#6 - Vs. Cornélios

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

#6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Ter 31 Jan 2017, 23:25



Vs. Cornélios

Como planejar uma vida, uma carreira ou qualquer coisa se nada te pertence? O governo controlava as contas e agora os que se alistaram voluntariamente para portar Pokémon com um aviso prévio de que teriam de servir se assim precisassem.

Dar adeus a Twister uma outra vez fora difícil. Me sentia tão apegado àquela cidade e ao mesmo tempo tão distante que era complicado explicar. Talvez as minhas obras falassem por mim, mas agora teria de esperar.

No caminhão, decidi contar ao meu melhor amigo sobre o que tinha acontecido no dia anterior da partida. A ida à galeria, o almoço, biblioteca e depois o espaço particular com o motorista que me levou em casa da primeira vez depois da licença. Ele me olhava com desconfiança e um pouco incrédulo. Eu queria que ele falasse qualquer coisa, mas ele estava pensativo. A gente quase nunca falava desse tipo de coisa. Da última vez que me confessei a ele, nos tornamos mais próximos e senti que realmente podia confiar nele.

— E o que você sentiu quando ele tentou te beijar? - perguntou por fim.

A questão me chocou um pouco porque eu também queria saber. Na verdade, eu não tinha uma resposta exata, pois estava confuso na hora. Era muita coisa pra eu poder saber. Só sabia que ele tinha sido um cara legal e eu tinha vacilado com ele. Talvez eu até quisesse, mas não consegui disser à Mushiro. Só que pelo visto ele conseguiu ler meus pensamentos.

— Bom. Eu acho que quando a gente voltar, você vai poder descobrir, né? - ele tirava de conclusão.

Joshuy só falado besteira, a maioria das vezes sobre comida, mas também soltava pérolas como aquelas quando eu precisava de uma palavra amiga. Só dei um sorriso e encostei no ombro dele, dividindo um dos lanches.

[...]

Passaram dois dias e ainda estávamos rodando. As paradas para comer e higiene teria sido péssimas se o pessoal do caminhão não tivesse feito amizade. Eu tinha sido meio que um salvador por possuir tantos Pokémon Water pro povo tomar um banho, se refrescar ou até mesmo lavar as mãos. Fazer esse tipo de coisa com água potável era um desperdício e tanto. O único que quase me bicou foi Gunter por perturbar ele só para coisas que ele julgava ser fútil. O Croconaw de Josh também ajudou. Já não aguentava mais dormir com aquele clima extremo. Ficava usando os óculos escuros para me proteger e o filtro sempre que lembrava. Quando menos esperava lá estava ele. o vilarejo de Piesok.

Assim como eu, o restante do pessoal se amontou na porta do veículo para sair e sentir um pouco do espaço. Só esperei por Josh do lado de fora para que pudêssemos explorar antes que nos chamassem.

— Fiquei sabendo que tem uma rua aqui que é destinada a trocas. Segundo o guia de Shinki, não fica muito longe. Talvez eles tenham alguns itens ou Pokémon raros lá. Bora dar uma passadinha rápida agora?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Sab 04 Fev 2017, 00:10

O caminhão que os transportara não oferecia muitas regalias além, é claro, das paradas obrigatórias no decorrer dos dias. Por sorte, Nicolas e seus pokémons estavam no lugar certo e na hora certa, exceto por Gunter, o pinguim que se sentia completamente explorado vendo suas habilidades usadas de forma torpe. No entanto, a harmonia reinou durante os dois dias entre todos ali, afinal uma mão lava a outra, né? - literalmente.

Ao desceram do veículo, esticar as pernas eram o que mais a dupla queria fazer. Espreguiçar-se, pois já não aguentavam mais passar horas e horas sentados. Após um breve descanso, o Stylist comentava sobre a Rua de Trocas do Vilarejo, dizendo que era bem possível haver Pokémons interessantes para se trocar. Joshuy concordava sem muitos esforços, pois tentava manter a mente do amigo ocupada depois de tudo que ele havia lhe contado no caminho até Piesok.

Os dois seguiam para seu novo destino, Rua das Trocas. Enquanto andavam eles podiam sentir o mormaço queimando sua pele. O chão de terra do Vilarejo parecia borbulhar diante do poder do Sol sobre o local. O Gladiador soltava uma piada sobre como ele iria emagrecer "na marra" enquanto estivesse naquele lugar, bem como dizendo que comeria em dobro, só pra garantir. Nicolas riu da situação e eles continuaram a andando e observando a carência da pequena cidade que parecia tão esquecida por Shinki.

Muhsiro fora o primeiro a avistar o local que mais parecia um Mercado ao ar livre. As pessoas trocavam Pokémons sem o menor pudor, bem como traficavam outros da mesma maneira. Naquele lugar este tipo de conduta era normal, naquela rua esse tipo de barganha era possível e era pra isso que os rapazes estavam ali, para barganhar!

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Sab 04 Fev 2017, 01:33

Por algum motivo Josh estava meio tenso. De repente ele precisaria de mais tempo pra aceitar tudo o que tinha falado, ou talvez estivesse apenas preocupado, achando que tinha dever de me fazer pensar em outras coisas. Mas pra falar a verdade, ele tinha! Era essa a função de um amigo, não?

Mesmo que rindo das piadas toscas de Mushiro, cheguei com vida à famosa rua de trocas, mas tive que passar uma camada de protetor solar nos braços e rosto. Voltaria com mais bronze que se visitasse praias no fim de semana. Mas talvez poderíamos fazer da chamada de Cornélios, algo que acrescentasse em nossas vidas. Esperava ver algo decente naquela feira a céu aberto, pois barganhas não faltavam, ao que os olhos indicavam.

Eis que meus olhos avistavam um mercador com algo realmente instigante.

— Olha só! É um Sneasel, se não me engano. Pelo que ta escrito no guia de Shinki, eles são encontrados apenas em montanhas geladas, bem raro, não? O coitado deve estar sofrendo com esse clima. Mas olha pelo lado bom, um Ice pra refrescar quando tiver sombra! - brincava falando da última parte - Mas falando sério, seria um parceiro melhor que sua Wynaut. No momento ela só ta existindo... Bora lá dar uma conferida no que mais ele tem.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Ter 07 Fev 2017, 12:10

Quarta-feira
13:45

O gorducho desfia da oferta que tem diante de seus olhos, mas precisa concordar com o amigo de que aquele Sneasel é uma boa opção para seu time. O homem responsável pelo felino se aproximou, perguntando se eles gostavam do que via e sacando uma barra de chocolate com recheio de caramelo, Mushiro respondia que sim, ainda com a boca cheia para a vergonha de Nicolas.

A viagem havia feito com que eles chegassem em uma Quarta-feira na cidade, já passava da hora do almoço e Nicolas podia notar o movimento de desconforto daqueles que haviam chegado tão recentemente quanto eles. O Sol parecia um amigo para os moradores do Vilarejo e um completo inimigo para os visitantes.

- E então, vão querer levar essa lindeza com vocês? - dizia o rapaz apontando para a Sneasel Fêmea a sua frente, enquanto ela parecia totalmente desconfortável com o clima e com o barulho que as pessoas faziam por ali.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Ter 07 Fev 2017, 13:49

Eu entendia o que era ter apreço por uma daquelas criaturinhas que entra na sua vida de forma inusitada. Cléo era uma que não dava nada por ela. Poderia até mesmo vender por dois doces que estaria no lucro se não tivesse construído uma história ao lado do meu time. Parecia que não era apenas os tipo Water que estavam sendo meus professores. Contudo, ele tinha que fazer uma escolha. Ter um mascote inútil ao time ou barganhar por um Pokémon melhor para a classe.

O vendedor até que era amigável e um bom cambista. Eu até sentia uma peninha dela por estar num clima tão quente fora da pokébola. A cara de Joshuy era de indecisão, mas por fiz ele disse:

— Vou sim. Aceita essa Wynaut em troca? Ela é bem experiente. - Mushiro aceitava a Sneasel e oferecia o Pokémon Psíquico.

Era um Pokémon raro por um Pokémon de nível avançado. Uma troca justa pelo tempo que Josh gastou treinando ela.

Enquanto eles conversavam, fui olhar o que mais ele tinha por ali. Ainda não me conformava dele ter um Pokémon com o apelido Bolinho... Já me bastava ele que comia como um Snorlax sem vergonha alguma. Se bem que nos últimos dias ele tem se policiado desde que fora repreendido por Debora Mills. De qualquer forma, não custava dar uma olhadinha.

— O que quer naquele Machop? - perguntei assim que avistei o Lutador disponível. Pelo que bem sabia as evoluções dele eram extremamente fortes. Com habilidades assim, Mushiro podia explorar muito bem aqueles músculos.

Enquanto aguardava a resposta, brincava com um Chinchou fofo que estava ali também.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Qui 09 Fev 2017, 13:09

Quarta-feira
14:01h

A negociação pela pequena Sneasel seguia bem, o rapaz responsável pela loja aceitava a primeira oferta feita por Mushiro, afinal era um Wynaut bem treinado comparado ao felino diante dele. Assim, o rapaz os level até uma máquina de troca e retornando o animal gelado para a esfera bicolor, ativou a troca e rapidamente o Gladiador tinha em mãos sua mais nova parceira, uma Sneasel.

Após realizar a troca, o rapaz direcionava sua atenção a Nicolas que questionava sobre o que ele queria em troca do Machop. - Bom, depende, o que tens a oferecer pra mim? - disse ele. - Algo incomum por aqui? - concluiu.

Mushiro revirava os bolsos atrás das PokéBalls e as ficava olhando por alguns instantes. O Stylist se aproximava dizendo que trocar o camaleão pelo lutador era um bom negócio, mas que deixaria a critério do Gladiador decidir trocar o que com o que.

Enquanto eles conversavam ali, várias e várias pessoas transitavam pelo local procurando algum pokémon que lhe chamasse a atenção ou pudesse servir como moeda de troca para outra coisa, afinal em um vilarejo tão pequeno qualquer barganha era válida debaixo daquele sol escaldante. Nicolas e Mushiro já sentiam o cansaço percorrendo seus corpos, mas insistiam em se manter de pé, pois ainda precisavam encontrar um lugar para ficar ou acabariam dormindo sob o chão de terra vermelha.


Última edição por Luna Yum em Qui 09 Fev 2017, 13:38, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Qui 09 Fev 2017, 13:33

Ao que parecia Joshuy era bem mais apegado aos Pokémon que eu. Era só ele se convencer de que talvez alguém melhor poderia gostar do Kecleon. Ele sabia que para um Gladiador ter um desses era necessário grandes estratégias. Na única vez que vi ele batalhando de verdade, ele mal conseguia pensar, apenas bater. Logo, o Machop era mais que indicado para se estar ao lado dele. Tentava passar isso apenas com o olhar, pois ele já sabia minha opinião. Ele até evitava de me dar atenção, pois se dependesse de mim, já teríamos feito.

O clima parecia esquentar ainda mais e minha pele já sentia de novo a ardência mesmo com o filtro solar no corpo. Tratei apenas de apressar ele, pois ainda tínhamos que ver onde iríamos dormir.

— Josh...

Ele assentiu com a cabeça e fez sua escolha. "Tchau Bolinho!"

— Que tal esse Kecleon? Ele também é bem treinado.

O rosto dele era de tristeza. Tinha algo mais, só que não conseguia saber. Pensava em talvez oferecer um lanche, com certeza animaria o gorducho, ou ao menos a pança dele. Só esperaria a troca para poder ver o que faria dali. Olhava ao redor pra ver se tinha alguma barraquinha de pastel ou algo assim. Afinal, pra quê ir ao centro quando se está numa feira?

Comeria então alguma coisa ali e procuraria o PEVOAK para poder descansar. Só esperava que ainda houvessem vagas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Qui 09 Fev 2017, 14:35

Quarta-feira
14:34h

Joshy não gostava muito da ideia de ter que trocar seus queridos Pokémons por outros que ele nem conhecia, mas que pela sugestão do amigo, lhe seriam de grande utilidade. Mesmo com o coração partido em oferecer o Kecleon, o rapaz o fez e logo o mercante realizou a troca e liberou os dois para fazer o que quisesse.

- Voltem sempre, adorei fazer trocas com vocês dois! - disse o homem acenando para eles.

Como o local estava muito cheio, muitas pessoas pouco ligavam de esbarrar umas nas outras e muitas vezes até derrubavam as compras alheias pela má educação no local. Os moradores ficavam chocados pelo comportamento dos visitantes, se questionando se na cidade grande eles faziam dessa forma também ou era só ali.

Um pouco mais afastado dali, uma senhora vendia lanches e sucos naturais para os visitantes da Rua de Trocas, era uma forma dela ficar mais próxima dos que se achegavam a cidade e também de lucrar um pouco com as coisas que fazia. Os rapazes comeram ali mesmo ao lado da pequena barraquinha enquanto Nicolas sugeria para irem ao PEVOAK para ver se ainda haviam vagas disponíveis. O Gladiador concordou, mas antes fez questão de pedir lanches extras para a viagem e pediu para que o amigo pagasse, pois ele estava triste por ter deixado seus Pokémons com aquele homem e descontaria tudo na comida e negando-se a se importar com opiniões alheias.

A senhora dizia que a cabana do PEVOAK ficava ao final da Rua de Trocas, era só seguir direto que eles dariam de cara com ela, e assim o fizeram. Minutos mais tarde eles estavam diante da cabana humilde, porém jeitosa que a senhora havia lhes falado. No local havia algumas pessoas entrando e saindo, mas nada exagerado, eles entrar eles deram de cara com um rapaz moreno, alto e com aspecto de mau humorado que logo lhes foi cuspindo as palavras...

- Se quiser comprar algo, compre logo. Se precisar de cuidados, melhor que seja urgente...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Qui 09 Fev 2017, 15:20

Com as trocas feitas, envolvi meu amigo com o braço por cima do ombro dele e fomos até uma senhora que vendia sucos caseiros e alguns salgados. Até que não era ruim e ela até mesmo nos indicou a direção do PEVOAK. Assim que terminamos caminhamos até ele.

Dentro, observava que vendiam itens de viagem e batalha. De cara fomos recebidos por um cara que de gentil só devia ter a mãe. Para falar a verdade, deveria ter oferecido uma grana pra ficar na casa da velha. Aquele cara estava bem estressado pra um estabelecimento como aquele. Segundo o guia de shinki, eles geralmente ofereciam vagas a viajantes. De qualquer forma, como não haviam hotéis no vilarejo, teria de ser ali mesmo.

— Desculpa o incômodo, somos Nicolas e Joshuy, estamos procurando um lugar para descansar. Teria alguma vaga disponível?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Qui 09 Fev 2017, 15:47

Quinta-feira
11:00h

O rapaz de forma grosseira bateu com uma placa pequena sobre o balcão e disse. - Quarto de número 6, terceira porta a esquerda no final do corredor, passar bem! - falou.

Os dois, assustados com a reação do jovem, simplesmente pegaram a placa que na borda tinha uma chave pendurada e ausentaram-se da vista do rapaz. Nicolas ia na frente guiando o amigo e logo já estavam dentro do quarto. Ali haviam duas camas levemente usadas, a julgar pela aparência, mas devidamente limpas a espera deles. Um banheiro pequeno com chuveiro e pia, somente o essencial. E um armário vazio um pouco mais afastado da janela.

Já era um avanço eles terem onde ficar pelos próximos dias, ainda mais com as pessoas chegando aos montes era melhor garantir uma estadia decente e segura e principalmente livre do contato solar direto na pele.

Mushiro correu para o banheiro após largar a mochila em uma das cama enquanto dizia: - BANHO! - o Stylist riu da cena, mas sabia que tanto quando ele o Gladiador estava cansado e sedento por se refrescar um pouco. Pela janela uma brisa leve trazida do mar tocava o rosto do rapaz e o fazia lembrar de Miguel. Sem ter notícias do motorista de Twister, Nicolas não tinha muito o que fazer a não ser torcer para que ele tivesse mesmo vindo para Piesok como havia dito ou jamais o veria novamente.

O banho de Joshy fora devidamente demorado. Ele só saiu do banheiro pois Nicolas dizia que também queria banhar-se enquanto batia repetidamente na porta. Com ambos limpos e aliviados do calor, as horas foram se estendendo e enquanto estavam deitados na cama pegaram no sono como nunca viram antes. Seus corpos exaustos das noites passadas mal dormidas se esparramavam pelas camas em sono profundo.

A dupla dormiu muito mais tempo do que planejaram. A noite havia chegado e se despedido sem que eles pudessem notar. A ausência de barulho no local contribuía para que eles continuassem a dormir, até que descaradamente Gunter saltava da esfera e atirando água na cara de Nicolas que estava para fora da cama e babando. Ao abrir os olhos o Stylist se deparava com o pinguim de braços cruzados e notoriamente irritado por estar desde o dia anterior sem comer nada.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Sex 10 Fev 2017, 00:24

Meu sorriso forçado sumiu e voltei aos dias do Nico de poucos amigos, respondendo com "tanto faz" e seguindo na frente para o quarto.

Não era nada luxuoso, mas era o bastante para passar quantos dias fossem necessários ali. Só em ter um lugar com sombra e seguro para dormir eu ficava aliviado. Olhei de imediato para o armário, pensando em arrumar minhas roupas ali, deixando um espaço para as de Joshuy. Quando fui comentar, ele corria para o banho. Claro que iria. Não pude deixar de rir da cena.

Antes de arrumar as coisas, fui abrir a janela que tinha ali e senti uma brisa fresca, o que me surpreendeu. Havia algum litoral ali? Que coisa estranha. Mas se houvesse, descobriria, pois estava com tanta saudade de nadar que qualquer mergulho seria bem vindo. Aquilo só me fazia lembrar da minha maior paixão e nada mais. O mar! Saudades definia.

Depois de me instalar, comecei a me irrita com Josh. Ele estava demorando demais no banho! Também precisava tirar a areia e os cremes do corpo. Só batendo na porta pra ele me liberar. Depois que me refresquei, deitei e relaxei. Talvez até demais, pois só fui acordar no outro dia com água na cara. Levantei de susto e via o culpado.

— Gunter, é sério isso? Que desnecessário, cara...

Foi o bastante pra outro banho pela manhã. Ta certo, era a hora de comer! Chamava os outros e colocava comida para eles. Chamava Josh para também fazer o mesmo. Era bom que estivessem bem alimentados. De todos, estava tendo um segundo contato com o Ditto agora e ao me lembrar disso, me abaixava e o tocava me divertindo com a forma gelatinosa dele. Automaticamente o transmorfo virou uma versão minha de olhos pequenos. Aquilo era irado demais! Uma habilidade incrível, eu dizia em voz alta. Hyoga vinha até mim nesse instante e - louco de ciúmes - me pedia carinho. Eu ria e Ranma, como chamava o mutante, voltava a sua forma natural. Mas pensei em um nome melhor. MUTANO! Era perfeito. Eu perguntava a opinião dele e o mesmo concordava.

Off: Nunca vi atendente mais agradável. Quem é esse cara? Você? q

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Sab 11 Fev 2017, 19:22

Quinta-feira
12:13h

A manhã se achegava para os rapazes que acordava relativamente tarde. Haviam perdido o café da manhã oferecido pela cabana, mas já estavam preparados para isso. Nicolas não gostava nada de ser acordado daquela forma, enquanto Mushiro ao ver a cena tratou logo de se levantar antes que também levasse um Water Gun na cara.

Os jovens alimentavam e preparavam seus Pokémons para o dia que se iniciava. O Stylist olhava pela janela com saudade do mar e certamente, se pudesse, faria uma visita para molhar os pés um pouco.

O Sol se erguia ardente e predominante sobre todo Vilarejo. E os jovens já podiam sentir seus corpos transpirarem o sal e já terem a enorme necessidade de banhar-se, mas o dia lhe convidava a queimar um pouco mais a derme. Antes de deixarem a cabana e de volta para as ruas da pequena cidade, eles se banhavam de protetor solar por todas as partes possíveis de serem atingidas pelo astro rei.

O recepcionista e atendente da cabana não estava no mesmo lugar do dia anterior, certamente estava por fazer suas tarefas diárias ou então dando atenção a algum caso que necessitasse de sua total atenção. Nicolas se sentia aliviado por não ter que vê-lo logo pela manhã e assim, eles estavam de volta as ruas novamente.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Dom 12 Fev 2017, 16:42

Era inacreditável o mormaço que já fazia logo pela manhã. Tinha pena do Sneasel que fora submetido a ficar tanto tempo exposto naquela barraca. Ainda bem que ele agora estava bem e na sombra com Joshuy. Por mais que fossem recém conhecidos, os novos Pokémon pareciam gratos ao gorducho por ter sido escolhido.

Assim que todos terminaram de comer, os retornei e deixei apenas o transmorfo fora da esfera. Ao tocar nele mais uma vez, ouvi ele rindo e logo se envolvendo no meu braço, deixando ele mais musculoso e azul, como se fosse uma manga de guerreiro. Minha expressão de surpresa logo criava um sorriso animado. A estrutura gelatinosa era bem maleável a ponto de se transformar em qualquer coisa.

Ia me arrumar e avisava Joshuy para fazer o mesmo, pois iríamos sair para almoçar fora e observar o que está acontecendo na cidade, talvez até descobrir o que Cornélios quer de nós. Ia escovar os dentes e molhava o rosto, trocando o pijama pela roupa de treino com os sapatos adequados para andar no deserto. Era até bem adequada ao tempo. O filtro solar ajudaria a proteger, mas não muito. Mutano ainda continuava comigo quando terminei de me arrumar. Escolhia os óculos escuros espelhados na cor Rubi também.

Ao sair da cabana o sol castigava tanto quanto na tarde anterior. Joshuy já suava horrores com menos de vinte passos e eu não aguentaria muito mais. Olhei para o braço e vi que o Ditto relaxava de boas ali. Foi quando tive a ideia.

— Mutano, pode virar um guarda sol pra gente, por favor?

Ele despertou e foi para a minha mão, se estendendo acima de nossas cabeças, virando o objetos que nos daria sombra. Aquilo era simplesmente demais.

Na Gaveta:
Roupas do cotidiano
1 Traje para Deserto
1 Fantasia de Lordbug
1 Terno Social
2 Escovas de dentes
1 Sabonete em barra
1 Frasco de Shampoo
1 Hidratante de Pele


Última edição por Mathito em Ter 14 Fev 2017, 16:03, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Ter 14 Fev 2017, 16:00

Quinta-feira
12:45h

O horário de almoço de aproximava rapidamente para os rapazes e seus parceiros. O calor do ambiente era algo incomum a eles e faziam com que perdessem muito líquido corporal através do suor. Nas ruas, mesmo sob o Sol as pessoas pareciam consideravelmente mais acostumadas que eles, exceto pelos viajantes Gladiadores, Stylist e também Cadetes que sofriam tanto quando eles.

Nas ruas Mushiro pôde ver Durants roubando a comida de uma velha cabana, apesar de velha não estava abandonada e o velhote que tentava deter as formigas metálicas resmungava aos quatro ventos sobre ser a terceira vez naquele mês que esses pokémons lhe causam problemas.

Ao ouvir o pedido de seu dono, o pequeno Ditto de coloração incomum pensou por alguns instantes em como seria um guarda-sol e ao ver uma mulher passando na frente deles com um nas mãos ele entendeu o recado. No mesmo instante ele copiava inteiramente os detalhes do objeto alheio, mas sem causar muito impacto por ali. Por ora, os rapazes estavam livres do contato direto com o Sol, mas a sensação térmica era desgastante ao corpo, principalmente para o Gladiador que se sentia numa sauna.

Após andarem mais um pouco eles se depararam com uma velha senhora e com uma cara nada convidativa, afinal Nicolas não tinha boas lembranças do atendente do PEVOAK quem dirá dos demai moradores do Vilarejo.

- O que você faz aqui, neste vilarejo esquecido por tudo e todos? - dizia ela rispidamente.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Ter 14 Fev 2017, 16:20

Por mais protegido que estivesse, não tinha como fugir da sensação térmica daquele inferno de lugar. Ainda não sabia como uma massa de ar litorânea tinha chegado até a janela do meu quarto. Parecia tão falso quanto a Meloetta que capturei em Twister.

Caminhar por aquelas ruazinhas era uma tortura, tanto para os olhos quanto para o corpo. Tanta gente feia e mau encarada que dava vontade de voltar pro quarto e só sair quando me chamassem de novo. Mas duvido que Joshuy iria deixar. Não tínhamos suprimentos o suficiente para passar o tempo que fosse. O que me intrigava é que tínhamos pego uma das últimas carretas para Piesok e depois de chegar não recebi nenhuma outra notícia sobre nada. Quanto mais instruções do que fazer ou quem procurar. Uma verdadeira bagunça...

Ainda andávamos quando uma senhora, sem expressão feliz no rosto, nos questionou o motivo de estarmos ali. Eu espreitei os olhos querendo dar uma boa resposta, mas relevei pela idade da velha.

— Nem eu sei, senhora... nem eu sei. - suspirei e pensei em continuar andando, mas ela não parecia ser de todo mal - O comandante dos cadetes está reunindo forças no vilarejo. Sugiro que permaneça dentro de casa se não puder ficar fora por uns dias.

Minha voz era igual a cara que fazia. De poucos amigos. Nada estava me propiciando alegria para sair entregando sorrisos de graça.

— Sabe onde eu e meu amigo podemos experimentar a culinária local por um preço camarada? - Joshuy perguntou me fazendo lembrar da presença dele.

É mesmo, estávamos indo comer. Tinha até esquecido com esse calor todo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Qui 16 Fev 2017, 14:59

Quinta-feira
13:20h

A senhora não pareceu dar muita importância para o que ouvia do Stylisy, em compensação encarou o Gladiador com um olhar vivo e pronto para uma resposta.

- Meu caro jovem, ao final desta rua há uma pequena vendinha, não chega a ser nada que se compare aos restaurantes e lanchonetes da cidade grande, mas creio que deve servi-los bem! - o Gladiador sorriu imaginando as coisas gostosas que poderia encontrar por lá, ou não.

Tomando a diante, Mushiro seguia guiando o Stylist que caminhava logo atrás, mas bem próximo do amigo. Aquela caminhada parecia não ter fim, quando o jovem avistou a pequena barraca de que a velhota havia lhe falado. Sem muitos detalhes, apenas um touco improvisado fazia sombra em uma janela que servia como balcão para o atendimento, certamente tudo de forma muito humilde e precária.

Uma pequena placa ao lado da janela indicava: "Apenas enlatados, pacotes e conservas". Nicolas não gostou muito do que leu, mas não podia esperar mais do que isso. Um homem surgia para atendê-los e os perguntava se iriam querer algo. Joshuy se adiantava e pedia salgadinhos e algumas latas de Berrys em conserva e encara o amigo para saber o que ele iria querer...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Qui 16 Fev 2017, 23:33

A velha me ignorou. Antes eu tivesse continuado a andar sem nem ao menos ter dado ouvidos. Só fiz revirar os olhos e seguir Mushiro para onde ela tinha indicado. Chegando lá - após longos minutos intermináveis - a decepção era estampada e bem visível a quem quisesse observar.

Erámos atendidos e sem saber se eu queria comer ali, meu amigo já se adiantava. Eu o cortei, dizendo:

— Na verdade, senhor, estamos comendo coisas nada saudáveis tem dias e meu corpo está necessitado de alguma comida caseira, mas me contento com fast food também. Pode nos indicar um espaço onde tenha algo do tipo? A gente leva as berries em conserva...

Não sabia como Joshuy aguentava, mas meu corpo sentia falta de carboidratos e proteínas. Talvez o organismo dele até tinha se acostumado com besteiras de tanto que ingeria. Pra um nadador, essas coisas afetavam demais a performance. Sem contar que não tomamos a refeição mais importante do dia. Substituir o almoço por salgadinhos era suicídio. Até meus feijões enlatados eram melhores.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Seg 20 Fev 2017, 15:30

Quinta-feira
15:40

O homem lhes serviu o que fora pedido e recebeu pelo pagamento, mesmo Nicolas achando tudo muito caro, não podia reclamar muito, afinal não havia muitas variedades de comida por ali.

O tempo urgia e o Sol mantinha sua imperialidade sobre o vilarejo. As pessoas exalavam o cansaço pelos poros e a cada minutos ficava cada vez mais difícil de andar por ali com tanta barracas que iam se erguendo, desde das mais simples até grande tendas. Do alto o vilarejo parecia uma pequena mancha no deserto, quase que irreconhecível, exceto pelas vidas que ainda insistiam em lutar contra o ar e as tempestades de areia.

Conforme eles andavam pelo lugar, com certa dificuldade, Joshuy dizia que não estava se sentindo muito bem. O excesso de calor somado a má alimentação não estava caindo bem para o gorducho. O Stylist também sentia-se enjoado, mas bem menos que Mushiro. Ditto por ser tão jovem não aguenta a pressão do Sol sobre seu corpo e a transmutação falha tornando a exibir sua coloração estranha e agora de aparência desidratada.

Eles pararam ao lado de uma tenda que estava servindo como sombra para alguns pokémons nativos do lugar. Não demorou muito para que o Gladiador colocasse para fora tudo que havia comido naquele dia, inclusive o café da manhã. Nicolas até teria resistido aquilo, mas a sensação de mal estar no corpo só piorava a cada instante, foi quando ele também não aguentou e trouxe pra fora tudo que havia ingerido. Os dois pingavam suor e cansaço, mesmo que estivesse no Sol a pouco tempo, não estavam acostumados ao clima árido e intenso de Piesok.

Mushiro sacou uma de suas garrafas, mas o líquido quente o fez cuspir. Ditto parecia que estava derretendo nos braços do Stylist, pedindo por abrigo e água. O dia parecia se arrastar por eles e a sensação insistia em lhes punir.

Não sendo o suficiente o mal estar e o Sol escaldante, ventos começavam a se erguer levando poeira para dentro das casas e tendas espalhadas pela cidade. O vento até seria algo bom, se não estivesse carregando areia quente por onde passava.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Seg 20 Fev 2017, 16:47

Se eu tivesse saco para escrever um diário, com certeza as notas sobre Piesok seriam escritas com ódio e rancor. Como eu queria gritar! Ah como eu queira! Eu precisava de água depois daquele lixo de comida que me deixou enjoado. Estava prestes a reclamar com Joshuy quando vi que a cara dele estava cem vezes pior. Ele não estava acostumado com o calor como eu que frequentava praias e passei semanas no deserto kuwabara. E para piorar ele também deveria estar reagindo àquela comida lixo. Para piorar, Mutano voltou à forma original, só que mais molenga. Ao que parecia o sol estava demais até mesmo para ele. O jeito foi correr para a sombrinha mais próxima, onde Josh botou tudo aquilo pra fora. Assistir aquilo me deu ânsia e fui junto.

— Quem sabe você não se alimenta melhor depois disso. - fiz sátira do comportamento alimentar de Joshuy, mas ressentido por ele ter vomitado perto de mim.

Já não aguentava mais Piesok e os costumes podres. Larguei o foda-se pro sol, chamando Hyoga e exigindo um digno Rain Dance. Coloquei o Ditto na cabeça e sai da sombra esperando a água cair do céu, mas também observando a dança do meu pelo Swanna. Após a invocação de chuva, pediria que ele batesse as asas pra nos refrescar. A umidade deixaria pelo menos algumas ruas mais frescas, assim esperava.

Então um vento estranho era notado. Eu imaginava o que aquilo poderia ser e não gostava nada.

— Merda! Toma Josh, usa esses óculos. Vamos procurar abrigo. Quando eu estive no Kuwabara esse tipo de vento significava tempestade de areia. Tomara que eu esteja errado, mas é melhor prevenir.

Assim que Hyoga estivesse perto e Mutano recuperado, pediria para que o Swanna nos guiasse para algum canto que desse para nos proteger por algum tempo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Qui 23 Fev 2017, 11:37

17:30
Quinta-feira

A dupla se sentia péssima em questões de saúde. O desgaste e a perda constante de líquido só contribuíam para o constante enjoo mesmo depois de terem colocado toda comida pra fora. Os rapazes ainda se abrigavam na sombra de uma das muitas tendas espalhadas pela cidade, mas o clima não parecia estar ajudando muito. De longe era possível ver a névoa alaranjada vinda do deserto em direção ao vilarejo, os moradores já corriam para suas casas e desmontavam suas barracas frágeis para que não perdessem nada.

O tempestade de areia chegou rápido e se instalou instantaneamente. Os visitantes tentavam manter suas barracas firmes, mas a cada tentativa a situação só piora. Era difícil de dizer até onde havia areia naquele lugar, muito tentavam se abrigar junto aos moradores, mas era inútil. A areia quente invadia as casas sem pudor, secava a boca daqueles que se atreviam a andar por ela e machucava os olhos dos desprevenidos.

A tentativa de Swanna de usar Rain Dance falhava, as nuvens de chuva se dissiparam da mesma maneira que surgiram. O ar ficava ainda mais seco com o passar do tempo, os rapazes cobriam as narinas para evitar sangramentos ou mesmo que inspirassem grãos de areia.

Uma tenda ainda permanecia firma no meio da tempestade graças a um dois Claydois que a mantinham fixa. Sem ter onde se abrigar, os rapazes correram para dentro junto com Swanna e Ditto para que aguardasse a tempestade cessar. No interior dela havia vários moradores e crianças com feições normais, afinal eles já estavam acostumados com eventos assim e os visitantes não podiam negar abrigo em um momento como aquele. A tosse e rouquidão era nítida entre todos ali dentro, inclusive em Joshuy e Nicolas que sacudiam um pouco da areia de cima do corpo. Sem poder sair dali só restavam a todos esperar o fim da tempestade de forma segura, pois as ruas estavam intransitáveis e os ventos cada vez mais investiam contra a estrutura da barraca, exigindo mais e mais dos psíquicos.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Qui 23 Fev 2017, 15:07

Uma coisa era certo. Aquilo nem de longe poderia ser considerado férias! Ódio era pouco para descrever o que sentia. Amargura muito menos. Nem conseguia pensar se uma palavra era cabível para aquelas emoções.

Com Swanna nos guiando, conseguimos encontrar uma tenda que estava sendo assegurada por dois Pokémon que pareciam ser bem fortes. Não sabia se seríamos bem recebidos, mas não tínhamos opção. O fenômeno já nos alcançava e em poucos instantes seria perigoso permanecer exposto. Por sorte as pessoas ali eram de bem. Ao menos me baseava nas aparências.

Sentados num canto, pedi para o Swanna mirar um jato d'água no Ditto molenga para que se refrescasse um pouco. Aproveitei para lavar as mãos, o rosto e a nuca. Então percebi a tristeza no olha da ave.

— Não se preocupa Hyoga, eu sei que não foi culpa sua. Deve ter sido por conta da baixa umidade do ar e essa ventania com areia contribuiu pra nossa tristeza. - tentava alegrar o cisne que entristecido estava pelo fracasso com Rain Dance, o trazendo para o colo, com carinho. - Descansa um pouco. De repente mais tarde a gente tenta de novo.

Ele não ficava mais triste desde a evolução. Foi difícil vê-lo dessa forma por não ter conseguido. Eu não estava cobrando, porque ele se preocupou tanto? Mas na verdade não era apenas isso que me incomodava. Os cadetes chegaram e não vi para onde foram. Sumiram. Não tem posto de delegacia no vilarejo, então não sei como faz para achar eles.

— Eu já estou de saco cheio. Ninguém deu uma informação do que a gente veio fazer aqui. Até então só ouvi meia conversa. - reclamei com Joshuy.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Sex 24 Fev 2017, 00:35

Quinta-feira
17:49

Os psíquicos começavam a ter dificuldade para manter a tenda no lugar conforme o tempo corria e a tempestade não dava sinais de que iria cessar tão cedo. A tecido a tenda rasgou no mesmo instante em que um barulho fortíssimo e alto quebrou o silêncio entre todos ali. Daquele momento em diante eles ouviram mais e mais sons iguais a esse até que um clarão próximo a tenda fez com que ela cedesse e a tempestade envolvesse todos ali.

As reclamações de Nicolas não adiantavam mais nada. As pessoas começavam a correr de um lado para o outro diante do ataque que o vilarejo começava a sofrer, as crianças eram arrastadas pelos pais e parentes como se fossem bonecos articulados, enquanto os velhos tentavam recuperar o vigor que um dia tiveram.

Vários combates cruzavam os olhos de Mushiro e Nicolas. Um cadete de patente elevada ordenava que TODOS ali lutassem para defender o vilarejo da invasão dos gangsters que surgiam aos montes por entre as lufadas de areia. As batalhas se iniciavam quase que imediatamente enquanto o caos se instalava entre as pessoas. Gritos e choros formavam a canção de guerra que convidava muitos ali a darem suas vidas em prol do continente.

Um vulto enorme surgiu na frente dos rapazes e logo eles sentiram uma dor intensa pelo corpo. Ao tentarem enxergar o que lhes havia atingido, Nicolas podia ver vários espinhos presos a sua perna, bem como ao braço de Joshuy. Por entre a tempestade uma silhueta feminina surgia ao lado de um Cacturne.

- Já pode correr, juro que tento não matar vocês! - dizia a voz madura, porém fina. - Use o Spikes duas vezes, Leroy!

A dupla sentia a dor dos espinhos percorrer seu corpo enquanto os olhos e narinas ardiam por causa da tempestade. Swanna pulava para frente do dono, desejando lutar com o inimigo que surgia. Ao olhar em volta, Nicolas notava o verdadeiro campo de batalha que havia se formado em um piscar de olhos. Diversos Gladiadores, Stylist e Cadetes lutavam para defender a honra do vilarejo (que honra?!) das mãos dos gangsteres.


Última edição por Luna Yum em Seg 27 Fev 2017, 12:43, editado 1 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Sex 24 Fev 2017, 00:55

No dia que reclamar resolver alguma coisa, eu seria rei. Só que parecia que o contrário do que eu pedia estava acontecendo. Em vez de paz e um pouquinho de ar fresco, a porcaria da ventania com areia destruía a tenda e fazia com que os velhos e as crianças saíssem correndo dali com os olhos e narinas ardendo. Tinha que admitir que também sentia vontade de sair correndo e gritando, mas diferente deles eu estava em "missão". O que me fez lembrar disso foi o cadete que passou correndo e gritando para defendermos o vilarejo.

Enquanto colocava os óculos de novo, pensando no que fazer, era atingido nas costas e ouvia a voz de uma mulher nos dizer para meter o pé. Ela ainda estava sendo misericordiosa. Quanta graça! Só que não.

— Se você me permitisse ir embora na minha sem me atacar, de boas, mas acha que vou deixar passar? Hyoga, afasta isso com Defog e ataque eles com Air Slash!

Em pouco tempo meu patinho feio se tornara além de um belo cisne, também poderoso. Quem devia fugir de nós era ela. Ah como eu adoraria descontar minha raiva por ter sido chamado a trabalhar como peão naquele jogo imundo de cadetes vs. gangsters. Até que ela tinha aparecido em boa hora. Estava louco para esmurrar alguém.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Luna Yum em Seg 27 Fev 2017, 12:39

OFF:
Mais codes no próximo post!

Quinta-feira
18:05

As batalhas começavam em meio a tempestade. Os gritos somados as explosões criam um clima de terror. Nicolas podia ver pedaços de tendas voando e casas sendo explodidas ao bel prazer dos gangsteres.

No mesmo instante em que Swanna tomava a diante em confronto com o Cacturne inimigo, vários outros gangsteres surgiam e Mushiro engolia sua saliva seco. A dupla estava cercada por um tempestade de inimigos.

- Olhem, mais um Stylist para a adicionar ao monte de corpos que vamos queimar! - disse um jovem baixinho se aproximando.

O cacto gigante respondia a sua dona lançando os espinhos no chão, que pelo força do vento, eram espalhados aleatoriamente, criando um total campo minado coberto de areia. Enquanto isso o Gladiador trazia para fora seus aliados pois sabia que se não lutasse, morreria ali e com uma última refeição péssima.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Tempestade de areia com ventos fortes. Casas próximas sendo explodidas e pessoas em pânico. Espinhos espalhados pelo chão.

Cacturne/Leroy - Lv.47 - Trait: Sand Veil
79%, Status: Normal, Sand Veil Ativada. (+20% de Evasiveness)
Vs.


Swanna/Hyoga - Lv.39 - Trait: Big Pecks
76%, Status: Normal

A ave tentava usar Defog, mas a força da tempestade impedia o golpe. Mas Air Slash combinado a força dos ventos causava um belo dano em Cacturne. - Olha como ele é ousado, vamos acabar com eles meninos! - os demais inimigos se aproximavam e Mushiro encostava suas costas com as de Nicolas. Cercados eles tinha que lutar por mais que o ambiente fosse instável.

Um Flygon e um Drapion eram liberados em campo enquanto outro inimigo ao lado do Stylist assobiava e uma Skarmory surgia da tempestade. - Esse vilarejo já era, não há nada que vocês possam fazer, exceto... Fugir! - dizia a garota. A tempestade causava danos a Swanna que ainda se mantinha forte, mas por pisar no solo espinhoso sofria mais danos por isso.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Mathito em Seg 27 Fev 2017, 15:58

Aquela bagunça estava ficando mais feia, tanto pelo temporal quando pelos inimigos que se aproximavam. Cadê aqueles cadetes que estavam por aqui ainda a pouco? Pelo visto éramos apenas eu e Joshuy contra quatro gangsters. Rangia os dentes e apertava as mãos de fúria. Não era um gladiador, mas aprendi a sobreviver ao lado dos Pokémon que hoje fazem parte da minha equipe. E não seria a nossa última luta. Não naquela tarde insuportável!

— Vamo calar a boquinha e apanhar direitinho, vamo? - comentava com desdem pra mulher que tentava me amedrontar. - Gunter, monta no Hyoga! Mutano use Transform e vire um Skarmory, o pássaro de aço, e fique próximo dos outros. Hyoga, Safeguard, e ataque com outro Air Slash no Cactune. Gunter Ice Beam no mesmo alvo e prenda o Flygon em um Whirlpool! Joshuy, preciso de ajuda. Mande alguém para cima do Ditto.

Ainda precisava ordenar que o Ditto atacasse, mas se Joshuy quisesse fazer as honras, não me importaria.

Off: Se o Transform funcionar eu preciso do Moveset dele pra continuar o post.
Estou sem celular.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: #6 - Vs. Cornélios

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum