Uma fic sem título...

Ir em baixo

Uma fic sem título... Empty Uma fic sem título...

Mensagem por Orpheu em Sex 07 Mar 2014, 18:57

Autor escreveu:Gente que não tem nada pra fazer, somado com sexta-feira é assim: começa a escrever até sair algo que não faça com que a comida, que esta no estomago, saia por onde não deveria. Espero que, quem leia, goste. Ah, e provavelmente não terá continuações.
______________________________________
Capítulo único
E se... eles não forem apenas um jogo

Fechar os olhos e, quando voltar a abri-los, ver um mundo totalmente em ruínas. Quem me dera ter tido essa sorte. Vi um mundo, que antes podia ser considerado belo, ruir a cada minuto. Vi cada fase da desintegração de um planeta inteiro. Vi a natureza daquele Mundo se expandir, até chegar ao ponto de invadir as cidades. Vi minha espécie, antes escondidas nos lugares mais remotos e desagradáveis, se apossar daquelas terras.

Tolos, era isso que eram os antigos moradores. Como eles podiam pensar que uma única divindade era capaz de controlar todos os fenômenos?! Éramos nós, e somente nós, que mantínhamos aquele mundo e a sua natureza em ordem. Mantínhamos em ordem a dimensão paralela a aquele, o tempo, o espaço e tudo mais. Nós que purificávamos a ordem, que dávamos o calor do sol para eles e também, foi nós, que lhes presenteamos com os mais belos agradáveis sonhos. Mesmo assim ignoravam nosso trabalho e nossa existência, pelo menos, até agora a pouco.

Tenho grande confiança que o corpo, que meus adoráveis irmãos de espécie desarestam agora, passou a acreditar na nossa existência em seu mundo real, não éramos apenas uma simples ficção que eles haviam criado. Mas, certamente, não havia fofura em nós como eles faziam ter. Não havia sentimentos meigos e graciosos como eles pensavam. Acharam que pensávamos e agiam do mesmo modo que aquela estranha caixa luminosa e repleta de cores mostrava? Se sim, eram mais tolos do que eu julgara que uma criatura poderia ser.

Enquanto vagava pelas ruas desertas, via corpos serem dilacerados pelos fortes dentes de meus irmãos e sentia o cheio fúnebre da morte naquele lugar, parei em frente a um espelho. O local tinha uma grande placa pintada em vermelho com letras em branco e um simbolo amarelado, em cima de uma das mesas se encontrava algo parecido com comida, mas havia sido deixada pela metade, com certeza aqueles que comiam fugiram de medo. Enquanto fitava meu reflexo no espelho não pude deixar de notas minhas próprias características.

Eu era magro, mas com a quantidade excessiva de carne que estava a comer nos últimos dias começava a ganhar um pouco de peso. Mantinha meu tom de pele rosa e minhas orelhas, com formato triangular, mexiam-se de um lado para outro, seguindo cada som que elas eram capazes de captar. Minha longa cauda balançava constantemente, enquanto eu me mantinha flutuando no ar. Enquanto olha para mim mesmo, pensava mais e mais...

Olhando o meu próprio reflexo e refletindo, sobre a imagem que havia ganhado naquele mundo, me senti enojado. Como eles eram capazes? Como ousaram dissuadir a minha imagem até chegar ao ponto de eu ser referenciado como um monstro fofo? Monstros não devem ser fofos! Bem, isso não importava. Aqueles que haviam sujado minha imagem estavam mortos, podia sentir o cheiro apodrecido de seus corpos que me rodeavam. Aqueles que ainda tentavam lutar contra o inevitável, a morte, estavam sendo caçados. A divindade deles já não era mais capaz de protegê-los, se bem que... nunca fora.

Apenas sentia pena daqueles que pensaram poder fazer amizade conosco... pobres tolos. Como se precisávamos de algo além do que seus corpos, corpos quentes, macios e com um sabor único. Somente de pensar nisso me dava água na boca. Também rio daqueles que, no momento do desespero, tentaram criar esferas minusculas e inúteis. Como se algo, daquele tamanho, que eles criaram fosse capaz de nos prender.

Nós sempre estivemos aqui. Muito antes deles chegarem aqui, esse mundo já nos pertencia. Eles roubaram isso de nós e agora pegamos de volta. Sempre estivemos a espreita, apenas observando e esperando pelo momento certo para atacar os humanos. Enquanto nos escondíamos, foram poucos que tiveram a chance de nos ver e, com toda as minhas crenças e certezas, estes não vivem mais. Todavia, aqueles nos viram, apelidaram a nossa espécia com um único nome, enquanto os indivíduos diferentes delas recebeu, cada um, seu próprio nome. Para a espécie foi escolhido Pocket Monster e para mim Mew. Dois nomes tolos, mas que são gratificantes de se ouvir quando tem uma suculenta presa fugindo de você...

Autor escreveu:Se você chegou até aqui, após ler a fic, tem meus parabéns, você agora é um "sobrevivente". Se você chegou aqui porque leu primeiro os quotes é melhor começar a ler a fic! ò.ó
Orpheu
Orpheu


Voltar ao Topo Ir em baixo

Uma fic sem título... Empty Re: Uma fic sem título...

Mensagem por Ayzen em Sab 08 Mar 2014, 13:33

Nossa '-'

Muito legal! *W*

Sim! Eu li primeiro os quotes ¬¬
Ayzen
Ayzen


Voltar ao Topo Ir em baixo

Uma fic sem título... Empty Re: Uma fic sem título...

Mensagem por Orpheu em Dom 09 Mar 2014, 00:37

Fico feliz que tenha gostado Ay \o/

Você não foi o único. Será que existe alguém nesse mundo que leia as coisas na ordem? ¬¬
Orpheu
Orpheu


Voltar ao Topo Ir em baixo

Uma fic sem título... Empty Re: Uma fic sem título...

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum