Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Sex 07 Fev 2014, 14:14




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Determinada, continuava a minha caminha sob a chuva, que parecia fulminante no quesito querer me atrapalhar. Não bastava a visibilidade que estava bem turva, devido às inúmeras gotas líquidas que caiam, havia ainda o fato de que o meu quimono não estava facilitando bem a passagem sobre a rota 1. Ou será que era rota 2? Havia caminhado tanto que nem sabia mais se estava realmente na rota 1 ou já havia passado para a rota 2. A geologia das duas rotas eram tão semelhantes, que com ou sem chuva era difícil imaginar como diferencia-las.

Embora estivesse andado por todo o local, sabia que estando na rota 2 ou não eu chegaria à Jorvett Village por aquele caminho, o que deixaria as coisas mais divertidas ao conseguir o meu terceiro Pokémon: um tipo Fire. O caminho era trabalhoso, mas ninguém havia dito que uma jornada seria fácil. Ethan seguia-me, com o Lillipup entrelaçado sob a jaqueta, deixando o filhote Normal protegido da chuva.

Isaac e Serena estavam protegidos dentro de suas Pokéball e lá dentro eu não precisava me preocupar com eles. O que me preocupava mais era o caminho que logo estaria atolado de lama quando a precipitação estiasse e aquilo, sim, iria me atrasar mesmo. Ao pensar nisso, continuei os meus passos sobre o caminho e não olhei para trás, nem para os lados, sentindo apenas a presença de Ethan ao lado.

- Será que já estamos na rota 2? Já andamos tanto que jurava já está chegando na rota 3 sem saber. – tentava estabelecer comunicação com Ethan, perguntando alto, já que a chuva não só atrapalhava a locomoção, como também a comunicação. “Deveria ter trago um guarda-chuva”, pensava comigo.
Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Sex 07 Fev 2014, 21:06

A chuva castigava o jovem casal que avançava pela rota momentaneamente inóspita. O kimono de Sakura se colava a seu corpo. Seus sapatos e a barra de sua roupa já estava marrom devido a lama erguida. Ethan não se encontrava em melhores condições, porém ainda conseguia proteger o filhote de Lillipup. Os relâmpagos pelo menos iluminavam a trilha, garantindo que ainda não tinham se distanciado de seu caminho. Os trovões e os ventos impediam uma conversa sem gritos para tentar superar o som natural, entretanto a morena conseguia ser ouvida.

- Já estamos sim. Você lembra que passamos por uma árvore que parecia um S deitado? Ela marcava mais ou menos a divisa das rotas.

Sakura olhou para Ethan quieta, sem recordar da dita árvore. Tirando os momentos quando os relâmpagos iluminavam o caminho, era impossível distinguir qualquer coisa. Então como ele identificou uma árvore em forma de S deitado? Pelo menos, a fala do ruivo parecia confirmar que Jorvet estava mais próxima do que a Stylist imaginava. Seu pokémon de fogo estava a seu alcance. Um pequeno Fennikin combinaria muito com sua equipe.

Entretanto, por mais que a felicidade os motivasse, o caminho ainda era dificultoso. O som do temporal não permitia ouvir nada além da conversa proferida em voz alta. A chuva densa não permitia identificar nenhuma forma com precisão. Nesse cenário, era impossível para a dupla identificar o movimento nas moitas próximas, de algo os seguindo.
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Sab 08 Fev 2014, 14:21

Off: Sei que Ethan tem conhecimentos sobre rotas XD



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


As chuva caia fortemente na rota, que agora sabia que era a rota 2. Parecia que Ethan tinha grande conhecimento sobre as rotas de Shinki, pois conseguia identificar com facilidade as particularidades de cada uma. Eu, entretanto, apenas sabia ler mapas, que naquele momento, não eram muito úteis, já que a chuva forte dificultava qualquer exercício de atenção próximo.

Seguia pela rota 2, que já começava a concentrar uma boa porção de lama que parecia grudar na barra do meu kimono e sobre a sandália. Era uma hora que eu me arrependia de não ter causado um sapato fechado, que embora não combinasse nada com o kimono, protegeria melhor os meus pés. A chuva continuava e eu olhava para trás, de hora em hora, procurando a tal árvore que Ethan havia mencionado.

Mesmo não encontrando-a - e sabendo que não iria encontrar mesmo – eu olhava para trás, sem motivo algum. Não sabia o motivo da minha atenção no passado e muito menos o que me levava àquela ação. Pensei que fosse uma faísca de arrependimento, ou medo. Mas como dizia um filósofo, sabemos que estamos no caminho certo quando deixamos de olhar para trás. Apesar de saber que estava no caminho certo, continuava a caminhada, olhando para trás, até que Ethan me interrogou o motivo, brincando, como sempre.

- Não, não, eu apenas estou com um pressentimento! – dizia para o ruivo, que continuava a pergunta se era bom ou ruim. – Não sei! Talvez seja coisa da minha cabeça. – sorria, bem sem graça, disfarçando a preocupação com o nada.

Alguns cientistas explicavam a minha reação chamando de intuição feminina. Outros diziam que não era nada que a ciência pudesse explicar, então era algo avançado demais para a minha época ou não existia, simplesmente. Eu acreditava que a intuição feminina era oriunda de uma parte da massa cinzenta do nosso cérebro, que tem maior perspicácia do que a parte que usamos, a frontal.

- Não tardaremos para chegar em Jorvet, não é? Pena que está chuvoso... pensei em ir até a praia... – pensava em voz alta e ainda comunicava com Ethan.

A lama continuava a grudar na minha sandália e aos poucos ela expulsava alguns pingos de lama para os lados, quando o meu calçado prendia ao chão. Sorte tinha era Isaac e Serena, que estavam protegidos em suas esferas. Também o bebê Lillipup estava seco e quentinho. Era uma gracinha... Quem sabe eu não o levaria comigo, apenas para fazer graça na equipe?

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Ter 11 Fev 2014, 01:51

Apesar do pressentimento ruim que a fazia olhar para trás constantemente, Sakura tentava se distrair pensando em outras coisas, entre elas, talvez carregar o filhote de Lillipup para fazer graça na equipe. Era impossível ignorar o pequeno vendo a jaqueta do gangster se movimentar sozinha de um lado para o outro. Um trovão alto chamava a atenção e a Stylist tentava puxar conversa com o ruivo uma vez mais, falando sobre a praia.

- A praia de Jorvet é linda mesmo. Aprendi a pescar lá. Mas sinceramente, prefiro ela em dias de temporal. Fica deserta e... Sei lá... Me faz pensar no antigo Pokémon Kyogre.

O ruivo ria logo em seguida, alegando que soava estranha sua última frase. Sakura, pelo contrário, ficava com ainda mais perguntas em sua mente. Com que ele teria aprendido a pescar? O quanto ele saberia dos antigos pokémons? História estaria em sua lista de conhecimentos? Se fosse, a Stylist se impressionava mais ainda com o saber de seu novo companheiro de viagem.

Um frio subiu pela espinha de Sakura, distraindo-a de suas novas perguntas. Instintivamente, a garota olhou para trás. No entanto o perigo estava na frente. Um raio surpreendeu a dupla ao atingir uma árvore próxima. Galhos pegando fogo teriam caído sobre a garota, se o ruivo não tivesse a empurrado para o lado, derrubando ambos no chão. Na queda, o pequeno filhote de Lillipup caiu da segurança da jaqueta, em frente o rosto da morena. Ethan olhou rapidamente a árvore em chamas. A rota repentinamente iluminada ao redor do fogo. A Stylist sentia o braço protetor acima de seus ombros ainda. Seus olhos se erguiam lentamente, simplesmente para ver o ser que os seguia sem ser visto passar correndo e arrastar o cachorro pelo pescoço, sem que a jovem ou o gangster pudesse impedir. O grito do cão ecoava no ouvido da garota enquanto o ruivo a puxava, erguendo-a novamente. Ambos agora encardidos, com lama no rosto e cabelo. Os ganidos de Lillipup clamavam por socorro e as pegadas na lama sumiriam em pouco tempo com a chuva.
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Ter 11 Fev 2014, 14:11

Off: Ethan conhece sobre a História Pokémon e sabe pescar. Já visitou a praia de Jorvet XD



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


A viagem continuava, com novas surpresas. Parecia que a minha hipótese de arrancar informações de Ethan sem que fosse realmente um interrogatório estava dando certo. Hipótese comprovada por tese se torna teoria. Agora era hora de continuar assim. Ethan já havia ido em Jorvet Village, local que abriga uma das belas praias de Shinki. Lembrava de passar todo verão lá, na casa de praia de papai. Tomava pouco sol, mamãe nunca me deixava interagir totalmente livre sob a sua tutela. Era como se o ar que me rodeava fosse necessário para me matar.

Seguindo ainda em meio a chuva, eu achava graça ao ver o Lillipup, doce bebê que parecia brincar com a jaqueta do ruivo. Eu sorrir para ele e assim tenta imaginar nossa vida com o canino. O único problema seria Isaac, que pareceu não gostar do seu rival, mas que, pelo menos dormindo, se davam muito bem. Isso me fez querer pensar no futuro, quando terei meus Pokémon mais fortes para poderem ajudar-me em teatros e na ajuda para pessoas doentes.

Andando ainda sobre a rota, chuva e lama, eu estava diante de pensamentos futurísticos, unido com o temor do nada. Nada mesmo, afinal, só poderia ser coisa da minha cabeça, já que ninguém seria louco de passear pela rota chuvosa assim... Ou seria?

Ainda refletindo sobre o fato que me impulsionava verificar se estávamos sendo seguidos, um clarão surgia no meio da rota e para ser mais sensata, do meu lado. Um raio caia ao lado. Uma árvore começava a arder em chamas, assim como o peso do meu corpo batendo na densa lama no solo. Ethan havia me empurrado. Cada um caia de um lado da rota, e assim os galhos em chamas não me atingiam. Meu coração disparava, deixando-me atordoada. A cabeça, ainda zonza, tentava verificar se alguém estava machucado, sem se importar comigo.

Ethan parecia bem, afinal era homem, e tinha mais resistência. O clarão da rota continuava no meio do nada. Era as chamas da árvore dançando no meio da rota, como se fossem bailarinas rodopiando ao redor dos galhos, agora secos. Os latidos de medo do canino pareciam desesperadores. Eu começava a temer pelo bichinho e a minha mente parou.

De duas ir: ficar e esperar algo mais bem pensado ou ir para tentar garantir que o canino sobreviva ao ataque de não sei o quê. Era um dilema entre a razão e a emoção. O que eu escolhesse determinaria o destino de todos. Se o universo gostava de me caçoar, porque usar de um pobre bebê para isso? Engoli em seco e assim saia correndo no meio da rota, passando por tudo sem saber o que era que eu deixaria para trás.

Matas, chuvas, e bailarinas flamejantes eram deixados para trás, deixando-me mais nervosa. Não sabia o que eu poderia fazer, apenas sabia que teria que encontrar o Pokémon para poder salvá-lo. Mas de quê? Entraria em uma pugna sem saber quem eu iria enfrentar? Sensato essa ação não era, mas era o meu corpo reagindo em prol do bem da vida do Pokémon.

Cada passo, eu tentava me livrar de parte da lama que estava sobre o meu corpo, devido à queda. Deixava o cabelo para trás, sendo lavado pela chuva, e assim escorria a terra para baixo. A roupa que usava para proteger da chuva estava em minhas mãos, e eu a apertava visando disfarçar o nervosismo. Não via Ethan mais, apenas um luz alaranjada ao fundo, que eram as bailarinas dançantes.

Engolia em seco. De novo!

- Lillipup! – gritava. – Lillipup!- chamava pelo canino perdido na chuva. Seria isso o pressentimento?

Não sabia o que poderia fazer naquele momento, mas sabia que tinha que fazer algo. Em livros e mais livros de ficção, o mocinho sempre usava um Pokémon, mas não tinha um farejador e mesmo se tivesse um Flying, este teria problemas com essa tempestade. Corria, espalhando mais lama para os lados e tentando encontrar o canino e, concomitantemente, a criatura que o levou e provocava os granidos de medo, talvez dor, no bebê.

Engolia em seco constantemente, e assim eu recolhia ao ditado bem conhecido: não tem caninos, cace com felinos. Para a minha segurança, eu pegava a Pokéball e assim via Isaac, materializado em minha mente. Mas e se eu usar Isaac e ele for o próximo? Recolhia a Pokéball de volta ao meu bolso e continuava a busca...

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Qua 12 Fev 2014, 16:42

O medo era algo muito forte no coração de Sakura, enquanto a Stylist corria em busca de Lillipup. Ethan não estava por perto e, com aquele temporal, até mesmo o ruivo teria dificuldades em encontrar a garota. Por um momento a morena cogitou pegar Isaac, porém ainda mais medo se apossou de Sakura perante a possibilidade de seu gato ser o próximo alvo.

Um ganido fraco despertou a garota. A chuva deveria encobri-lo para seus ouvidos. Contudo sua preocupação era tanta que seu corpo parecia buscar pelo triste som que lhe guiava. Suas sandálias afundavam na lama a cada novo passo, sem, no entanto, reduzir a velocidade da morena. As dificuldades para enfrentar a chuva pareciam não mais existir. Todavia Sakura ainda corria sem rumo e o choro de Lillipup parecia ecoar em sua mente.

Quando uma risada acompanhou a dor do cão, a Stylist percebeu que haviam doidos para saírem em meio ao temporal e que ela não estava sozinha como pensava. Entretanto... A jovem parecia preferir estar sozinha naquele momento... Ou pelo menos que Ethan estivesse a seu lado. O ruivo certamente saberia o que fazer... Não é?

As bailarinas alaranjadas abandonadas e invisíveis de onde estava. Seus gritos pareciam nunca receber a resposta desejada. A risada doente dominando o ar a sua volta. Quando um raio riscou o céu negro e a luz arroxeada iluminou tudo, Sakura desejou não poder ver. A sua frente, uma Vulpix a mirava carregando Lillipup na boca pelo pescoço. Uma pata sobre a barriga do cão o mantinha firme no chão e, com um fechar de mandíbulas, a Stylist viu as patas do filhote caírem. A raposa, que parecia não se incomodar com a chuva, retirou suas presas da carne de Lillipu e mostrou-as para Sakura. A morena estava perdida e seus olhos acompanhavam o sangue escorrer das presas brancas e se perder na lama, assim como a vida do filhote que pretendia salvar e levar consigo. Estar sozinha seria bem melhor do que ver a triste cena e agora estar na mira de uma Pokémon que claramente era uma assassina nata.
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Qua 12 Fev 2014, 19:47




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


As principais regras de sobrevivência coagiam em nunca, na maior das remotas hipóteses, sair em um temporal como este. No entanto, parecia que toda e qualquer normal não fazia sentido em meio a uma rota, e se prendia apenas às lembranças da cidade e da época em que um regulamento era necessário em minha vida. Hora de levantar. Hora de comer. Hora da aula de piano. Hora da aula de canto. Hora dos estudos. Agora, era hora de desesperar?

Minha mente corria solta, vendo apenas vultos do que seria a imagem da rota caindo em águas. Pensei em hesitar e voltar. A companhia do ruivo seria mais agradável. Uma ou duas vezes pensei ouvir alguém. Pensei está acompanhada em meio ao temporal. Parecia que intuição feminina existia e era uma péssima descoberta, a julgar as circunstâncias.

Era difícil procurar um bebê em meio à tempestade, e o meu emocional não estava ajudando. Assim sou eu: um poço de emoção protegido por uma muralha de razão. Duas inimigas mortais que se perpetuaram ao decorrer da história e hoje estão ali, pressionando-me a realizar algum tipo de ação no qual nem eu mesmo sei qual é. A visão já era ruim. Na minha situação, parecia péssima. A falta de foco mantinha-se sobre mim. Queria mais nada, apenas enxergar Lillipup preso em alguma armadilha de caçador e não o canino sendo torturado por um caçador.

O que poderia ter no meio daquela chuva também era um incógnita. Meu coração tremeu ao ouvir a risada. Humana? Era ainda pior acreditar que alguma pessoa em sã consciência estava fazendo uma maldade daquelas com o filhote. Giratinistas? Não julgava as pessoas pela suas escolhas religiosas. Liberdade religiosa era um dos princípios constitucionais, no entanto, o direito de um se encerra quando começa o de outro e creio que os Pokémon estejam se enquadrando nessa situação.

Tentei me controlar mais, respirando firmemente e tentando pensar melhor. Era hora da razão fazer o seu papel e assim traçar um plano para poder sair dali com Lillipup. Todavia, as ações decorridas da emoção já foram precipitadas de tal forma que me colocou em uma encrenca.

Um lampejo de luz iluminava a rota novamente. Um relâmpago colocava em foco a minha visão e pareceu, ao fundo, que avistava as bailarinas flamejantes dançarem mais uma vez em meio ao espetáculo ao show de luzes. Pensei que tinha visto uma chama sorrir para mim, não entendi o porquê, mas ao ver a raposa de fogo a minha frente, meu coração temeu.

O bebê estava sendo prensado pelas suas mandíbulas, e por ser apenas um filhote era visto que ele não resistia tanto. Dei um passo tentando chegar até o Pokémon, mas foi nesse momento que a pata do canino caia no solo, sinalizando que a vida deixava o Pokémon.

- Não! – minha voz saiu pesada, como se algo impedisse-a que deixasse as minhas cordas vocais.

Mais um passo. Pensei que ainda era possível salvar a vida do Pokémon, usando de primeiros socorros. Mas ai a cara de Vulpix encontrava o meu olhar trêmulo e incrédulo, mesmo diante de tamanho fato. O que o Pokémon assassino faria comigo?

Outro passo. Era a hora da culpa! Mas não era pressão do momento, de fato a culpa era minha. Se eu tivesse levado o Pokémon comigo, na minha bolsa, talvez ele não saísse pela rota após o raio que invocou as bailarinas flamejantes. Se eu tivesse capturado, nesse momento o bebê estava dormindo em sua esfera quentinha. Se eu tivesse coagido a possibilidade de deixado em um lugar seguro, rotas atrás, nada disso poderia ter acontecido. “Se” era uma palavra pequena, mas de poder grande. Talvez se tivesse sido mais esperta, acreditado na minha intuição e alertado Ethan, nada daquilo teria acontecido.

Ajoelhava-se em meio a rota. Minhas pernas não me aguentavam mais. Era como se eu pesasse tanto que teria que colocar os joelhos ao solo lamacento buscando alívio de dor. Mas não era física. Era psicológica. Ergui a minha face para o assassino na minha frente e assim pensei: Pokémon riem como humanos?! Pokémon são ruins de natureza?! Ou essa personalidade se dá pelo fruto de criação de seus mestres?!

Qualquer uma dessas importunas perguntas poderiam ser reveladas com o tempo, porém, o tempo dela revelação não era essa. O corpo do Pokémon estava atirado ao chão e agora, no mínimo, o canino merecia ser enterrado com respeito.

Cada momento desses pareceu durar horas e horas, mas na verdade, aconteceu em apenas 3 segundos e lá estava a jovem stylist caída de joelhos ao chão diante do assassino que tirava a vida do Pokémon a sangue frio. Estaria sozinho? E se tivesse acompanhado? Poderia um pegar o bebê e outro o ruiv...

- ETHAN!


Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Sex 14 Fev 2014, 16:51

Sakura sentia medo correr por seu corpo. Seus passos lhe aproximaram do Pokémon assassino enquanto diversos Ses lhe torturavam, afundando-a em culpa. O sentimento cruel lhe tirava as forças do joelho, forçando-os de encontro ao chão. A chuva retirava a lama de seu cabelo, no entanto isso já não tinha importância. A risada macabra ecoava mais uma vez, tão humana quanto sobrenatural, arrepiando a menina.

Os olhos castanhos encontraram os negros da vulpix. A Pokémon ainda rosnava e suas presas ainda possuíam vestígios do sangue de Lillipup. Mille se questionava se pokémons poderiam ser naturalmente cruéis ou se a personalidade seria fruto da criação. A raposa parecia ler a mente da Stylist e sua boca parecia se curar em divertimento, respondendo a uma das perguntas da jovem: sim, pokémons podem rir do seu jeito... Poderia não ser uma risada como a de um humano, mas era claro em seu olhar para a morena que a raposa se divertia com o medo.

De repente, em somente alguns segundos, a mente de Sakura trabalhava e pensava em outras possibilidades. Sua preocupação com Ethan aflorava. Desde que saíra correndo, não sabia onde o ruivo estaria e o medo que ele tivesse sido pego tomava conta do seu ser. A garota parecia não notar que estava em sua situação de muito mais perigo. Suas pernas ganhando força novamente e lhe impulsionando de volta pelo caminho. Contudo, seus pés só foram capazes de dar um passo antes que um raio iluminasse o céu, iluminando a fonte da risada sádica.

Os olhos de Sakura miravam a ruiva a sua frente. O cabelo desgrenhado colando-se no rosto. Os olhos escurecidos e insanos. Os braços caídos ao lado do corpo. Em um deles, uma pequena pulseira branca de identificação. O sorriso nos lábios combinava com o som que ainda ecoava na mente de Sakura, mesmo os lábios não se mexendo para emitir nenhum som. A chuva torrencial parecia não ser notada. Como aquela mulher se aproximara tanto em tão pouco tempo sem ser notada?

- Veja, Bailarina, achamos mais uma boneca pra você.

Os olhos eram vazios. As palavras despertando a curiosidade de Sakura. Atrás de si, o pé de vulpix desceu silencioso sobre uma poça de água. A raposa estava atenta. Mais atrás, a morena notou um movimento e acompanhou os olhos da outra mulher. Seu coração quase parou com a cena. Encostada a uma árvore, o corpo de uma mulher claramente morta. Sua pele já azulada e sua boca roxa. Os membros caídos no chão com fissuras letais. A seu lado, uma Kirlia brincava de trançar os longos cabelos loiros. Como Sakura não percebeu isso quando chegou no local? Sua atenção em Lillipup lhe distraia tanto assim?
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Sex 14 Fev 2014, 18:54

Off: Que cena linda, a de Kirlia! *-*



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Era incrível como as hemácias circulavam de uma forma diferente os nossos corpo, enquanto estamos em total desespero. Parece que vemos essa máquina natural, o corpo humano, de outro jeito. Nossos sentidos, nos quais confiamos, parecem serem outros, de um jeito que nós não percebemos que eles poderiam mostrar-nos o mundo de uma perspectiva nova. A ciência, em mais avançada que seja, era capaz de prever tais mudanças? De fato já havia lido um ou dois artigos sobre isso, mas vivenciar tal situação era outra questão...

Uma chuva gélida já não era sentida pelo correr da adrenalina em meu corpo. As glândulas suprarrenais que eu possuía trabalhavam com toda a força. Parecia que o meu corpo estava trabalhando mais para manter constante a temperatura interna, e os meus sentidos haviam acabado com o sensor do frio do vento que ecoava ainda naquela rota. Sabia que chovia, pois os meus olhos viam as gotas se encontrarem no solo, mas a minha pele não a sentia cair, fazendo duvidar momentaneamente da capacidade de visão que tinha.

Na minha frente, uma raposa do tipo Fire, sobre o corpo do bebê Lillipup, sorria para mim, como se tivesse lendo a minha mente e ouvido as minhas perguntas sem sentidos naquele momento de tamanha frustração. Sentia-me culpada pela morte. Sentia-me desanimada pela vida. Era como se eu quisesse abraçar a morte na sua mais íntima aparição. Era simples, pequeno, até lindo. Mas assassino, psicótico e tenebroso. Confiaria no que os meus olhos viam, ou no que o meu coração sentia?

No entanto, mesmo na fila sendo a próximo a morrer, sentia que Ethan era quem corria perigo. Era um pouco cómico, afinal, o jovem ruivo era forte, suspeitamente poderoso, mas acima de tudo, sabia se cuidar. E eu, uma pobre garota que havia acabado de sair de sua cidade, preocupada com alguém assim... Talvez alguém riria da minha cara naquela situação, mesmo senso séria.

Meus passos seguiam pelo correr da rota, abraçando todo vento e toda calma. Parecia que eu não tinha uma percepção de lugar muito boa, já que eu não conseguia avistar ninguém ali no meio. Engolia diversas vezes em seco, e tentava focalizar Ethan no meio daquilo tudo. Parecia mais que eu me encontrava de um “olho do furacão” do que, necessariamente, em uma tempestade na rota 2.

Outro raio de luz. Uma mulher se transfigurava na minha frente, como se fosse um espírito demoníaco, uma ruiva estava ali, com uma pulseira branca – que foi a primeira coisa que eu notei nela – mostrando que havia saído de um hospital ou de alguma ala clínica. Ao seu lado, Vulpix se apresentava, deixando-me extremamente nervosa ao perceber que não havia os percebido ali quando estava à procura do Pokémon Normal.

Mas a cena mais constrangedora não fora essa! Logo atrás da figura eloquente, uma mulher de coloração estranha. Era loira, mas sua pele azulada e lábios roxos deixava a cor de cabelo a última a se notar. De certo o espírito da vida não pairava mais naquele corpo. Arregalava os olhos, deixando claro que não tinha forças suficientes para poder aguentar aquilo. Tamanha maldade concentrada em uma pessoa na minha frente. Mas a cena mais intrigante era um Pokémon bailarina, Kirlia, que trançava o cabelo da mulher já sem vida, como se fosse uma boneca grande. A mulher ruiva, que apresentava visíveis traços de insanidade, me candidatava como próximo boneca.

- Q-quem é você?! – atropelada pela minha própria língua, sentir muito medo daquela resposta que poderia ou não vir.

Saia correndo mais uma vez para longe daquele ser. Meus olhos estavam fechados. Meus pulsos seguros. Pareciam que iriam lançar para os lados muito sangue. Saia correndo fazendo de tudo para não pensar em nada, mas quanto mais desejava, mais a face do Lillipup e da loira vinham em minha face. Logo em seguida, a do Vulpix e Kirlia. Mas finalizava com a mulher ruiva de traços loucos...
Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Dom 16 Fev 2014, 16:55

A adrenalina corria pelo corpo de Sakura, impedindo que a morena sentisse a chuva ou encontrasse descanso. Seus sentidos de repente funcionando plenamente. O coração batia mais rápido do que a garota conseguia se lembrar. O pulsar parecia ser sentido no tímpano enquanto a risada insana ecoava no interior de sua mente, mais alta que os trovões... Sua pergunta pairava no ar, encontrando uma resposta que nada lhe dizia.

- Faltou o toc toc.

As palavras incoerentes eram acompanhadas pela risada e forçavam Sakura a parar de correr. Suas pernas lhe levaram para longe, porém parecia que não fizera diferença. Em um segundo, a ruiva ressurgia, com Kirlia a seu lado. A primeira boneca esquecida em algum lugar na rota escura. Sakura observava, perdida, a mulher com quem quase colidiu e que lhe tirava todas as forças sem nem lhe tocar. Suas pernas tentaram lhe levar de volta, na esperança de que a Pokémon psíquica não a achasse com seu teleport. Entretanto tudo que seus pés encontraram foram um buraco vazio. A queda foi inevitável. A dor lhe dizia que tinha torcido o tornozelo. Provavelmente nada sério. A lama lhe cobria a face mais uma vez. A sua frente, o vulto de vulpix surgia através da água. O andar calmo e sem pressa, como se soubesse que sua vítima não poderia fugir.

Mais um trovão ecoou ao longe e um relâmpago iluminou o céu. A seu lado, Kirlia deixava os dedos deslizarem pelo cabelo preto, como se a analisasse. A Pokémon era linda, porém seu toque era gelado e a Stylist sabia que sua vida estava em jogo. A adrenalina e o medo lhe mandando afastar a Pokémon. A chuva sem ser sentida. O tornozelo dolorido e incapaz de aguentá-la aparentemente.

- SAKURA?!

Contrariando o destino, a voz de Ethan lhe atingia os ouvidos. Todavia a morena não tinha forças para responder e a voz parecia vir de longe, muito longe... A Stylist sabia que ele não a estava vendo. Não sabia como, mas simplesmente sabia... Sentia-se sozinha, deitada na lama, com frio, sob a chuva, mirando os olhos de sua possível assassina, enquanto os fios de seu cabelo deslizavam pelos dedos brancos.


off: ta tenso o suficiente? =)
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Dom 16 Fev 2014, 22:40

Off: Muito owo



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


A coisa estava ruim? Estava péssima! Diante daquela insana, cujos cabelos remetia os meus pensamentos para o de Ethan, eu logo percebia que toda e qualquer movimento que pudesse ser como efeito ofensivo poderia acabar não muito bem. Não conhecia a capacidade dela, mas sabia que os seus Pokémon estavam dispostos a matar, como fez com Lillipup e fez para com a loira usada ali como boneca. O que eu poderia fazer? Correr para avisar Ethan? Jamais deixaria o ruivo ali na rota, sabendo que eu poderia deixa-lo nas mãos da insana.

Mais do que isso, eu estava confuso, com medo – admito! – e sobretudo, me sentindo um lixo. Não pensava que a vida fora das leis e segurança de meus pais seria tão difícil. Eu senti que poderia ter escolhido errado, mas na realidade, era apenas o universo provando para mim que as coisas são como são e que a gente nasce para ser o que é. De fato, descordava com ele, mas ele estava disposto a fazer-me acreditar em sua premissa.

Tentando fugir da insana, lá estava eu correndo de buraco em buraco, tropeçado e caindo de novo. Se o kimono molhando não ajudava, imagina aquela rota repleta de erosões? Senti-me uma total inútil! Não tinha forças para defender-me da insana, quem dirá teria para proteger o gangster. Não poderia colocá-lo em batalha, mesmo sabendo que era bem forte. Até ele tinha os seus limites...

Ao erguer os olhos, senti a gélida mão da Pokémon tocar-me. Como? Teleport, claro! Significava que não tinha como fugir da mulher e de suas respostas ilógicas. A voz de Ethan era ecoado ao lado. Pensei em gritar, mas um pensamento veloz tomou posse do corpo todo, deixando apenas um fino som sair da boca. Se eu chamar Ethan, ou estaria levando a louca para ele ou ele para louca. De qualquer jeito, as coisas poderiam não acabar bem.

Diversos “Ses” tomavam conta da minha mente mais uma vez. E se Ethan conseguir vencê-la? E se Ethan não conseguir? Poderia o gangster ser morto pelos Pokémon estranhos? E se eu tentasse... Era fraca! Não tinha força para contra alguém de aparência assustadora. Só pelo Kirlia, poderia julgar que tinha muito experiência. O toque da Pokémon continuava sobre mim, como se tivesse me analisando cautelosamente... Seria sensato entregar-me para salvar o ruivo?

Mas e os meus Pokémon? Não queria machuca-los... Poderia ser uma derrota feia... Ou não... Diante de tantos pensamentos, a última coisa que eu poderia pensar veio: seria realmente os meus pais o real motivo de ter retardado a minha saída da cidade ou eu realmente não estava/estou pronta? Seria eu que passava aquele estado de garotinha que precisava ser cuidada? Seria por isso a preocupação dele? As minhas colegas riram quando diz que seria stylist e médica. Seria por que eu sempre mostrei uma menina frágil? Teria eu um espírito guerreiro?

Não mais! Não iria ser a garota indefesa que meus pais, amigas e até, talvez, Ethan enxergavam. Seria muito provável que era esse o motivo que levou Ethan a me seguir: me proteger do mundo que ele conhecia! Não poderia afirmar ao certo, mas sabia que deveria ser independente, e deixar essa subordinação para ser usada não por pena, mas por apresso. Estava na hora de deixar de temer e agir. Mesmo pensando no pior, pior mesmo era não tentar mudar. Se o universo queria me ferrar, prepare-se, eu não vou deixar.

- Não! – minha voz saia fria e, pelo incrível que pareça, calma.

Levantei-me toquei nas mãos de Kirlia, que me olhou estranhamente. Empurrei levemente a mão da Pokémon para perto dela mesma e assim levantava-me do solo, limpando o meu rosto lamacento. Engoli em seco e dei dois passos para trás, distanciando da bailarina que almejava uma boneca nova.

Erguia a mão direita, tremendo, com a esfera de Isaac nas mãos. Tremia tanto que parecia que eu não era capaz de lançar o Pokémon para a batalha. Tremia tanto que eu não conseguia focar a minha inimiga, isso é se Vulpix não entrasse em campo e só teria Serena para contra-atacar, o que não era uma boa ideia. Com a mão esquerda, segurava fortemente o meu pulso e assim parava de tremer. Não era uma treinadora ruim, apenas, nervosa.

- Isaac, por favor! – o raio escarlate surgia da esfera que estava sendo segurava firmemente. O Pokémon surgia com a sua cauda que mexia fervorosamente de um lado para o outro.

Meu tornozelo ainda doía. A queda não fora amigável. Não tinha como correr. Não iria levar a morte para Ethan. Era hora de resolver os meus problemas, sozinha. Isaac pressentia o clima pesado e, principalmente, a chuva, fazendo-o arrepiar de tal forma que deixou o gato bem incomodado, mas sabia que a situação era séria, embora continuasse com um sorriso mediano e sua cauda agitada.

- Isaac, preste atenção, essa batalha é importante, pois está em jogo nossa vida. – dizia para o Pokémon, que embora tivesse entendido bem, continuava do mesmo jeito. – Comece com o seu Fake Out no Kirlia e em seguida erga-se com Double Team, espalhando os clones em campo e deixando-o camuflado agora. Use evasiva caso ela tente acertar você e mantenha certa distância dela. – dizia para Isaac.

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Ter 18 Fev 2014, 14:55

     

Medo... Insegurança... Confusão...

Sakura estava perdida nas piores emoções e no pior lugar existente. A sensação de ser fraca demais para lutar, de que perderia se tentasse, do sofrimento que seus pokémons poderiam passar e, inclusive, o sofrimento que poderia ser infligido contra o ruivo, lhe faziam tremer por completo.

Fragilidade...

Será que era por isso que postergou sua saída de casa? Será que não estava preparada para enfrentar os desafios nas rotas do continente? Sempre falaram que o mundo fora das cidades era perigoso, mas mesmo assim a garota acreditava que conseguiria suportar os desafios. Todavia o destino se empenhava em mostrar que ela nem ao menos conhecia o nível de desafio que poderia encontrar... Não estava há 10 dias fora de casa e seu único momento de paz foi durante um torneio em Twister.

As risadas de suas colegas começaram a ecoar em sua mente, todas duvidando de sua capacidade. O medo de seus pais quando anunciou que seguiria viagem e a tranquilidade deles ao acharem que um cadete a acompanharia... Até mesmo a lembrança de Ethan parecia colocar em dúvida sua aptidão para se tornar uma Stylist. Será que o ruivo só via nela uma garotinha fraca que precisava ser protegida como todos os outros? Por isso resolveu acompanha-la?

Dúvidas e mais dúvidas dominavam a morena enquanto as gotas de chuva caíam ritmadas, formando uma triste melodia. Os olhos de Kirlia fixos nos seus. Uma bela Pokémon com o olhar mais cruel que a jovem já vira na vida. Nem mesmo os sequestradores do beco transmitiam tanta crueldade em seu ser. Entretanto, contrariando o medo e o tremer de seu corpo, Sakura impressionou a todos. Quando ouviu o chamado de Ethan, não respondeu.

Era hora de lutar.

A mão da psíquica era afastada de seu cabelo. Sua voz saia calma e baixa. Uma mão erguia a pokébola de Isaac e a outra tentava impedir que o pulso tremesse tanto. A morena sabia que a ruiva e a vulpix estavam por perto e rezava para que eles não entrassem na luta. A batalha já seria difícil só com um oponente. O tornozelo latejava e seus pés vacilavam em tentar mantê-la erguida, contudo sua determinação era, aparentemente, maior. Não iria mais ser protegida.

Skitty surgia em campo. Sua cauda estremecia nervosa e o Pokémon rosnava mostrando presas para a Kirlia. Sakura por um momento viu o mesmo comportamento de Jolteon. Um Pokémon naturalmente amistoso, mas disposto a dar tudo de si para proteger seu treinador. Assim era o elétrico e assim era Isaac. A garota sentia que poderia contar com o felino. O pelo rosado arrepiado por causa da chuva e a cauda tremendo baixa, em claro de sinal de tensão. Ele estava preparado.

Após os comandos, Skitty rapidamente avançou com seu Fake Out. O gato estava determinado a acertar, entretanto suas patas se fecharam sobre a lama. A psíquica havia se teleportado. Skitty aproveitou o deslizar na lama para recuperar o equilíbrio e espalhar seus clones em campo. O Pokémon estava determinado a não deixar que o mal atingisse a Stylist. No entanto cada clone seu encontrou outro da bailarina, que parecia simplesmente interessada em estuda-lo. A chuva ainda formando uma melodia, quase como uma macha fúnebre.

- Veja Bailarina, um miau miau... Não gosto de miau miau... Se livra dele?

A fala incoerente da ruiva chamava a atenção da morena. Se livrar de seu Pokémon? Mais medo atingiu o corpo de Sakura, enquanto Kirlia e seus clones sumiam uma vez mais, preparando o próximo ataque.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
100%, Status: +1 evasiness (4 clones em campo, incluindo a original)
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
100%, Status: +1 evasiness (4 clones em campo, incluindo a original)
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Ter 18 Fev 2014, 21:17




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Uma garotinha. Uma simples garotinha, que mal sabia andar com as próprias pernas, estava de frente de uma maluca insana, na qual demonstrava ter total desolação da razão e ampliava conforme eu conversa, ou tentava, com ela. A ruiva me lembrava de Ethan. Minha voz pediu uma ou duas vezes para chamar o ruivo, mas aquela batalha não era dele. Era minha.

Isaac se mostrava pronto para o combate. O gato rosado se assemelhava com o Joelton do gangster, no qual se mostra bem amigável, mas em batalha, protege o seu treinador com fervor. Eu ficava entusiasmada com tamanha consideração do gato, que mal foi capturado e já estava fazendo aquilo para mim. Mas, na verdade, eu não escolhi o Isaac. Isaac me escolheu!

Mesmo não sendo um momento tão oportuno, um sorriso de satisfação surgia na minha cara, agradecendo Isaac pelo empenho. A maluca me desconcentrava na minha gratidão. Suas palavras não pareciam ter coerência, mas para ela fazia todo sentido. Percebia que ela era um pouco lúdica, o que forçava tais palavras. Analisando melhor, quando a perguntei quem era, ela disse que faltou o “toc-toc”, o que significa que ela esperava o “toc-toc”, para depois perguntar, como uma brincadeira de criança.

Mesmo sendo pensamentos infantis, não poderia, de certo, julgá-los como incoerentes. Faziam conexões entre si. Só precisava olhar certo, para saber o que achar. Mas naquele momento, juntar preposições, conjunções e orações não iriam adiantar muita coisa, já que no final ela continuaria com aquele espírito de morte que aprecia me querer. No momento, concentrar no combate que se apresentava era a única coisa que eu poderia fazer.

Isaac tentava usar o seu golpe de alta prioridade, no entanto, Teleport fora uma saída eficaz. Fake Out falhou, e esse golpe seria fundamental para um bom começo. Agora Kirlia ressurgia. Tenebrosa, invocava vários clones, como Isaac. Agora, tinha um contratempo...

- Isaac, não se confunda! Use Foresight no campo, enquanto começa a correr em meios aos clones. Mande um quarteto de Shadow Ball contra a Pokémon Psychic, e continue distante dela. – dizia para Skitty, alertando para o fato de todos os clones usarem bolas negras.

Minha garganta falhava nas ordens, no entanto, ainda conseguia desempenhar um bom rendimento. Não sabia os próximos movimentos. Não poderia analisar a ruiva, já que ela não comandava o Pokémon. Kirlia fazia tudo sozinha, o que deixava a coisa mais tensa ainda...

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Qua 19 Fev 2014, 22:21

Sakura lutava contra o impulso de chamar Ethan. Por mais que o ruivo lhe fizesse se sentir segura, aquela luta era sua, não dele. Respirando fundo, a Stylist assistia seu Pokémon atacar, enquanto refletia sobre a pouca lógica que existia na insanidade da ruiva. Apesar de tudo, as falas remetiam a um pensamento infantil, mas não plenamente irracional.

A morena balançava um pouco a cabeça, rejeitando os pensamentos. Era hora de se concentrar na batalha. Sua vida e a de Isaac dependiam de seu foco no desafio. A risada de Margareth ainda tinha o potencial destrutivo de desequilibra-la quase tanto quanto sua aparência. Um relâmpago cruzava o céu e Isaac mirava seu Foresight, mas as Kirlias haviam desaparecido mais uma vez. O gato, assim como seus clones, mantinham os ouvidos em pé, esperando a Pokémon ressurgiu. Quando isso ocorreu, cada clone do gato tinha uma Kirlia a suas costas, preparando um Ice Punch. O Foresight era lançado e as ilusões sumiam, restando somente uma Kirlia e um Ice Punch mirado no verdadeiro Isaac.

Sakura gritou quando o punho atingiu seu felino. O pelo molhado era um convite para o gelo se espalhar com a velocidade que realmente fez. A Pokémon bailarina aproveitava a mão ainda sobre a cabeça congelada do felino e o acariciava, como se fosse um brinquedo seu. Entretanto não demorou para seu olhar se voltar para Sakura mais uma vez.

- Picolé de miau miau? Hummmmmmm... Parece gostoso, não é Mimosa?

A vulpix parecia repentinamente interessada na situação, o que deixava Sakura em pânico novamente. Sua mente trabalhava rápido para tentar entender como Kirlia achou o verdadeiro Isaac entre tantos clones? A resposta a atingiu como uma bala. Um, entre os inúmeros livros, lhe ensinara que aquela Pokémon podia sentir emoções e ver o futuro. Então, ela não seria facilmente enganada por um clone... Clones não tem emoções. São ilusões... E mesmo se tivessem, a Pokémon teria como saber o que aconteceria se atingisse cada um dos gatos com seu soco, descobrindo o verdadeiro assim. Os clones de Kirlia sumiram, a evasiva dela regularizava, tudo como previsto. Os clones de Isaac sumiam após o original ter sido atingido e o gato, que lhe escolhera como treinadora, estava congelado... Os joelhos de Sakura pareciam falsear e ter dificuldade em sustenta-la. Suas pernas pareciam querer ceder e leva-la de novo ao encontro do chão, mas a garota resistia.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
80%, Status: +1 evasiness, Frozen
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
100%, Status: Normal
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Qui 20 Fev 2014, 13:15




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Medo. Dúvida. Sentimentos ruins me sufocavam, como se eu tivesse sendo afogada na água que caia dos céus. Os céus choravam pela perda de Lillipup. Os céus choravam pela perda da loira. Os céus choravam pela perda de muitos pessoas que foram vítimas da insana. Sabia que não tinha muita coisa para fazer ali a não ser concentrar no combate. Era visto que era um combate precioso. Minha vida, em oposição a morte que rondava o local.

Isaac estava pronto para mandar todos os clones para longe. Kirlia, como sempre, surpreendia com o seu Teleport, mas o golpe não foi o suficiente para deter o golpe do gatuno rosado que dissipava as várias cópias em campo. Fiquei eufórica com aquilo tudo e então, logo via a roda da sorte mudar. Antes dos Kirlias sumirem, cada uma deferia um golpe gélido em cada cópia e assim os clones de Isaac sumiam. Mas não fora isso que me assombrou. Foi o fato de que Kirlia, a verdadeira, estava de frente do verdadeiro.

- As emoções! – sussurrava para mim.

Kirlia era um Pokémon que conseguia sentir as emoções. Mesmo sendo uma Pokémon como aquela, a capacidade vincada à espécie era visível. Ilusões não sentem emoções. Pokémon, de verdade, sim. Kirlia fechava a rodada com um forte Ice Punch, golpe que levou o Pokémon e ficar sob o gelo. Todo o corpo do gatuno estava coberto pela camada de gelo, que com força, tentava se livrar.

- Não! – dizia mordendo os lábios inferiores, e franzindo a testa, além de apertar com força as unhas em meus pulsos. – Serena, preciso de sua ajuda.!

Uma segunda esfera aparecia em campo. Um raio escarlate surgia. Uma força do meio da chuva densa resplandecia. Serena, em sua forma mais inocente, avistava o seu parceiro congelado, deixando claro que não estava entendendo nada. Mas não precisava! Ao ver a louca, em suas gargalhadas em sincronia aos raios e a cara misteriosa e medonha da Kirlia, a Pokémon corria para o lado de seu parceiro, deixando claro que estava ali para o que dê e vier. Um obrigada tentava sair da minha boca...

- Serena, vamos lá! – dizia aplicando a TM Double Team sobre a Pokémon Grass, golpe que para a Kirlia era inútil, mas eu saberia aproveitar disso. – Serena, corra em direção de sua oponente enquanto usar Double Team. Se Kirlia desaparecer, reúna os seus clones em um Protect, tentando proteger Isaac também, caso ela ataque, use um clone para receber o golpe, de propósito, e surpreenda-a com um Energy Ball. – dizia para a Pokémon. – Isaac, saia daí! Use Shadow Ball para tentar romper o gelo, como é do tipo normal, não irá receber o efeito do golpe. Em seguida, use o seu Tackle, se conseguir, em Kirlia. – finalizava.

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Sab 22 Fev 2014, 23:20

O medo parecia um amigo intimo se recusando a abandonar o corpo de Sakura. A chuva convidava a garota a abaixar os olhos, abandonando a difícil batalha. A visão era turva, apesar da adrenalina correndo pelo corpo. Quando Isaac foi congelado, a morena mordeu o lábio inferior e franziu a testa. Mesmo sempre prezando pelos duelos limpos e justos, respeitando as regras, a morena lançou sua segunda pokébola. Quando percebeu, Serena estava ao lado de Isaac, pronta para a luta. Um simples obrigada parecia ser exigente demais. Sakura seguia seus instintos e ensinava Double Team, pensando em um meio novo de utilizar o ataque.

- Sakura!

Quando a garota percebeu, Jolteon colidia no ar contra Vulpix, ambos rolando para longe da morena. Os rosnados eram animalescos e os dois se enfrentavam com mordidas e arranhões, ambos estudando o adversário, a espera da hora certa para atacar. O elétrico parecia sentir que a raposa era forte e seu golpe mais forte lhe deixava com a guarda baixa... Se errasse, estaria perdido... Voltando os olhos para Chikorita, já que não poderia perder muito tempo naquela batalha, a Stylist comandava novos ataques. Entretanto, quando deu um passo para trás após ensinar Double Team para Serena, a Pokémon grass foi surpreendida por uma Ekans que surgia de um dig. A serpente se enrolava em Serena, sufocando-a. Sakura gritava assustada. Contudo, antes que pudesse correr para ajudar sua Pokémon, Ethan a alcançava e a abraçava pelos ombros, segurando-a. Meowth, por outro lado, corria e saltava sobre a Pokémon cobra, arranhando-a nas costas e a obrigando a liberar a Chikorita.

- Ahhhhhhhhhhh... Outro miau miau? Não gostei! E aquele menino quer roubar a boneca Bailarina, não podemos deixar!

A fala da louca mais uma vez demonstrava alguma coerência e insanidade ao mesmo tempo. Os rosnados de Jolteon e Vulpix ainda preenchiam os ouvidos de Sakura, assim como o Protect de Serena impedindo o ataque de ekans contra si e contra o Meowth. Apoiada em Isaac, Kirlia parecia se divertir com a expressão de Sakura. Nem mesmo os braços do ruivo lhe dando alguma proteção parecia lhe acalmar naquele momento. A única visão que pareceu dar alguma esperança para a jovem, foi a do gelo se quebrando com o Shadow Ball de Isaac. O gato estava livre. Kirlia usou seu teleport no primeiro momento, fugindo dos vestígios de gelo e rapidamente usou outro Teleport para desviar do Tackle. O golpe quase a atingiu e a reação rápida do felino conseguiu desmanchar o sorriso debochado da Pokémon.

Sakura tentava não se distrair, todavia era complicado pensar na luta de Serena e Meowth contra Ekans, Issac contra Kirlia, ainda mais com o som de trovões acompanhando os rosnados de Jolteon e Vulpix. Ao mesmo tempo, a morena pensava na possível complicação do aparecimento do ruivo. A louca parecia querer se livrar dele, como a Stylist previra. O ruivo, por outro lado, parecia já cansado, talvez de procura-la pela rota 2 em meio ao temporal.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
80%, Status: +1 evasiness
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
100%, Status: Normal
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Dom 23 Fev 2014, 15:05




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Kirlia era um Pokémon muito lindo! Era perfeito para apresentações que envolviam danças e charme. A Pokémon poderia, certamente, desempenhar o papel perfeito e assim poderia ser perfeito. Embora isso tudo fosse verdade, o simples fato da Kirlia ter uma tendência psicopata era de se jogar fora toda a concepção que já possuía da Pokémon. Aquela, diferente das habituais, era medonha, parecendo, visivelmente, doente e aquilo apertava muito o meu coração, que não me deixa olhar para a Pokémon sem um sentimento de repreensão. A louca não ficava atrás também! Possuidora de um raciocínio bem diferente das demais pessoas, a ruiva ficava lá, rindo e rindo.

Aquela chuva estava sendo traiçoeira. Meus pés fraquejavam. Meu coração temia. Isaac congelado era tudo o que eu não queria. Eu não sabia do Ice Punch, mas algo me dizia que manter a distância era melhor ainda. Sentir-me uma completa inútil, já que mesmo mantendo a distância, selava o meu Pokémon daquele jeito. Serena assumia o campo e assim levava tudo mais sério do que o gato, embora este estivesse, todo o tempo, me protegendo. Mas a minha alegria, ou tristeza, fora ver o selvagem Joelton de Ethan avançar contra Vulpix, caindo ao lado entre rosnados, arranhões e mordidas. Ethan estava ali!

Próximo de mim, o ruivo conseguira me encontrar em meio daquela tempestade. Sabendo disso, eu me sentia mais leve, voltando aquele estado de garotinha indefesa que não consegue nada sozinha. Estava pronta para me jogar ao chão e chorar pela perda de Lillipup. Mas, ao invés disso, eu fiquei parada. Sim! Fiquei parada porque eu não poderia reagir daquele jeito. Era uma batalha poderosa, até mesmo para o pseudocadete. Mesmo levando isso em consideração, meus pés queriam que eu descansasse, mas eu não deixei.

Preocupada com o ruivo, que estava ali, mais uma vez, por mim, eu voltei para a batalha. O mínimo que eu poderia fazer era auxilia-lo na batalha contra a Ekans que até agora eu não sabia que existia e batalhar, sozinha, contra a Bailarina infernal. As bailarinas de chamas que eu havia visto há metros atrás eram lindas comparadas aquela forma medonha na minha frente. Isaac se libertava do gelo, felizmente, no entanto, Teleport era o nosso maior inimigo naquele momento, no qual não deixaria o meu Pokémon tocar na bailarina. Embora usasse os clones, a habilidade natural da Pokémon iria localizar o verdadeiro...

- Serena, ajude Meowth a derrotar a Ekans. Use o seu Double Team para confundir o seu oponente e em seguida, use o seu Protect para proteger-se assim como o felino de qualquer golpe de Ekans. – dizia para a Pokémon Grass.

O peso da água em meu corpo apertava-me contra o solo. Até então, eu não sabia o que fazer a não ser me preocupar com os meus dois Pokémon. Era Ekans de um lado. Kirlia a frente. Vulpix ao longe.

- Isaac, eu sei que ela conhece o verdadeiro, mas vamos continuar nisso: use Double Team mais uma vez. Corra na direção de Kirlia e preste atenção nos movimentos dela. Se ela conseguir lhe atacar, use um clone como defesa e salte usando um Tackle surpresa nela. Caso ela se teleporte, prepare um Shadow Ball e segure, lançando apenas quando ela reaparecer. – dizia para a Pokémon.

Double Team era um golpe nulo? Apenas os clones poderiam ser descobertos, mas era um golpe que aumentava a evasion do Pokémon normal. Já Kirlia não tinha tanta sorte, já que o golpe de Isaac iria normalizar, sempre, a evasion da bailarina.

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Qui 27 Fev 2014, 11:15

O coração de Sakura batia em uma profusão de sentimentos. A presença de Ethan parecia, por um momento, retirar o peso dos ombros da Stylists e um convite para que se entregasse ao choro pelo pequeno Lillipup. Entretanto a morena resistiu ao impulso. Jolteon ainda lutava sozinho contra Vulpix. Uma esfera verde voou atrás de Sakura, destroçando uma árvore. A raposa conhecia um movimento muito efetivo contra o elétrico e ele estava impossibilitado de usar seu ataque mais poderoso, já que se não conseguisse derrubá-la com somente este ataque, estaria fragilizado depois. Sem Jolteon, Ethan tinha Lotad... O pequeno Pokémon conseguiria enfrentar um dos pokémons talvez e, por alguma razão, o ruivo não o colocava em cena. Entretanto Lotad também não seria capaz de enfrentar os outros dois pokémons da louca e Meowth ainda não havia sido treinado verdadeiramente... Ethan precisava de Sakura naquela batalha em que se envolvia para protege-la.

Ethan não falava brincando, só comandava seu Meowth com a agressividade já característica de sua luta. Sakura nunca o viu em uma batalha em que não estivesse incrivelmente preocupado ou correndo risco de vida, porém este era mais um pensamento que, apesar do desejo de explorá-lo e tentar descobrir se seu destino ao lado do ruivo seria sempre assim, a garota optou por enterrar momentaneamente. Ignorando também o fato de sua mente querer diferenciar aquela Kirlia das demais, a morena comandava tanto seu Skitty quanto sua Chikorita.

Serena usava seu Double Team e Ekans sumia no subsolo, preparando-se para o ataque. Apesar dos clones, a Pokémon Grass e o felino ficaram sem saber o que fazer até que a serpente surgiu, derrubando Meowth sobre um dos clones da Chikorita. A serpente aproveitava o buraco já aberto para sumir mais uma vez da vista da dupla, aparentemente brincando com os dois. Sob os olhos de Ethan, Meowth parecia se tencionar, aguardando o momento certo para o contra ataque.

Enquanto isso, Sakura inovava na utilização do Double Team. Kirlia poderia ver através dos clones, porém isso não os descartava por completo em sua estratégia. Os diversos Isaacs surgiam e em igual proporção surgiam diversas Bailarinas. O felino rosnou perante a visão, insatisfeito, porém mesmo assim avançou contra uma das adversárias. Quando a primeira Kirlia avançou para o ataque, o clone do gato se lançou em sua frente e, devido a colisão, ambos sumiram em pleno ar. Um a um os clones de Kirlia atacavam e um a um os de Isaac sumiam contra atacando e protegendo o verdadeiro, enquanto o verdadeiro tentava descobrir qual dos clones era a verdadeira Kirlia. Enquanto perseguia clone por clone da adversária, o felino ficou com a guarda baixa e não conseguiu evadir por completo do Charge Beam que voava em sua direção, revelando assim a verdadeira Kirlia. Sem mais clones para lhe proteger, assim como Kirlia não tinha mais clones para lhe ocultar, o felino avançou dessa vez contra a adversária correta, tentando atingi-la com seu Tackle. A bailarina, em uma pirueta, desviou um pouco do golpe e conseguiu se manter em pé para pegar o gato pelo rabo, irritando-o. Sempre que ele tentava se virar para atingi-la, ela saltava e pulava para o lado, garantindo que sempre estaria atrás do gatuno e longe de sua cabeça. Quando o gato parava de tentar, Kirlia puxava um pouco a cauda do mesmo, provocando-o.

O medo de Sakura era acompanhado pelo som da voz da louca acompanhado do uivo do vento. Levantando os olhos, a morena percebia que a mulher tinha nos braços o corpo de Lillipup e agora brincava de escová-lo, alegando que ele deveria ficar bonito para brincar com a boneca nova da Bailarina dela. Incoerência e insanidade... O coração de Sakura parecia esquecer o alivio e se afundar mais uma vez no pânico. Seus olhos lhe pregando peças e a morena já imagina seu amado Isaac na situação.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
62%, Status: +2 evasiness
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
93%, Status:  +1 Evasiness
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Sex 28 Fev 2014, 23:14

Off: Swift no lugar de Tackle.



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


A batalha continuava naquele campo molhado. Diante dos golpes trocados, o meu foco estava essencialmente na batalha. Nunca fiquei tão vidrada quanto ficava em algum ótimo livro. Meu coração palpitava em todo e qualquer movimento que se caracterizava um pouco acima do comum. Às vezes, por uma pequena fração de segundos, eu mentalizava o pior na frente. Os clones se chocando. De fato, não esperava que a rota 2 fosse tão perigosa quanto estava sendo...

Ethan estava ao meu lado... Digo, estava perto de mim. Os olhos verdes do gangster pairava ora o seu Joelton atacando o Pokémon alaranjado, ora o seu felino, golpeando Ekans. Era visto que a cobra era habilidosa e dava trabalho para Serena e Meowth. Mas não era para menos: meowth ainda era um Pokémon que não fora treinado e por isso não sabia muita coisa, enquanto Serena se encontrava em uma posição não tão diferente.

A coisa complicava era no meio daqueles dois encontros. Isaac dava tudo de si, enquanto a bailarina brincava mais uma vez com o gatuno. Não entendia porquê, mas a batalha do felino parecia ser a mais importante dali. Eu parecia me enfocar mais nela. Kirlia não recebia comando nenhum, o que me assustava, pois ela realizava os movimentos como uma verdadeira gladiadora. A louca me assustava com o seu riso, falas incoerentes. Eu queria calá-la, mas era apenas uma vontade descabida, pois sabia que nunca iria chegar perto dela e que a batalha que se sucedia era para distanciar dela.

Isaac começava com os seus clones novamente. Via cada Isaac se materializar em campo e assim via que a Pokémon bailarina já havia identificado o verdadeiro. Os clones de Kirlia surgiam e assim se lançavam contra os de Isaac, e um anulava o outro. Charge Beam e Tackle surgiam em campo, mas nenhum acertava por completo o outro, mas eu sabia que aquele Charge Beam era poderoso, ainda mais em presença de chuva.

Não poderia atacar diretamente, afinal, naquele meio, a chuva ajudava a Kirlia em todos os sentidos. Era Ice Punch, que usava da água para congelar mais fácil. Era Charge Beam que se intensificava melhor em presença aquosa. O que mais poderia vim? Presenciava mais uma vez a batalha de Serena e Meowth, que estavam tendo bastante dificuldades. Peguei a minha TM Double Team e fui até o felino.

- Aqui! – ensinava o golpe rapidamente ao gatuno. Nada que fosse decisivo, apenas para dá uma vantagem qualquer. – Serena, use Double Team mais uma vez e disperse a atenção da Ekans. Em seguida, use o seu Razor Leaf na Pokémon, caso ela se esconda, lance direto no buraco, ou espere ela reaparecer.

Serena estava em desvantagem de tipo. A Pokémon poderia facilmente ser envenenada pela ofídia, que parecia poderosa. Temia se ela fosse a sua forma evoluída, Arbok. Joelton estava mais longe. Depois de rolar tanto com Vulpix, nada eu poderia fazer para dá uma vantagem ao Pokémon. Já Isaac, poderia.

- Isaac! – chama o gatuno, enquanto retirava outra TM: Swift. Além do golpe que ensinava, ainda dava duas oran berries para o felino rosado, que pareceu comer com gosto, mas assim que terminou, voltou a se virar contra Kirlia. Ele queria a vitória. – Isaac, corra em direção a Kirlia, do mesmo jeito e assim que chegar perto use Double Team novamente. Mesmo esquema: use os seus clones para receberem os golpes por você e assim que Kirlia for te atacar, não deixe, use os clones. Use Swift pelo campo, girando a sua cauda para concentrar muitas estrelas douradas e assim, mesmo que ela use Teleport, seja pega pelas estrelas que estarão girando em campo. – dizia para o gatuno.

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Seg 03 Mar 2014, 11:17

Concentrada principalmente na batalha de Isaac, Sakura sentia o desejo de calar a ruiva que ria insanamente se misturar ao medo perante a situação. A vantagem clara da pokémon dançarina e seu jeito de lutar perfeito para um Gladiador tornavam a batalha a mais exigente que a garota já presenciara. Nem ao menos na tv lembrava-se de ser transmitido algo com aquela violência. O controle de conteúdo era severo demais aparentemente.

Com a cauda ainda presa pelas mãos da Kirlia, Isaac não pode correr até Sakura quando esta o chamou, o que forçou a Stylist a se aproximar. Ethan logo a chamava de volta, alegando não ser seguro se aproximar da psiquica, porém a morena mesmo assim ensinava um ataque novo para o gato e lhe entregava duas Oran Berry. Enquanto o gato comia, a jovem mirou nos olhos de Kirlia. A pokémon parecia não se importar com as frutas, como se dissesse para a garota que isso não faria diferença na batalha. Quando o gato terminou de correr, sentiu o puxão tradicional em sua cauda irritando-o.

O felino tentava correr na direção de Kirlia, porém essa continuava saltando e o puxando pela cauda, o que irritava o gato a proporções nunca antes vista. Quando o Double Team surgiu, não fez nenhuma diferença, já que a pokémon estava desde o começo agarrando o verdadeiro. O felino esperneava e fazia de tudo para alcançar a pokémon e atacá-la, sem nenhum sucesso. Por não conseguir girar a cauda como ordenado para usar o Swift, acabou não usando o ataque e a Kirlia optou por usar um Double Team também, assim seus clones infernizavam o clone de sua presa, permitindo a ele uma visão do que lhe acontecia e o enfurecendo mais ainda, se é que era possível.

Do outro lado, após ensinar Double Team para Meowth e ser agradecida por Ethan pelo novo golpe, ambos os pokémons usavam o mesmo ataque, confundindo a serpente. Seria uma surpresa quando ela surgisse em terra, o que não demorou para acontecer. Ekans acabou mordendo um dos clones de Serena, que se desmanchou em sua boca. Para a sorte da serpente, ela conseguiu mergulhar de volta no buraco pouco antes do Razor Leaf a atingir. Aproveitando o túnel, a serpente se preparava para envolver Meowth em seu abraço mortal, porém, quando surgiu mais uma vez, encontrou outro clone. De guarda baixa, a cobra não conseguiu desviar do Scratch que lhe mirava nos olhos. A julgar pelo olhar, a serpente estava muito irritada.

- Veja totó, Bailarina gostou de brincar com o miau miau. Você quer um miau miau pra brincar com você?

A louca conversava com o corpo de Lillipup em seus braços, o que arrepiava Sakura. Já não bastasse a tensão do momento, assistir a cena mórbida destruía qualquer chance de pensar racional ou mesmo calmamente no desafio.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
82%, Status: +3 evasiness (3 clones em campo mais o original)
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
93%, Status:  +2 Evasiness (3 clones em campo mais o original)
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Qui 06 Mar 2014, 11:52




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Mesmo sobre forte pressão eu não me amedrontava. Embora o medo fosse parte de mim! Era difícil me descrever naquele momento em que a emoção luta contra a razão e todas convergem para um único bem: segurança. É da minha espécie busca segurança quando se sente ameaçado. Naquele momento, a segurança não era correr, já que Teleport mostrou-se muito importante nessa parte. Mais do que isso, segurança naquele momento era vencer o combate que se erguia com força, e pior, sem ajuda da louca, que continuava a rir maleficamente e a gritar em harmonia – ou seria desarmonia – com os trovões.

Naquele momento em que tudo fazia parte de uma imensa escuridão, eu pensava mais uma vez no universo. Universo, este, que estava aprontando comigo desde que decidi desafiar os meus pais. Assim, agora estava eu enfrentando um demônio que se caracterizava na forma bela de um Kirlia. Lá se ia a minha vontade de ter uma Kirlia, e ficava a raiva e o ódio de ter que encarar aquela figura desalmada em minha frente.

Isaac fora pego pelas manobras engenhosas da Pokémon psychic, e assim começava a ficar com raiva e mais raiva. A Pokémon bailarina continuava a brincar com a cauda do gatuno, que não gostava nada daquele submissão à forma “atlética” da Pokémon da ruiva. Joelton, Serena e Meowth estava dando tudo de si, principalmente o canino trovão, que tinha um golpe poderoso, mas que não poderia ser usado à toa naquele momento tão tenso.

Isaac era impedido de usar todos os seus golpes, afinal, com a cauda presa e com ordens de invocar um furacão de estrelas cadetes, o Pokémon não tinha muito para onde ir. Kirlia conseguia deixar Isaac mais nervoso ainda, pelo fato de ter invocado seus clones para atentar os clones do gatuno rosado, que a cada passo ficava mais furioso com o que estava acontecendo.

- Isaac, concentre-se. Não deixe que ela tire proveito de sua raiva. – dizia para o gatuno enquanto este parecia furioso por ter sua cauda, brinquedo seu, sendo alvo de manipulação.

Naquele momento eu deveria usufruir de uma estratégia melhor, só que eu trabalhava com certezas, e em minha mente havia apenas planos de possibilidades. Era difícil alguém como eu usar da sorte para sair dali com alguma coisa descente. Olhei para Ethan, procurando uma resposta. O olhar do ruivo se encontrava ao meu, e talvez ele fizesse uma expressão “o que foi?!”. Uma coisa Ethan tinha em seu estilo de combate: um estilo confiante. Embora os movimentos dos Pokémon dele fossem quase perfeitos, eram combinações que poderiam dar certo ou não.

Os clones se espalhavam em campo, tanto de Isaac e da bailarina, como de Meowth e Serena. A Batalha estava tensa para todos e naquele momento era hora de coordenar naquela batalha usando das possibilidades e esperar que a sorte esteja comigo, pelo menos em situações como esta.

- Isaac, permita que Kirlia continue lhe atrapalhando, mas use outro Double Team para confrontar os seus oponentes. Deixe o campo com mais clones que Kirlia, para que os clones comecem a atentar os clones da Pokémon bailarina. Em seguida, quando a Pokémon voltar a “brincar” com a sua cauda, lance dela um Thunder Wave direto nela. – sabia as consequências daquele movimento, no entanto, eu teria que buscar a sorte agora. – Serena, use o seu Energy Ball contra Ekans. Lance no buraco se ela conseguir fugir por ele, causando um desmoronamento ai. Em seguida, quando ela sair, use o seu Tackle nela, e lance-a longe. – dizia para a Pokémon.
Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Dom 09 Mar 2014, 14:37

Kirlia parecia muito entretida em ficar puxando a cauda de Isaac e vê-lo se irritando, porém ainda prisioneiro do aperto. Quando o felino usou mais um Double Team, a psíquica o imitou, igualando o número de clones e mantendo equilibrado o atentado entre as cópias. Por um momento os clones pareciam travar uma batalha mais movimentada do que os originais, entretanto Sakura sabia que era somente uma ilusão. Quando o gato parou mais uma vez de lutar, Kirlia não resistiu a mais um puxão em sua cauda. Pela primeira vez satisfeito com o ato da outra, o felino fez o ordenado e lançou o Thunder Wave contra a adversária. As ondas elétricas percorreram o corpo da pokémon e a obrigaram a soltar a cauda do rosado. Um pequeno brilho rodeou o corpo da pokémon e, em seguida, sua habilidade replicava a condição, rodeando o corpo do felino com os mesmos raios amarelos. A fúria no olhar da bailarina não poderia ser descrito diferentemente de insano e cruel. Não eram olhos de humanos ou pokémons... Em um esforço para vencer a paralisia, Kirlia usou seu Confusion, arremessando o gato contra os galhos de árvores. O pelo todo apresentava marcas de arranhões após as colisões e por muito pouco o olho do felino não havia sido furado. Caído na lama ao lado da árvore, Skitty se reerguia. Longe dele e com os raios amarelos lhe atormentando o corpo, Bailarina caia de joelhos na terra molhada. Seu olhar ainda enfurecido.

- Ahhhh.... Bailarina não gostou. Miau miau não sabe brincar e não vai mais brincar. - A louca reclamava da condição que era imposta a sua pokémon.

A chuva ainda castigava a dupla e o escuro da rota atrapalhava um comando melhor aos pokémons. Sakura queria luz, porém quando a recebeu, um pequeno remorso correu seu corpo. A suas costas, um feche luminoso lhe permitiu a visão completa da ruiva com o corpo de Lillipup nos braços. Remorso dominava o seu ser. Cedendo por um milésimo de segundo à curiosidade, a morena olhou para trás, em busca de Jolteon. Sabia que a luz viera de algum ataque elétrico do pokémon e queria ver se o mesmo estava bem.

A cena não lhe agradou...

O canino mancava da pata dianteira direita e estava incrivelmente lento. Vulpix, por outro lado, tinha o pelo escurecido devido ao ataque elétrico e também respirava com dificuldade, além de apresentar agulhas amarelas espalhadas por seu pelo e um olho fechado. A pata machucada de Jolteon sangrava e os dentes de Vulpix também. A luta dos dois era violenta e Sakura virou os olhos, receosa em mirar mais agressividade do que a infligida contra Isaac e Serena naquele momento. Assim que se livrasse de Ekans e Kirlia, voltaria para ajudar o elétrico, mas até este momento só poderia rezar para que ele aguentasse.

Do outro lado, Ekans também apresentava um olhar nada amistoso. O scratch em sua face parecia ter indignado a serpente. Nenhum daqueles pokémons parecia estar acostumado a ser confrontado... Quando Serena lançou seu Energy Ball, a serpente evadiu mergulhando no buraco. Chikorita e Meowth esperavam o surgimento para contra atacar, todavia previram o alvo errado...

Quando Ekans ressurgiu em campo, estava a poucos centímetros de Sakura e mirava o rosto da Stylist. O Toxic foi lançado e claramente seguia contra seu alvo. A morena olhou perdida as presas da cobra tão perto de si e nem ao menos notou o puxão em sua roupa que lhe derrubou no chão e, sem querer, arrancou alguns fios de cabelo. As mechas pouco importavam. Sua visão ficou detida em Ethan sendo atingido nos olhos. A garota não conseguia entender como ele não desviou. Para a jovem tudo parecia ter passado de forma tão lenta que a velocidade do gangster deveria ter sido suficiente, contudo sua mente sabia que não demorara mais do que dois segundos. Ethan a salvou de correr o risco de perder a visão com o veneno, mas agora era ele quem precisava de tratamento imediato. Toxic nos olhos poderia deixar um humano cego...

Serena e Meowth mergulharam contra Ekans, usando Tackle e Scratch,afastando a serpente do casal. A louca reclamava que a boneca de Bailarina deveria ficar inteira pra ela brincar e que Fofinha não deveria estragar o cabelo dela. Sakura só via o ruivo caindo sobre os joelhos, com a mão nos olhos, a pele arroxeada na região atingida pelo veneno, respirando com dificuldade e claramente tentando recobrar a noção do que acontecia ao seu redor para seguir a batalha. Meowth não sabia lutar sozinho ainda e parecia receoso sobre o que fazer, ao mesmo tempo em que desejava continuar combatendo e proteger (ou talvez vingar) Ethan.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  300
Skitty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
50%, Status: +4 evasiness, paralisado, arranhões pelo corpo (7 clones em campo mais o original)
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
93%, Status:  +3 Evasiness, paralisada (7 clones em campo mais o original)
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Seg 10 Mar 2014, 18:12




♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Em vez de realizar movimentos corretos e bem lógicos, usava de uma forma mais variada de uma batalha Pokémon. Assinava, naquele momento, um contrato com o universo que dizia que venceria aquele que tivesse mais sorte, já que a força estava claramente com os Pokémon insanos da insana. Diante desse quadro nada agradável, aprendia que as batalhas nem sempre haviam sido feitas para serem amigáveis e ser amigável com o inimigo poderia deixar sérias sequelas. Até agora, não havia sentido essas sequelas...

Isaac estava furioso com a bailarina, que se divertia mais com o ocorrido. Ficar puxando a cauda do gatuno o deixava furioso o bastante para poder querer matar a Kirlia, no entanto, era difícil até tocar naquele Pokémon. Eu via isso, e, embora tivesse sentido a dor psicológica de Isaac, só poderia lançar os dados da sorte. Naquele momento vários clones se espalhavam pelo campo. Era como se os clones seguissem a cena principal: um atentando o outro, um batalhando contra o outro. Era terrível aquela cena, pois Isaac se chateava. E eu ainda mais.

Quando a Psychic tocou na cauda do felino mais uma vez, ai veio a surpresa: o flash do Thunder Wave corria em direção a Pokémon e assim ela toda ficava eletrizada e paralisada. A situação, como prevista, se deu em Isaac que ficou todo paralisado devido a habilidade especial de Kirlia: Synchronize. Naquele momento, era hora de ver o quanto sorte teríamos, mas parece que o universo não queria saber de me ajudar e naquele momento Skitty era lançado com toda força contra uma árvore ali, caindo no solo, arranhado e ferido. Os clones continuavam a guerra!

Naquele momento algumas cenas foram totalmente confusas para comigo. Estava chovendo e a escuridão da nuvem pairava sobre o local, deixando tudo ali escuro. Era terrível como a natureza trabalhava para trazer o equilíbrio de volta. Todavia, o meu equilíbrio interior estava abalado, mesmo em uma batalha junto ao Ethan. Por falar nisso, mas uma vez a visão da louca brincando com o corpo de Lillipup era mostrada a mim, buscando me assombrar. Em vez disso, sentia-me enjoada. Não queria vê-la mais, no entanto, teria que vencer esta pugna se quisesse sair dali bem.

Ekans sumia novamente em campo. Ali, o Pokémon cobra conseguia fugir da esfera luminosa de Serena, e dos clones dela junto ao de Meowth. Era um verdadeiro exército de clones em campo, todos esperando a venenosa aparecer. Mas contrariando as previsões de todos, inclusive a minha, Ekans não surgiu para atacar Serena ou Meowth, e, sim, para me atacar. Um susto tomei ao ver a boca da serpente se abrir de tal forma que poderia engolir a minha cabeça. Mas não teria essa sorte, muito pelo contrário, a serpente estava pronta para ejetar um veneno em mim. Aquele líquido viscoso roxo era bem conhecido no meio médico: Toxic. O veneno saia lentamente, pelo menos para os meus olhos, que nem piscavam ao ver cada traço do veneno.

Um puxão era sentido nas minhas costas. Caia no chão tendo os meus braços prontos para me aparar no solo lamoso. Alguns fios de cabelo meu caiam na minha frente e em seguida só avistava Meowth e Serena usarem os seus golpes efetivos contra Ekans, lançando-a para longe de mim. Deu um sorriso ao ver o tremendo trabalho de equipe da dupla e me levantava alegre e confiante. Até um sorriso torto, que não era comum, apareceu em minha face, mas fora por poucos momentos. Ethan caia de joelhos ao chão e aquela cena deixou tão nervosa quanto... irada!

O ruivo agido mais uma vez para me salvar. Dessa vez, ele recebia o Toxic que era para mim, por mim. Era como se ele tivesse recebido uma bala no peito por mim. Meu coração tremeu e aquela super Sakura que eu estava descobrindo se desmanchou do nada. A risada da louca era ouvida no fundo. A cara da bailarina paralisada era vista na frente. Eu não sabia bem o que fazer, mas sabia que se Ethan não recebesse ajuda médica, certamente, no mínimo, perderia a visão.

- Ethan.. Ethan... – corria até o ruivo, me lançando de joelhos ao chão. – Eu.. eu não queria que isso acontecesse – parei.

Aquilo tudo era culpa minha! Eu que sair da cidade e deixei que ele me seguisse. Eu que fiquei para a batalha e não o chamei de imediato. Naquele momento, não havia palavras que me fizesse deixar a situação melhor. Era hora de aceitar o fato: você é um perigo, Sakura! Eu olhava para o meu interior e todas as imagens vinham junto comigo. Eu poderia muito bem acabar presa em Nyender City, junto com qualquer tentativa frustrada de resgatar Serena. Ou poderia acabar em uma pior naquele beco. Mas não! Ethan sempre estava comigo, me ajudando e protegendo de toda e qualquer situação. Seja em Nyender, seja em uma árvore olhando estrelas. Ele não poderia acabar sendo alvo de qualquer que seja aquela coisa ruiva. Era hora de eu dá a Ethan o pagamento por todas as coisas boas que ele fez para comigo, sobretudo, por ter me feito me encontrar. Era hora de provar que eu poderia ser alguém bem melhor do que estava destinada a ser naquela cidade.

Um novo olhar pairava sobre a minha mente. A minha bolsa ao lado era vista como a única ferramenta. Olhei-a e ali estava o meu kimono azul, de apresentações. Olhei e assim não hesitei: o rasguei. Tirei de dentro um pedaço do pano, uma seda tão lisa que começava a escorregar dos dedos, se não fosse a chuva que caia e o molhava. Curvava a cabeça de Ethan em direção do solo, para que o veneno escorresse. Da minha bolsa, tirava o cantil, que tinha um pouco de água e assim lancei nos olhos do gangster, tentando lavá-los. Era certo que as pálpebras não iria deixar o trabalho fácil, por isso eu seguirei firme para que ele abrisse os olhos. Com a seda eu secava lá no mais fundo dos olhos, até o deixa lavá-los sozinho.

Corria até Isaac deitado ali e ele me olhou, falando claramente que não estava disposto a perder, mas sabia que era fraco demais para a bailarina. Eu balancei a cabeça negativamente. Já morreram pessoas demais naquela rota e não deixaria mais ninguém morrer. Não disse isso para o felino rosado, mas ele estava me olhando de tal forma que era como se lesse a minha mente. Pela primeira vez, Pokémon e mestre, pareciam sincronizados. Era um milagre aquilo? Talvez! Mas Isaac levantava com ousadia e ali eu dava-o e aplicando uma potion e uma lum berry. O Felino comia e em seguida tocava com a sua pata na minha bolsa. Eu olhei-o de volta, bem espantada e sabia o que ele tinha em mente. Eu tirei um item de dentro, mas ninguém viu. De longe, eu gritei:

- Pessoal, ainda não terminamos – dizia lançando uma oran berry para Jolteon, que a devorou e mostrou-se furioso. Ali eu peguei mais um pedaço da minha roupa de apresentação de teatro e rasguei, enfaixando a pata do Pokémon electric. – Serena, Meowth. Mantenham as posições, misturem-se com os clones. Serena, use Razor Leaf e impeça que a serpente fuja novamente para o solo. Meowth, use Growl para desconcentra-la e impede-la. Você é veloz, use disso. Serena e Meowth, em seguida, ela saindo do buraco, ou não, usem respectivamente Energy ball e Scratch. – dizia dando um nó forte na pata do Pokémon electric, que deu um rugido abafado e em seguida ensinava-o Protect e Shadow Ball, dois excelentes golpes que iriam ajuda-lo no combate. – Eu sei que você consegue sozinho, amigão! – batia na cabeça dele.

Em seguida eu dava o item que havia retirado da bolsa para Isaac, que o segurou na boca e foi para frente, encarar Kirlia e os diversos clones que ainda brigavam entre si. Na boca do felino, a Moon Stone pairava no meio daquele campo chuvoso. Era a pedra que evoluía o Isaac ali. Depois disso, era hora de ver o que o destino estava preparando para mim.

- Isaac, Serena, Meowth, Joelton. Eu confio em vocês! Não vamos deixar que essa rota seja marcada por derrotas. – dizia para todos e em seguida para Isaac, que já começava a brilhar. – Querido, use o seu Foresight e acabe com esses clones. Agora você é que tem a Evasion alta e não Kirlia. Corra em campo e use na Pokémon uma forte Shadow Ball o mais rápido que puder. Use os seus clones para poder se defender. Isaac, brilhe!
Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Alice em Seg 17 Mar 2014, 10:39

off: desculpa a demora ç.ç mas esses dias podem ser descritos como infernais x.x


As palavras se perdiam na boca de Sakura, sem saber exatamente como se formar. A risada da louca ecoava juntamente com o temporal e a visão de Ethan caído sobre os joelhos com a pele ao redor dos olhos já arroxeada pelo veneno perturbava a Stylist tanto ou mais do que a visão da ruiva brincando com o corpo morto de Lillipup. Sem saber para onde tinha ido sua coragem e vendo quatro pokémons em campo com dificuldades para superar os outros três, a morena inspirou o ar contendo um soluço. Não era hora de chorar. Ethan, que tantas vezes lhe ajudara, agora precisava de sua ajuda. Respirando fundo, a morena olhou para sua mochila. Precisava ser rápida...

Assumindo rapidamente o comando da situação e sem hesitar por um segundo, a Stylist pegou seu kimono para apresentações, uma fina peça da mais bela seda azul, e o rasgou em tiras. O tecido tentou resistir, porém não fora feito para suportar a força que a jovem usou. As tiras delicadas deslizavam pelos dedos enquanto Mille separava uma delas. Com agilidade e pegando o cantil, Sakura obrigou Ethan a se inclinar um pouco mais e passou a tentar lavar os olhos do rapaz. A água deslizava por seus dedos roxa, evidenciando a alta dose toxica que o ruivo recebera. Mille imaginava a dor, porém tudo o que o criminoso (ainda podia considerá-lo um?) era pressionar os dentes uns contra os outros, em um claro sinal de contenção da dor.

- Obrigado. - O agradecimento chegava logo que a garota terminava de enfaixar os olhos do falso cadete, embora parecesse mais um sussurro. Um sorriso fraco e seu graça decorava o rosto cansado e a morena parecia sentir que ele estava arrependido ou triste, quase como se ele achasse que falhou em algo... Sakura sabia que teria de conversar mais tarde com o ruivo... Assim que vencesse a batalha e levasse todos para um local seguro.

Com o ruivo tendo algum tratamento e sem tempo a perder, Sakura correu até Isaac. O felino a olhava com determinação em vencer e reconhecimento de que faltava força. No meio do campo, Kirlia ainda lutava contra a paralisia, tentando se erguer para lutar. A louca reclamava com frases insanas, dizendo que a brincadeira não tinha graça se sua bailarina não podia brincar. Sakura não ouvia. Seus olhos estavam fixos nos do gato e, por um instante, ela sabia que ele lia sua mente com tanta facilidade quanto ela lia a dele. A sincronia que tanto buscava nos livros de repente se revelava a sua frente.

Sem perder mais tempo e sabendo que em algum momento Kirlia se mexeria, Sakura aplicou uma Lum Berry e uma Potion em Isaac, livrando-o dos danos que lhe prejudicavam na batalha. Agora somente a psíquica sofreria com a paralisia. Enquanto gritava motivações e comandos para os outros pokémons, Sakura enfaixava a perna de Jolteon que, em segundos devorava a Berry recebida. Após uma caricia na cabeça do elétrico e confirmar que confiava nele tanto quanto Ethan, a Stylist o viu partir, agora com dois novos golpes, para o combate contra Vulpix. A raposa já apresentava sinais de desgaste também e, apesar da pata ainda sensibilizada, o canino do raio era perseverante como seu dono. Pronta para retornar ao combate, Sakura alcançou a Moon Stone para Isaac e lhe deu os comandos para tentar virar a batalha.

Os olhos do felino começaram a brilhar e uma esfera azul saiu de seu corpo, se expandindo ao seu redor e eliminando os clones de Kirlia conforme os alcançava. A psíquica não parecia satisfeita em ter sua evasiva normalizada mais uma vez e muito menos com o que acontecia a sua frente. As patas de Isaac tocavam o chão, impulsionando-o para frente e para mais perto da sua adversária. As poças de água respingavam a cada toque das delicadas patinhas que começavam a crescer e se tornarem mais compridas e elegantes. Brilhando, o corpo inteiro de Isaac se desenvolvia. Crescia e se fortalecia, tornando-se mais belo. Um espetáculo para os olhos. Quando o brilho cessava, a pedra lua havia sumido e um Delcatty se mostrava em campo, liberando um poderoso Shadow Ball contra a adversária.

Kirlia juntara suas forças desde que a evolução começara para lançar o contra ataque. Entretanto o adversário agora era mais rápido que ela e a bailarina não conseguiu evitar a esfera negra. Contudo seu Charge Beam encontrou o ataque (próximo demais de si para ficar satisfeita) e lhe reduziu o poder, sem impedi-lo. O Shadow Ball que lhe alcançou era mais fraco do que o original, mas ainda sim lhe alcançou. Bailarina se ergueu após o ataque e mirou Isaac, agora transformado, desejando acabar com o mesmo. Todavia os raios amarelos percorreram seu corpo e a obrigaram a se ajoelhar uma vez mais.

Do outro lado, Serena e Meowth demonstravam bela sincronia em atacar Ekans. A serpente começava a se enfurecer e, assim, cometia erros tolos e previsíveis. A luta mais tensa, entre Jolteon e Vulpix, parecia mudar radicalmente. O pokémon trovão parecia saber fazer muito bom uso do Protect, se aproximando perigosamente da raposa, bloqueando seus ataques e contra atacando com força.


Hora da Batalha
Condições da batalha: Meio da rota 2. Um temporal dificulta a visão do pokémons. Pequenos buracos ocultos pela água acumulada e diversas poças menores cobrem o chão. Raios esporádicos iluminam de vez em quando o campo. Alguns galho estão caídos pelo chão, derrubados pelos ventos.
Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  301
Delcatty/Isaac - Lv.07 - Trait:Cute Charm
70%, Status: +4 evasiness, arranhões pelo corpo (7 clones em campo mais o original)
Vs.

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  281
Kirlia/Bailarina - Lv.12 - Trait:Synchronize
85%, Status:  paralisada

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  301
Isaac evoluiu para Delcatty
Recebeu:
1 ponto em Ataque
1 ponto em Especial Defesa
1 ponto em Velocidade

Gostaria de mudar a personalidade dele?
Alice
Alice


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Sakura Mille em Seg 17 Mar 2014, 13:01

Off: Entendo bem x.x
Off²: Gostaria sim, o que sugere?



♥ Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  


Evolução. Em seu significado mais simples vinha a designar mudança. Forma. DNA. Personalidade?! Era um emaranhado de pesquisas que permutaram toda a história desse mundo, tentando saber qual seria os limites dos Pokémon. De um lado, os naturalistas defendiam que apenas a relação Pokémon e treinador/meio poderiam desencadear este processo. Já os cientistas, por meio de técnicas, hipóteses, teses e pesquisas, desembrulharam mais do que apenas relação sentimental. Todavia, era necessário fazer-se uso de qualquer técnica para poder deixar o Pokémon mais forte. Apesar de ter usado um meio indireto na evolução assistida, o emocional estava mais unido do que a razão.

Isaac começava! Com um glóbulo azulado, envolvia todos ali, e logo os clones da bailarina sumiam em campo, deixando claro que o Pokémon Normal era o vencedor em número. Já livre da paralisia, o gatuno rosado seguia a diante, procurando se aproximar mais da bailarina. Isaac brilhava. Seu corpo mudava. Era visto que logo o campo se abria na presença a mais nova forma: Delcatty. Isaac evoluía e logo era visto a sua esfera ser lançada contra o seu oponente, que tentava detê-la com o uso de um golpe electric. Uma explosão ocorria, mas o Shadow Ball enfraquecido ainda atingia a Pokémon, que sofria os danos.

Delcatty mudava. Parecia não só mais belo, como também forte, veloz e resistente. O Pokémon mexia com elegância. Parecia um verdadeiro ator no teatro. Era a face de Delcatty, meu Isaac, que eu via. Poderoso. Mudado. Era a magia da evolução naquela rota. Era algo que apenas um coração sensível entendia. Mesmo ligada apenas ao lado científico das coisas, o lado natural era magnífico. Isaac estava pronto para uma nova jogada.

Serena e Meowth desempenhavam um papel formidável contra a Ekans, que de todas ali, era a mais raivosa. Joelton, com seu poder, parecia desempenhar ótimo proveito de seus novos golpes, que poderiam ser fatais contra a Vulpix. A louca continuava com o Lillipup em braços. Meu corpo era totalmente indiferente a minha mente. Agora, a verdadeira batalha começaria.

- Serena, Meowth. Força! Meowth, avance com os seus clones contra Ekans e use Scratch várias vezes que conseguir, tentando forçar a serpente a entrar dentro do túnel. Serena, use o seu Energy Ball no solo, caso a Pokémon serpente entre do solo novamente, procurando desmoronar os seus túneis. Após tantos túneis, possivelmente o solo está fragilizado. Caso ela não entre, use vários Razor Leaf contra ela. – dizia aos dois.

Felizmente, Joelton era um Pokémon bem independente. Com isso, eu não precisaria ordenar nada para o mesmo, sabendo que ele era uma máquina mortal. No entanto, todos os Pokémon ali presentes eram poderosos. Kirlia com a sua manipulação psíquica. Ekans com o seu veneno mortífero. Vulpix com chamas aterrorizantes. Ao longe, já não avistava mais as bailarinas flamejantes dançarem ao sabor do vento. A chuva já haviam apagado as chamas. Agora era a hora de apagar a minha bailarina.

- Isaac, agora é com você! – dizia para o felino, que miava com determinação. – Use os seus clones perto de você. Use-os como verdadeiros escudeiros. Coloquem-nos contra qualquer golpe. Salte, role, corra. Não deixe os golpes de Kirlia lhe acertar. Lance Swift sobre o campo, cercando a Psychic a princípio e atacando-as em segundo plano. Logo em seguida, prepare Shadow Ball. Lance quando ver um espaço. – dizia para o Pokémon recém-evoluído.

Sakura Mille
Sakura Mille


Voltar ao Topo Ir em baixo

Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!  Empty Re: Rota 2: Sob a chuva e sobre o medo!

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum