obriga a olhar para cima por alguns segundos, em busca da fonte, sem no entanto encontrar nada. Em seguida você olha para o chão confuso e se depara com um pequeno embrulho aos seus pés.

O Livro de Kraus - Capitulo I Presente
Confuso e receoso você recolhe o estranho embrulho e lê o bilhete, deparando-se com algo ainda mais estranho.
Feliz Natal! Ho ho ho!

Cada vez mais confuso e desconfiado, você abre o estranho e se depara com uma TM Poison Jab... É... parece que Papai Noel existe mesmo...

O Livro de Kraus - Capitulo I 5 Poison Jab

Ho ho ho! Feliz Natal!

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Sex 26 Dez 2014, 16:55

Klaus estava nervoso, temendo o que aconteceria. Era descoberto pelo canino e não tinha qualquer prova de que não trabalhava para os cadetes, o que piorava em muito a situação. No entanto, para sua sorte ou azar, a chegada de mais dois monstrinhos de bolso era notada.A próxima ação devia ser feita com pressa, mas também havia necessidade de cautela. O homem teria que decidir o que fazer o mais rápido possível.

Kleine se pronunciava e ganhava a atenção de Poochyena, tentando obter sua confiança e auxiliar em sua missão. O Pokémon Dark acenava de forma positiva e ambos fugiam pelo beco. O local estreito e cheio de lixo tinha um cheiro horrível, se despistassem Meowth e Shinx, provavelmente não seriam seguidos. Pensando nisso, o canino derrubava rapidamente uma das várias latas de lixo, atrasando os dois felinos que eram surpreendidos.

O homem continuava correndo, acompanhando Poochyena e ouvindo apitos. Quando saíram do beco, se depararam brevemente com um cadete, mas não durou muito tempo. Um Zoroark saltava sobre o homem e o atacava. Poochyena latiu, num agradecimento ao Pokémon Ilusão, antes de farejar e voltar a correr.

O som de passos em conjunto de mais apitos era ouvido, forçando a dupla a entrar em outro beco, infelizmente a grade impedia a passagem do Pokémon Dark, embora pudesse ser escalada por Klaus. Com alguma dificuldade, talvez o homem pudesse escalar com o Pokémon, que agora o encarava.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Sab 27 Dez 2014, 19:56

O Poochyena concorda, isso me deixa bem feliz, então empreendemos fugar pelo beco sujo, eu com vontade de derrubar algumas latas para atrasar os dois Pokémons, mas sabendo que cadetes vão ouvir, não faço, e quando percebo, o Pokémon Dark começa a derrubar e fazer um barulhão, isso me deixa com raiva.
" Caramba, ja não derrubei para não fazer barulho, e esse Poochyena estraga tudo, mas pelo menos ele atrasou um pouco eles."
Ao ouvir apitos, meu coração quase sai pela boca, eu imaginando sendo preso e minha vontade de fugir, meus pés quase nem tocam o chão, nunca pensei em correr tão rápido, até que, uma coisa acontece, dou de cara com uma grade, que impedi o nosso avanço, eu até que consigo subir, mas Poochyena não, então me abaixo e digo.
- Suba nas minhas costas, morda a minha camisa e fique segurando, para não cair, mas cuidado para não me morde, se não só vai atrasar a gente.
Então quando o Pokémon Dark sobe, começo a tentar pular a grade, meus dedos doem, ja que nunca pulei uma grade antes, então começo a lembrar por que estou fazendo isso, e com essas lembranças, eu me revigoro e continuo subindo, quando acabo de pular a grade, continuo correndo, depois me abaixo para Poocheyena desce e digo.
- Vamos, continue a correr, não sei o local para ir, só você sabe, mas se alguém entrar na sua frente, eu impedirei eles para você fugir.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Seg 29 Dez 2014, 20:32

Embora a vontade de jogar latas de lixo para atrapalhar os perseguidores, o homem temia fazer barulho demais e atrair cadetes. No entanto, o canino parecia ter apenas a preocupação de se livrar logo de seus perseguidores, não se interessando tanto pelas consequências do barulho, ou por saber de algo a mais.

O som dos apitos despertavam a necessidade de fugir de Klaus, que descobria como é possível ficar rápido quando o desespero e medo se juntam. Infelizmente, agora havia uma grade para atrapalhar o caminho. O aspirante a gangster se abaixava e dizia para Poochyena subir em suas costas. O Pokémon acomodava a sacola em seu pescoço, mordendo a camisa do rapaz, se segurando enquanto Kleine escalava.

A atividade não era familiar para o homem, que demonstrava ser mais difícil com o peso do cão, no entanto seus motivos davam mais forças e o obstáculo era ultrapassado. Continuavam correndo, Poochyena farejando e seguindo na frente, Klaus logo atrás. Antes de saírem do beco, o Pokémon Dark parava e se escondia, sendo imitado pelo rapaz que logo entendia o motivo, vendo cadetes correndo e passando e, felizmente, não notando a dupla que seguia caminho após alguns minutos.

Após mais algum tempo de corrida, que o som de batalhas e apitos ficaram distantes, Kleine já sentia-se ofegante. Manter o ritmo se mostrava um desafio, mas o Pokémon continuava seguindo caminho e não parecia disposto a parar, até que entrou em uma rua e parou. Quando o homem o alcançou, viu que estava diante dele um oficial cadete.

-Quem é você?

O oficial questionava Kleine, carregando um olhar sério e desconfiado.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Qua 31 Dez 2014, 03:23

Meus pés doem, nunca tive que correr tanto assim, mas a vontade de seguir em frente, me motiva a continuar, e eu continuo, até que, Poochyena fareja algo, o pokémon Dark rapidamente se esconde, não demoro a entender o que estar acontecendo, procuro logo um lugar para me esconder, meu coração bate forte quando vejo os cadetes, mas para meu alívio, todos passam direto, Poochyena sai do esconderijo, e continua a seguir em frente, saio do meu esconderijo também e o sigo. Meu cansaço é enorme, ofegante eu continuo, mas diferente de mim, o pokémon parece não estar cansado, e sim muito motivado a continuar.
" Espero que o local de entrega, esteja próximo, ja estou no meu limite, tenho que descansar um pouco."
Após um rápido pensamento, só vejo Poochyena parar, e uma voz forte me pergunta quem eu sou, tento esconder meu cansaço, respiro fundo e respondo confiante.
- Boa noite senhor, meu nome é Kluas Kleine, eu é o pokémon do meu tio, estávamos comprando um remédio para minha tia, ela, estar com muita dor, sabe ela tem que tomar remédio controlado, se passar da hora, ela fica desse jeito, bem mal, meu tio mandou eu ir correndo e voltar correndo, e se o senhor permitir, eu e Pook vamos continuar o caminho.
O nervosismo é enorme, a vontade de correr é grande, o medo de ser preso maior, mas tento me segurar, e espero que o cadete acredite na minha história.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qui 01 Jan 2015, 21:26

Off: ta ai o q prometi \o/


O coração do homem batia fortemente, o sangue correndo velozmente por suas veias. Os músculos das pernas de Klaus protestavam, desejando que ele parasse e fizesse uma pausa, mas mesmo assim se forçava a continuar o Pokémon Dark nessa missão.

A "pausa" ocorria com o surgimento de um cadete. Qualquer passo em falso e poderia terminar em prisão, algo que não era desejado. Kleine tentava soar confiante, respondendo a pergunta do oficial. O nervosismo presente e tentando ser ocultado. O desejo de correr para não ser preso invadindo a mente do homem, mas este se mantinha firme.

-Não tem medo de ser preso por tentar esconder um Pokémon Armagedon?

A pergunta veio como uma bomba aos ouvidos de Klaus. Levava alguns instantes para acreditar, tentando encontrar uma forma de enganar o oficial, mas logo era surpreendido novamente. Poochyena corria na direção do cadete e saltava, num primeiro instante o aspirante acreditava ser um ataque, mas quando o oficial o pegou no ar e abraçou, Kleine não sabia mais o que pensar.

-Você realmente é o melhor farejador, não é?

A voz do oficial soava brincalhona, enquanto a sua aparência se alterava. Um Ditto, de cor diferente, desfazia sua transformação e revelava o verdadeiro rosto da pessoa que ele escondia. A adolescente, considerada perigosa e altamente procurada, conhecida como a Flor do Deserto estava diante dele. Os cabelos rosados presos numa trança firme, enquanto os olhos azuis miravam com grande carinho o Pokémon em seus braços, antes de colocá-lo no chão e pegar a sacola que estava no pescoço do mesmo. Um sorriso satisfeito após verificar o conteúdo.

-Obrigada por ajudar Poochyena a trazer isso pra mim... Seria bom que ninguém soubesse que estive aqui, certo?

Após realizar o pedido com um sorriso alegre, a Armagedon de alto rank pegava novamente seu Ditto, que novamente utilizava Transform e alterava sua forma, cobrindo a garota e dando outra aparência. Se não tivesse visto, Klaus não suspeitaria que, no momento, a mulher morena e vestes dignas de uma Stylist era uma procurada e que sua cabeça valia uma generosa quantia de dinheiro. Até mesmo a tatuagem de Stylist no braço era perfeita em todos os detalhes, revelando que o Ditto foi muito bem treinado, conseguindo esconder a gangster com perfeição. Poochyena sorria orgulhoso, claramente satisfeito de ter ainda guardado o cheiro da garota, sendo capaz de farejá-la e ter certeza de que era ela, sem se levar pela aparência.

Amu começava a caminhar na direção da Estação de Trem. O andar calmo e suave, como se não fosse quem realmente é. Poochyena se espreguiçava e caminhava em direção oposta, voltando para o restaurante Kiga e apresentando calma, como se mudasse repentinamente de personalidade e voltasse a ser o cão preguiçoso que pertencia ao cozinheiro. Seguir a adolescente poderia ser arriscado, visto que não sabia se ela estaria indo para outra missão ou não.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Naruub em Ter 06 Jan 2015, 01:46


Estou imóvel, meu corpo já não mas responde a meus comandos, minha tentativa de enganar o cadete não funcionou, agora tenho que ser rápido, e fazer um movimento que ajude Poochyena a fugir.
" Fui descoberto, e agora o que eu farei ? Já sei, vou atacar esse cara, depois vou mandar Poochyena correr, com o ataque, ele vai ter que me prender e vai esquecer dele, é isso, vou ser preso, mas isso é para um bem maior... É agora ou nunca !"
Ja estou pronto para atacar, é quando algo bem estranho acontece, o pokémon pula para cima do homem, e ele abre os braços, recebendo ele, isso me faz ficar bem confuso e com raiva.
" O que !!? Ele é um traidor !!? Me trouxe para uma emboscada, esse, esse pokémon, eu vou acabar com ele e... Hã, o que é isso ?
O homem começa a mudar de forma, sem saber o que fazer eu continuo no meu lugar, esperando para saber a verdadeira identidade do homem, quando o Dito de cor diferente desfaz sua transformação, e revela o rosto da jovem garota, vejo que minha sorte é tamanha, pois quem estar diante de mim é a grandiosa Amu da organização Armagedon, ja tinha visto várias vezes o cartaz de procurado dela, fico de boca aberta com isso, nunca pensei em ver a jovem flor do deserto em minha frente, os cabelos rosados e seus lindos olhos azuis, fico tão impressionado que não digo nada, só observo os movimentos da garota, carinhosamente ela agradece a mim e a Poochyena.
- De nada, e não se preocupe, guardarei esse segredo por toda vida.
Novamente o pokémon Dito usa Transform e muda a aparecia dela, transformado-a em uma Stylist perfeita, a riqueza de detalhes é enorme e até a tatuagem no braço é completamente perfeita, esse pokémon Dito é muito forte e bem treinado, pois para ter uma transformação tão perfeita assim, necessita de um longo tempo de treinamento duro.
" Incrível, nem em mil anos eu pensaria em encontrar ela, ainda mais sem ser um dos Armagedons, Arceus eu te agradeço muito por isso."
O pokémon Dark fica todo orgulhoso em saber o cheiro da grandiosa jovem, eu por outro lado só fico com um grande sorriso no rosto, lisonjeado em ter conhecido ela e ver ela parti novamente, eu olho ela ir embora tranquilamente como se nada tivesse acontecido, ela vai na direção da estação de trem, não a sigo, pois sei que nada vai me beneficiar com isso, ao contrário, me viro para voltar para o restaurante Kiga, o cão muda rapidamente de personalidade, agora ele voltou a ser o mesmo pokémon de sempre com uma enorme preguiça, já bem cansado eu caminho devagar, mas com muito cuidado, pois ainda tem perigo de cadetes aparecem.

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Érica em Qua 07 Jan 2015, 14:17

Off: formatação ficou melhor assim \o/


O corpo de Klaus parecia parar de responder momentaneamente, enquanto o coração acelerava e parecia um tambor nos ouvidos do homem. A ação do Pokémon perante ao cadete, a confusão e a fúria ao pensar que fosse uma traição, quando finalmente Amu se mostrava e elogiava o canino. O choque era tamanho, que o mais velho conseguia apenas observar, os olhos esverdeados admirados.

Perante a resposta de Kleine, a rosada sorria e desaparecia entre as ruas desertas. Klaus agradecia ao sagrado Pokémon pela surpresa, mantendo um sorriso bobo na face, antes de se virar e seguir Poochyena. Os passos lentos, visto o cansaço após a correria e preguiça pelo canino. Passavam pelas ruas sem se preocupar. Um cadete era avistado, falando no telefone. Poucas palavras eram ouvidas, mas até onde pode identificar, os responsáveis pelos ataques recuaram. O oficial dirigia um olhar rápido para o aspirante, mas logo voltava sua atenção ao aparelho. Após o encontro com a adolescente, era difícil saber se mais alguém não era, na realidade, um gangster disfarçado.

Após mais um longo tempo de caminhada lenta, a dupla finalmente chegava ao restaurante. O local aparentemente fechado, mas o cão logo dava a volta e ia para os fundos do estabelecimento. A porta fechada e aparentemente trancada, o Pokémon Dark logo grunhia. Os grunhidos diferentes, hora parecendo um choro e hora um rosnado, parando após cinco sons e, logo em seguida, a porta se abria para a dupla.

O Zoroark encarava Klaus com desconfiança, mas permitia a passagem do mesmo. Poochyena entrava e cumprimentava o cozinheiro.

-Condições da missão? - O homem perguntava para o pequeno companheiro, que acenava com a cabeça. - Bom trabalho.

Geavanne sorria para o Pokémon, enquanto Zoroark alcançava uma sacola para Klaus, que ao verificar o conteúdo, percebia ser o prato que havia pedido antes de se retirar e seguir o cão.

-Dessa vez, fica por conta da casa, mas não vai se acostumando. Precisa de mais alguma coisa?

Voltar ao Topo Ir em baixo

O Livro de Kraus - Capitulo I Empty Re: O Livro de Kraus - Capitulo I

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum