Pokémon Shinki Adventures RPG
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

4 participantes

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Sex 13 Fev 2015, 22:07

Toda a situação era muito estranha. A coruja ainda sentia-se cansada e dolorida, alguns arranhões eram visíveis, tendo sido provocados pela explosão do treinamento. Tudo parecia bem num momento, mas depois, como num passe de mágica, tudo se quebrou. Não havia qualquer alegria ou tranquilidade, apenas medo, confusão e tristeza. A corrida até o templo, em conjunto com a recepção da sacerdotisa, não melhorava a situação.

Enquanto Louhi tentava acalmar a mente de Alice, Bubble tentava conversar com Morfeu. A Iniciada continuava em crise, uma lágrima escorrendo pela face enquanto a respiração se mostrava difícil. Ísis também estava em desespero, mas a situação de Penélope só podia ser imaginada, bem como a situação de Mandy.

Bubble tentava fazer Morfeu reagir, mas não tinha sucesso. O psíquico parecia estar se afundando em sua tristeza, não tentando nem ao menos lutar contra isso. O cheiro de incensos invadia o ar e, quando o Noctowl viu, Louhi era auxiliada por um Dusclops, fazendo Alice beber o que parecia um chá de ervas com cheiro tão forte quando os incensos.

Era difícil dizer quanto tempo levou, mas conforme a mais velha orava, com a loira ao seu lado orando também, as chamas que nunca se apagavam reduziam, antes de se erguer com fúria e ameaçar incendiar todo o local. Por breves instantes, a forma de Giratina era vista, antes do fogo voltar ao seu estado normal. Alice passou a respirar um pouco melhor, o que fez a mais jovem soltar um suspiro de alivio.

Sem dizer nada, Louhi se ergueu e se aproximou de Morfeu, ficando de sempre para o mesmo e se abaixando, ficando na mesma altura. Uma das mãos indo no queixo do Pokémon, o forçando a mirá-la.

-O que você vê?

Morfeu demorou alguns instantes para entender, mas ela logo olhou para as chamas que simbolizavam o Pokémon lendário. Hypno se focou brevemente nelas, parecendo ver um Hypno nelas brevemente, em meio algumas árvores.

-Giratina está do nosso lado e cuidando de seus seguidores, mas não podemos esperar que ele faça tudo por nós. Se não, não precisaríamos nos esforçar tanto para trazê-lo até nós. Somos todos ferramentas Dele. Quer que ele ajude sua senhora, então seja a ferramenta que ele precisa. Um de sua espécie teve o poder de aprisioná-la, talvez apenas alguém da mesma espécie, auxiliado por Giratina, pode ter o poder de libertá-la. Reflita.

Sem dizer mais nada, a morena se ergueu e se aproximou novamente de Alice e Ísis. Baltoy usava os poderes psíquicos, fazendo a mulher ainda inconsciente flutuar, levando-a para um dos vários quartos que ficavam mais afastados. Os movimentos silenciosos, como se fosse uma fantasma que cheirava a sangue, era macabra, mas parecia ver o fundo da alma de cada um. Era fascinante e assustador. Morfeu e Bubble eram deixados sozinhos, apenas com a chama que simbolizava Giratina.
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Ter 17 Fev 2015, 11:04

Morfeu's POV

     


Alguém da mesma espécie...

Fico refletindo sobre essas palavras enquanto miro a chama que às vezes assume a forma de Giratina. Espero que ela me mostre novamente o Hypno entre as árvores, porém ela não o faz. Enquanto isso, as palavras da sacerdotisa e de Bubble giram em minha mente.

Alguém da mesma espécie...
E agora ela precisa dessa força, você foge?
Seja a ferramenta que ele precisa...

Talvez... Talvez seja bom eu ser da mesma espécie... Talvez, se eu continuar treinando, conseguirei libertar ela... E talvez, só talvez, eu seja o único que possa fazer isso...

Ergo o rosto para Ísis quando a sinto tocar no meu braço. Ela está passando um medicamento e cuidando de meus machucados. Miro Bubble e vejo que ele está implicando com um band-aid em seu bico que, acidentalmente, pegou algumas penas. Quando ele percebe que o estou olhando, ele deixa o curativo de lado e me olha de volta. Ele parece esperar por algo...

- Vou voltar com Bubble para o hotel, ver como Penélope está. Cuide de Alice, ok?

E recebendo uma quase ordem de Ísis, eu me levanto. Minha Senhora precisa de mim. Eu a deixei nesse estado, preciso arranjar um jeito de tirá-la dele. Me recuso a dizer adeus para ela. O Hypno que a atormenta não sou eu, mas aquele que um dia irei derrotar. Só preciso dar um jeito dela não me olhar e lembrar dele, assim ela ficará bem...

Não demorem.
Não iremos. - Digo para Bubble que já está na porta. Ele me dá um sorriso ao seu jeito e alça voo em direção ao Kazumi com Ísis em suas costas. Agora, seremos só Alice e eu... Como no começo e como eu queria no fundo. Mas por alguma razão, isso não é como sonhei e sinto medo de falhar e perdê-la...

No quarto de Alice, a encontro deitada em uma cama. A respiração dela está calma ainda, graças ao chá da sacerdotisa. Ela está sozinha e ainda dorme. Me aproximo da cama e me sento no chão ao seu lado, a mirando em seu sono. O lençol cobre seu corpo, porém os braços estão por cima do tecido. O cabelo escorre pelo travesseiro e eu sinto vontade de tocar a fita dourada em sua trança. Gostaria de saber a história dessa fita...

Com medo, começo a invadir sua mente e em poucos instantes só vejo o nevoeiro que a cobre. Minha criança, tão pequena em sua mente, está sentada e sozinha. O choro quebra meu coração e a lembrança de que minha visão desencadeou todo esse sofrimento ameaça me sufocar novamente. Porém não posso vacilar. Preciso protegê-la.

Em minha mente, me vejo sentando-me atrás dela e conversando com ela através dos meus poderes psíquicos. Tento fazer com que ela me veja com um Drowzee e imploro para que ela não me deixe, para que ela fique do meu lado, me ajude a ficar mais e mais forte para assim libertá-la de vez. Em sua mente eu choro, implorando por perdão e para que ela fique comigo.

- I'll come back when you call me. No need to say goodbye...

Não sei em que momento isso aconteceu, mas de alguma forma Alice estava desperta. Também não sei quando segurei sua mão entre as minhas, porém ela as apertava de volta. Ela estava acordada... E me olhava... E cantava para mim... E eu entendia o que ela queria dizer... Ela voltou para mim... Mas ela não me vê... Ela vê um Drowzee, como eu era, e eu não me importo. Ela está comigo de novo e eu quero que ela me veja como um Drowzee, até eu ter força para derrotar aquele Hypno, o que está em meio às árvores.

Cansado, deito minha cabeça sobre nossas mãos entrelaçadas. As lágrimas correm involuntariamente, de dor, de felicidade, de medo... E  eu prometo Alice, uma vez mais eu te prometo, vou libertá-la desse tormento.
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Sex 20 Fev 2015, 19:54

Morfeu refletia sobre as palavras da sacerdotisa e da coruja, mirando as chamas e aguardando, tentando ver novamente a imagem do Hypno entre as árvores. Logo o psíquico mirava a loira, observando enquanto ela aplicava um remédio em seu braço. Bubble implicava com um curativo em seu bico, tentando livrar-se dele.

Ísis dava uma espécie de ordem para Morfeu, enquanto saia com a coruja. O Hypno visitava sua mestra, observando a respiração calma e implorando por perdão, implorando que a mulher não o deixasse. Não via quando, mas Alice despertava e cantava para ele, vendo-o como um Drowzee. O psíquico novamente prometia livrar a jovem do pesadelo que ela estava, de não a abandonar.

Enquanto isso, Ísis e Bubble voavam de volta para o hotel. Não sabiam quanto tempo havia se passado, mas a coruja se apressava. Novamente o Agillity demonstrava ser muito útil, fazendo a ave alcançar seu objetivo mais rapidamente. No entanto, antes que pudesse pousar, viu Penélope ainda perto da piscina, com Mandy por perto, mas duas estranhas no local também.




Off: Unificando rotas \o
a ordem será: Susana >> Alice >> Narrador
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Sex 20 Fev 2015, 22:58

off: \o/



Com Samantha indo direto para o hotel pagar e garantir nosso quarto, fui direto para a estação de trem, torcendo para lembrar o caminho mais rápido e tentando fazer de tudo para não pensar mais naquela batalha ou naqueles dois giratinistas. O caminho foi simples e já que estava quase de noite, não tinha quase ninguém na rua, o que tornou mais fácil chegar na estação, mas não diminuiu o tempo que eu fiquei esperando lá.

Haviam muitos itens chegando, então não me surpreendi muito com a demora que a mulher estava tendo, já que ela quase não tinha espaço para andar com tantas caixas que haviam chegado e mais uma boa quantidade que ela tinha que verificar para mandar para os trens certos. Depois de um tempo uma pequena caixa me era entrega, com outra pokeball vermelha igual a da Umbreon, mas dessa vez eu não tinha muita certeza de quem havia mandado.

Sem muito tempo ou vontade de ficar no meio da bagunça que era aquela estação de trem, guardei a pokeball na mochila e consegui pegar um taxi bem rápido, chegando no hotel antes mesmo que eu pudesse me acomodar direito no banco. No hotel fiquei muito feliz de não ver nenhum pokemon em nenhum lugar enquanto eu confirmava o número do quarto e pegava o elevador, indo direto para dentro do quarto assim que o elevador chegou no andar certo.

Como Samantha ainda estava no banho, fiquei deitada na cama relaxando um pouco e assim que ela saiu, o jantar chegou, então mais uma vez adiei o meu banho. A comida naquele lugar era muito boa e o refrigerante estava geladinho, perfeito depois de tudo o que tinha passado. Samantha ficou extremamente curiosa quando eu falei que agora tinha mais um pokemon e que ainda não tinha visto ele, mas consegui convencer ela a ao menos me deixar tomar banho antes de soltarmos o pokemon no quarto.

Soltei apenas Bulbasaur e Umbreon, não querendo encarar purugly tão cedo e imaginando que o novo pokemon não precisaria de um banho, já que provavelmente nem tinha saído da pokeball ainda. Dessa vez Umbreon estava mais cansada, então ficou quietinha enquanto eu passava xampo em todo o pelo dela e tirava algumas sujeiras que estavam presas no pelo curto dela. Bulbasaur queria ficar brincando na água, mas logo consegui limpar ele também e depois de um longo tempo para secá-los e passar um pouco de creme no meu cabelo, finalmente saímos do banho.

Quando finalmente saímos, Samantha já tinha dormido, então deixei para conhecer o novo pokemon de manhã junto com ela. Seguindo o exemplo de Samantha, logo me joguei na cama, abrindo espaço para Bulbasaur e ficando feliz quando Umbreon decidiu dormir em um travesseiro que eu acabei derrubando no chão. Em pouco tempo eu já estava dormindo, mas infelizmente eu tive tudo, menos uma noite tranquila e agradável.

Foram tantos pesadelos que eu perdi a conta, mas todos eram com os giratinistas ou com aqueles pokemon deles, ou simplesmente todos os pokemon de uma mansão gigante correndo para me atacar. O pior, que me fez acordar suando de manhã, quase derrubando o Bulbasaur da cama, foi um que eu quase não consigo lembrar.....

Enquanto eu pedia desculpas para o Bulbasaur e tentava me acalmar, tudo o que eu conseguia lembrar daquele pesadelo eram árvores gigantescas, tudo muito escuro e alguém me chamando. Quando Samantha acordou eu ainda estava tremendo e tentando me lembrar mais desse sonho, que era irritantemente familiar e ao mesmo tempo muito estranho, mas como ela já acordou reclamando que eu tinha demorado muito e que ela tinha passado a noite toda sonhando com o pokemon que eu tinha ganhado, logo acabei me esquecendo do sonho.

O café da manhã chegou assim que tínhamos terminado de nos arrumar, então pudemos comer as panquecas sem pressa, comentando um pouco sobre que pokemon poderia ser. No fim, quando eu já estava só brincando com um pedaço frio de panqueca, Samantha apostou que seria um pokemon tão raro quanto Umbreon e eu imaginando que poderia ser algum dos pokemon de Mengum que viviam aparecendo em casa para ganhar petiscos, o que não agradou muito Samantha, que já imaginava o cheio forte de um Grimer.

Como Samantha também queria passar um tempo na piscina, já que já havíamos ficado duas noites no hotel e tínhamos mais do que o direito de passar um tempo relaxando na piscina, decidimos que relaxando ao sol, seria o melhor momento para conhecer meu novo pokemon. Com Bulbasaur e Umbreon ao meu lado e Samantha já com Charmander no colo, corremos até a piscina.

Nós estávamos um pouco tristes por não ter nenhum biquíni ou maio para aproveitarmos melhor a piscina, mas isso não nos impediria de pelos menos aproveitar a tarde para relaxar. Não tinha muita gente ali, então não demorei muito para ouvir e logo achar uma menininha chorando muito, ao lado da Kirlia que tinha usado nosso quarto de esconderijo na outra noite.

- Calma, calma lindinha, está tudo bem. - Falou Samantha se ajoelhando do lado delas, tentando acalmar a menina um pouco, pelo menos para ela conseguir falar pra gente o que tinha de errado. Kirlia parecia muito preocupada, então imaginei que seja o que fosse, não seria fácil acalmar a coitadinha.....

- Vai ficar tudo bem.... quer ver uma coisa legal, ouvir uma musica? - Perguntei logo tendo uma ideia que poderia distrair a menina um pouco e até fazer ela se animar. Chamei Samantha, Umbreon e Bulbasaur para conversarmos rapidinho e assim que tudo estava certo, coloquei meu celular para tocar e começamos nossa primeira apresentação, que não poderia ser mais improvisada do que estava sendo.....

Com Bulbasaur iluminando tudo com Sunny day, Umbreon começou a usar Psychic para pegar um pouco de água da piscina e começar a fazer várias notas musicais e pequenas imagens fofas que eu deixei a escolha dele. Charmander começou a usar Ember, que não era o bastante para prejudicar as formas, mas sim iluminar elas ainda mais, eu e Samantha começamos a cantar e dançar uma das poucas musicas que nós duas conhecíamos.


Jiggaly ... puff ... puff ... jiggaly!
Jiggaly ... puff ... jiggaly ...
Qualquer hora, ou lugar, pode escolher...
Com perigo por chegar
Ou com a paz no ar!
Com um sorriso, com um suspiro, com as coisas bem certas!
Há um momento em que a canção é tudo que se tem pra mostrar!

Poderes mágicos...
Na grama, na sombra do Monte da Lua, até música...
Calma...
O poder da música é tudo

Jiggaly... puff ... jiggaly ...
Jiggly!

Quando tudo está perdido e sem controle
Quando não há mais força e o medo te consome
Com um amigo valente você pode contar
E a música que bate no coração de Jigglypuff...

Horas e horas...
Na grama embaixo do Monte da Lua é música
Calma
O poder da música é tudo
E te atacam como nunca
O poder da música é tudo

Jiggly!
Jiggaly ... puff ... puff ... jiggaly!
Jiggaly ... puff ... jiggaly ...

Defense Curl! Pense bem
Bater forte não irá vencer
Nada de palmada dupla, no fim você vai perder
Briga de fogo é errado
E a música é que tem o poder

Quando tudo está perdido e sem controle
Quando não há mais força e o medo te consome
Com um amigo valente você pode contar
E a música que bate no coração de Jigglypuff...

Poderes mágicos...
Na grama na sombra do monte lua
A canção
Move o coração
Mexa-se
A onda da música é tudo
A música é um dilúvio
O poder da música é tudo

Jig! Jigglypuff!

Jiggaly ... puff ... puff ... jiggaly!
O poder da música!
Jiggaly ... puff ... jiggaly ... (É tudo)
O poder da música
Jiggaly ... puff ... puff ... jiggaly!
O poder da música
Jiggaly ... puff ... jiggaly ... (É tudo) (O poder da música)
O poder da música!
Jiggaly ... puff ... jiggaly ...
É tudo
Jiggaly ... puff ... puff ... jiggaly!
O poder da música!
Jiggaly ... puff ... jiggaly ...
É tudo

Jig! Jigglypuff!


No fim não sabia se era eu ou Samantha que estava mais surpresa com a minha imitação de Jigglypuff, ainda mais lembrando que eu não praticava ficar imitando pokemon a muito tempo. Alice sempre gostou de ficar me desafiando quando éramos pequenas, sempre escolhendo pokemon e no fim eu sempre conseguia imitar, mas já fazia tanto tampo que eu não praticava.....saiu melhor do que eu esperava, mas só valeria realmente a pena se a menina tivesse se animado em vez de ficar assustada com a gente.....

Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Sex 20 Fev 2015, 23:59

Mandy's POV

Ainda não sei bem como tudo isso pode acontecer... Esses dois dias no hotel estavam sendo tão divertidos e tranquilos... Penélope até recebeu aula de boas maneiras. Morfeu só parecia chateado por não evoluir como todo mundo, pelo menos até ele e Bubble começarem a treinar. Então, quando Alice começou a passar mal, tudo ficou muito estranho.

Olho para o céu diversas vezes, a procura de Bubble. Ele e Ísis levaram Alice para não sei onde, falaram que era alguém que poderia ajudá-la, mas nos deixaram para trás... Meus braços estão ao redor de Penélope, porém ela não para de chorar e isso fere meu coração. Minha nova mestra soluça e as lágrimas são insistentes, não querendo dar descanso para ela. Eu sinto as minhas próprias arderem atrás de meus olhos, porém não posso chorar, isso só preocuparia Penélope ainda mais.

Enquanto passo as mãos pelas costas dela, olho o céu mais uma vez, pela milésima vez, a procura de Bubble, porém eu não o vejo. Só abaixo os olhos quando uma mulher estranha se aproxima, tentando falar com minha nova dona. Não sinto maldade nelas, então permito que cheguem perto. Elas parecem ser sinceras em sua vontade de acalmar minha mestra.

Elas logo começam a cantar, com a ajuda de um Umbreon diferente de Shinji, de um Bulbasaur e de uma Charmander. Penélope tenta engolir o choro, mas é difícil. Porém, ao longo da música, ela parece se acalmar um pouco. Não está feliz, ainda sinto tristeza nela, porém não há mais lágrimas nem soluço. O olhar triste está direcionado para as duas estranhas, claramente abatida e curiosa ao mesmo tempo. Agora era só descobrir se essas estranhas conseguiriam manter a mente dela longe do ocorrido até que todos voltassem.

Decido que esta tudo sob controle o suficiente e que faz muito tempo que não olho para o céu em busca de Bubble, quando ele surge em minha frente. As asas incrivelmente abertas, de costas para nós e ameaçando as estranhas. Escuto os gritos dele e sei que ele só quer nos proteger, ele está tão assustado e preocupado quanto todos nós, mas está tentando descontar nas pessoas erradas.

- Ísis! Cadê a mamãe?
- Ela está melhor Penélope. Morfeu ainda está com ela e logo eles voltarão para casa.

Enquanto Ísis tranquiliza Penélope, ainda olhando de canto de olho para as duas estranhas, eu me teleporto para frente de Bubble, erguendo as mãos e o acalmando. Ele parece relutante, mas fecha as asas e recua dois passos. Nunca vi ele tão agressivo assim... Nem tão perdido... Ele olha para as duas ainda desconfiado, mas prefere desviar os olhos e procurar por Penélope. Aparentemente ver ela com Ísis acalmou ele bem mais do que qualquer coisa que eu pudesse falar.

- Quem são vocês? - Ísis pergunta, ainda um pouco desconfiada. Não sei de onde Alice a trouxe, mas seja lá o que aconteceu no passado dessa menina, a deixou bem desconfiada de estranhos. Bubble se aproxima de Penélope, abaixando a cabeça até a cabeça de minha mestra, dando força também quando percebe que ela ficou triste novamente por Alice não ter voltado com eles. Eu só posso suspirar e, já que as boas maneiras parecem ter sido esquecidas pelos outros (e só por hoje vou deixar passar) me curvo perante as estranhas, agradecendo pela apresentação e as convidando para se sentarem conosco. Possivelmente conhecer pessoas e pokémons novos mantenha Penélope distraída até o retorno de Alice.

Morfeu's POV

Não sei quanto tempo fiquei deitado com a cabeça sobre a mão de Alice, porém em algum momento a senti se mexer e, quando dei por mim, ela estava se levantando. A sigo para fora do quarto e dele em direção à sacerdotisa. Alice não agradece, nem nada, somente faz uma referência muda e vai embora, em direção à saída.

No lado de fora, por um momento achei que voltaríamos para o hotel, onde todos nos aguardavam. Mas Alice andou em direção da estação de trem. A caminhada foi longa e me fazia lembrar de Nyender, quando éramos só nós dois. Não podia negar que estava feliz por vê-la em pé, andando, aparentemente bem depois de tudo o que aconteceu e ainda me conceder um momento como os que eu tanto amava.

Quando finalmente chegamos na estação de trem, demoraram para nos atender, porém quando o fizeram, nos entregaram muitas coisas. Alice logo começa a mexer em tudo o que recebeu, deixando os dois eggs para uma tal de Kate. A esfera de Aron, que estava esquecida na mochila que deixaram com ela, era adicionada a boa parte dos itens sobre o balcão. De todos os itens, somente algumas TMs ela guardou na mochila, todos os outros ela devolveu, encaminhando para outras pessoas. Com tudo enviado, saímos da estação e Alice parou por um instante, olhando em direção ao caminho que deveríamos seguir.


Resumo:


  • 2 Eggs Misteriosos -> Kate, em Chermont mesmo. Custo: 0Pk$
  • Banetite -> Érica, em Nyender. Custo: 120Pk$
  • TM X-Scissor, TM Double Team, TM Power-Up Punch, Dawn Stone -> Galatea, em Tsumi. Custo: 480Pk$ para chegar até Mengun. Depois entra no caixote para Tsumi.
  • Alakazite -> Fleur, em New Nyender. Custo: 480Pk$ para chegar até Mengun. Depois entra no caixote para New Nyender.
  • Aron, TM Giga Impact, TM Double Team, TM Power-Up Punch -> Kiba, em New Nyender. Custo: 1,120 para chegar até Mengun. Depois entra no caixote para New Nyender.
  • Caixote para Tsumi: 400Pk$
  • Caixote para New Nyender: 500Pk$


Total gasto: 3,100Pk$
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Seg 23 Fev 2015, 00:09

Susana, após pegar a pokébola do Pokémon misterioso e de origem desconhecida, voltava para o hotel e se reencontrava com Samantha. Após uma noite repleta de pesadelos, ambas as Stylists conversavam sobre que ser misterioso habitava a esfera vermelha. Ao terminarem o café, optaram por ir até a piscina e aproveitar um pouco. Embora a intenção de uma tarde calma, encontravam uma criança chorando ao lado da Kirlia já conhecida.

Mandy estava aflita, sem saber o que aconteceu ou a razão. Mirava o céu com frequência, tentando encontrar a grande coruja, não sabendo para onde Alice havia sido levada. Tentava acalmar sua mestra. A chegada de duas jovens chamava sua atenção, mas como não sentiu maldade, permitiu que ambas se aproximassem. Penélope ainda chorava sem parar.

Susana e Samantha se organizavam e bolavam uma apresentação. O ambiente mais iluminado, as notas de água flutuando que eram iluminadas, em conjunto com a música, conseguia acalmar a mais nova. Os soluços paravam, embora ainda houvesse tristeza no olhar, mas já era um avanço. Outras pessoas haviam se aproximado para assistir a apresentação e, embora fossem poucas, pareciam interessadas em continuar assistindo.

As duas Stylists não puderam pensar em como continuar a apresentação, devido ao Noctowl que pousava e ameaçava ambas. Uma adolescente consolava a criança ainda abatida, enquanto a Kirlia acalmava a ave e impedia qualquer ataque. A ruiva e a morena se recuperavam do susto, a loira se mostrando desconfiada das duas, enquanto a Pokémon Emoção convidava a dupla a se sentar com o resto do grupo e se mostrava simpática.

As outras pessoas se afastavam, mas se mantinham por perto, assustadas e fascinadas pela presença do Pokémon que deveria estar extinto. Quando o sinal de perigo passou, Umbreon era a primeira a se aproximar, cumprimentando Mandy e parecendo tentar convencer Penélope a brincar com ela. Um Munchlax, também com olhar abatido, se aproximava da criança e tentava alegrá-la, pela primeira vez não tendo interesse em comer.

Enquanto isso, Alice e Morfeu se retiravam do templo, realizando uma breve reverencia para a sacerdotisa, que apenas move levemente a cabeça, respondendo o gesto antes de voltar a sua oração. Nenhuma palavra era proferida, mas a mais velha parecia preferir daquela forma.

Do lado de fora, Morfeu tinha dificuldades de ignorar uma garota loira, que xingava uma ruiva, uma tal de morena metida e chamando o irmão por termos nada adequados, mas o pior era o cheiro que ela tinha, como se tivesse sido atingida por um Skuntank, o que não surpreenderia, visto sua reclamação de que já havia tomado cerca de vinte e sete banhos. O mais curioso, no entanto, era vê-la com uma marreta e olhando para um carro, obviamente caro, como se aquilo fosse sua tão esperada vingança.

Alice andava na direção da estação de trem, acompanhada por seu Pokémon, que ouviu um berro agudo dizendo "De novo não" acompanhado de vários xingamentos, mas optou por ignorar. Ver Alice bem, estando a sós com ela, era maravilhoso demais e nada estragaria esse momento. Ao chegar no local, enviando diversos itens para outras pessoas e retirando alguns poucos, a giratinista voltava a caminhar em direção ao hotel.


+2 pontos de fama para Susana.
Off: em breve atualizo fichas \o
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Seg 23 Fev 2015, 00:50

off: ^^



Samantha e eu estávamos animadas por tudo ter dado certo na nossa pequena apresentação improvisada, já pensando no que fazer para colocar um sorriso no rosto daquela menina. Ela estava muito triste, mas só de termos conseguido fazer ela parar de chorar, já era uma vitória, ainda maior quando notamos algumas outras pessoas, que pareciam ter assistido e gostado do que tinham visto.

Eu estava rindo um pouco sozinha, lembrando de como Samantha quase parou de cantar quando eu comecei a imitar a canção da Jigglypuff, anotando mentalmente que mais tarde teria que responder várias perguntas para ela. Samantha já estava indo se apresentar, começando com Charmander, que parecia um pouco sem jeito com todos olhando para ela, mas antes que pudéssemos falar, tivémos que pular para trás simplesmente para não sermos atingidas por um grande pokemon voador que pousou bem na nossa frente.

Foi tudo tão rápido que eu me senti perdida e completamente confusa. Quando olhei para o pokemon, fiquei sem fala quando vi que era aquele "Noctowl" de antes, mas agora parecia furioso e conseguia me encher de medo só parado ali batendo as asas e o bico, como se estivesse furioso. Enquanto Samantha tentava acalmar Charmander, ao mesmo tempo em que pedia calma para o "Noctowl", Bulbasaur pulou na nossa frente usando o Protect, parecendo não estar gostando nem um pouco de como aquele pokemon estava atacando sem motivos.

No mesmo instante em que o Protect de Bulbasaur perdeu o efeito e Umbreon se preparava para usar qualquer ataque para nos defender, Kirlia apareceu entre Bulbasaur e o "Noctowl", conseguindo acalmar toda a situação antes que uma batalha começasse ali mesmo. Meu coração estava acelerado e eu estava tão confusa que só percebi a loira quando estava me levantando e ela veio fazer algumas perguntas.

- Meu nome é Samantha. Essa é minha amiga Susana e esses são nosso pokemon. - Respondeu Samantha enquanto tirava um pouco de sujeira da roupa e ficava olhando do Noctowl, para a criança e depois para a loira, provavelmente tentando entender toda aquela bagunça.

- Nós só estávamos tentando ajudar. Achamos ela chorando aqui e como ela estava triste demais para dizer qualquer coisa, tentamos acalmar ela um pouco. Desculpe se assustamos ou incomodamos de alguma forma. - Falei quase tão confusa quanto Samantha. Quando a Kirlia se aproximou de novo, aparentemente nos convidando para ir sentar com elas e com aquele "Noctowl" estranho fiquei sem saber o que fazer, mas como Umbreon e Charmander foram correndo na nossa frente, ficamos um pouco sem opções e aceitamos o tal convite.

- Vocês são irmãs? - Perguntei tentando melhorar um pouco o clima, enquanto não parava de olhar para aquele "Noctowl", ainda temendo um pouco que ele voltasse a nos atacar. Tudo aquilo estava ficando complicado demais para uma simples tarde na piscina.......

Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Seg 23 Fev 2015, 01:11

Mandy's POV

- Muito obrigada por ajudarem e desculpa o quase ataque. Bubble normalmente é muito atencioso e muito simpático, mas o dia hoje tem sido meio estranho... E não, não somos irmãs. A mãe da Penélope me ajudou e eu tento ajudar como posso para retribuir.

Escuto Ísis falando com Samantha e Susan. É bom ver que elas estão conversando naturalmente e sem muito receio após a pequena confusão. Penélope contudo, fica com o olhar baixo ainda. Isso volta a me preocupar. Ela só murmura um sinto muito e sai da mesa, sentando de novo no chão, com as costas na parede do hotel e mirando os pokémons ao longe. Bubble se senta ao lado dela, praticamente montando guarda e claramente preocupado.

Ísis nos olha preocupada e sei o que ela está pensando. Sei melhor do que ninguém que ela tema que Alice não volte logo e que Penélope piore. Quando Umbreon chega saltando, algumas penas no pescoço de Bubble começam a se eriçar, porém logo o advirto, dizendo que ele já causou muitos mau entendidos por um dia. Isso parece deixar ele constrangido, quase como ele realmente é.

Penélope fica acariciando o pelo da Umbreon, aparentemente gostando da pokémon negra. Isso é bom. O problema começa quando Daiki chega e se depara com uma pokémon que aparente ser tão brincalhona quanto ele... Os dois logo começam a pular tanto que fica quase impossível acompanhá-los com os olhos. Penélope quase solta uma risada com a cena. Quase... Estamos chegando perto... Isso me anima. Pelo menos até reparar em Munchlax empurrando um prato de panquecas para longe. Ai meu Arceus.... Tem muita depressão por aqui e isso não me faz bem...

- Hoje pela manhã, os pokémons estavam treinando enquanto nós estávamos no curso de Etiqueta e tudo parecia bem. Dois dos pokémons da Alice até evoluíram nisso. Mas... Quando nos reencontramos, ela ficou muito estranha... E a passar mal... E ainda não sabemos o que ela tem... - Ísis contava para as duas Stylists que tentaram acalmar Penélope. Até que ela conseguiu resumir bem o caso... Mas devo admitir que não prestei muita atenção em como a conversa chegou nesse ponto, já que preciso cuidar para que uma Umbreon e um Growlithe não caiam na piscina enquanto brincam (o que já quase aconteceu), um Munchlax sem fome (e isso é muito preocupante), um Noctowl perdido que não se confia ou se ataca (potencialmente problemático demais), um Bulbasaur que fica me olhando torto (tá, com esse não preciso me preocupar exatamente agora, mas me preocupo...), com uma Charmander que não sabe se aproxima-se de Penélope ou não (eu gostaria que ela escolhesse logo para estar por perto controlando o Bubble nessa hora...). Às vezes sinto vontade de deixar os pokémons se cuidando e cuidar da minha Penélope, mas não tenho coragem de fazer isso. Ai meu Arceus, o que eu faço?
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Ter 24 Fev 2015, 20:15

A confusão que surgia, por sorte, terminava rápido. Susana sentia o coração acelerado, assustada com a grande coruja, seus Pokémon já prontos para reagir e tentar defender as duas Stylists, mas a Pokémon Emoção conseguia apaziguar a situação. Samantha respondia a pergunta da jovem loira, apresentando o grupo para, pouco depois, Susana explicar o que havia acontecido.

Com a situação mais calma e todos sentados juntos (embora a ruiva ainda temesse um ataque do voador), Ísis se desculpava pelo quase ataque e respondia a pergunta. Penélope se afastava e mirava os monstrinhos de bolso de longe, ainda triste. A Pokémon Luar se aproximava e, antes que Bubble pudesse ameaçar a Pokémon, Mandy dava uma bronca no mesmo. Logo o Growlithe entrava em cena e brincava com Umbreon, parecendo distrair a menor, mas ver o Pokémon guloso recusar comida preocupava Kirlia.

Ísis resumia os acontecimentos e Mandy parecia prestes a entrar em crise. Se por um lado queria cuidar de sua mestra, por outro não queria deixar os outros sem algum cuidado. Para todos do grupo, a tarde na piscina para relaxar/treinar tomou um rumo muito diferente.
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Ter 24 Fev 2015, 21:29



Com o Noctowl se afastando para perto da garotinha, fico um pouco mais tranquila, imaginando que ele estaria ocupado demais cuidando dela para vir nos atacar, mas ainda ficava preocupada com ela. Só podia ter acontecido algo muito sério ou assustador para alguém da idade dela estar tão triste e querendo ficar afastada em vez de conhecer novos pokemon e amigos.

- Tudo bem, ele só estava fazendo o que achava certo. - Comentou Samantha, logo se sentando perto da loira, enquanto eu me sentava um pouco mais afastada, com Bulbasaur no colo, em um lugar onde eu poderia ficar de olho no "Noctowl", apenas por garantia. Quando vou chamar Umbreon para ficar com a gente, percebo que ela já está quase do lado do Noctowl, indo ver o que eles estavam fazendo ali sozinhos

Prendi a respiração e Bulbasaur já se colocava em posição de ir ajudar, quando do nada Noctowl parou de encarar a minha pokemon e a deixou ficar perto da garotinha, que ao menos parecia se animar um pouco mexendo no pelo da Umbreon e vendo como ela conseguia acender e apagar seu anéis vermelhos de maneiras diferentes. Antes que eu pudesse ver da onde ele tinha chegado, um Growlithe apareceu já começando a brincar com a Umbreon, o que com certeza deixou os dois muito alegres.

Os dois pokemon começaram a correr de um lado para o outro, pulando e brincando do pega-pega mais animado que eu já tinha visto. Charmander logo ia ocupar o lugar de Umbreon, talvez tentando animar a garotinha e conhecer melhor o grande pokemon voador, mas decidi não prestar muita atenção, só ficando feliz da Charmander ficar tão afastada.

- Nossa, que coisa estranha. Espero que ela melhore logo. - Comentou Samantha, parecendo ficar preocupada, mas sempre se mantendo atenta a Charmander e nos dois pokemon brincando, o que fazia ela quase girar a cabeça só para acompanhar aqueles dois. Eu também fiquei triste em saber o motivo de tudo aquilo, mas não pude deixar de perceber um pequeno detalhe.....

- Alice?... Espero que ela melhore logo.... - Comentei um pouco perdida em meus pensamentos. Era muita coincidência eu ter encontrado outra Alice, mas não podia ser a minha prima. Até onde eu tinha entendido, essa Alice que passou mal e teve que ir para o hospital era mãe da garotinha e como não fazia tanto tempo que minha prima tinha sumido (pelo menos não tempo o bastante para ter uma filha tão velha), devia ser uma outra Alice....

- Será que podemos ajudar em alguma coisa? - Perguntei tentando não prestar atenção na confusão que Umbreon e Growlithe estavam fazendo, o que era um pouco difícil depois deles terem passado praticamente do meu lado. Bulbasaur ainda não estava muito feliz ou a vontade depois da ameaça de Noctowl, mas depois de um tempo ele ao menos desfez a careta e começou a ajudar Kirlia a vigiar Umbreon e Growlithe, até ajudando com os seus cipós quando algum dos ia perto demais da piscina ou aprontava alguma outra coisa.

Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Ter 24 Fev 2015, 22:15

Mandy's POV

Fiquei feliz quando Umbreon chegou perto para animar um pouco Penélope, porém quando Daiki chegou, o caos estava feito. Os dois pareciam os melhores amigos se reencontrando do jeito que corriam e brincavam. Era muito difícil acompanhar. Quando a Charmander sentou perto de Penélope, se apresentando, pedi para que ela cuidasse de minha mestra e fui tentar impedir que os outros dois caíssem na piscina. Sorte minha que Bulbasaur resolveu me ajudar, pois estava ficando difícil acompanhar a dupla dinâmica.

- Muito obrigada. - Ísis dizia após ouvir a ruiva oferecer ajuda. - Mas nem sei o que pode ser feito para ajudar...

Após cansar um pouco, sento ao lado de Munchlax. Uso meus poderes para trazer Shinji para fora da Pokébola, na esperança de que ele consiga se comunicar com a Umbreon de forma mais clara e a convença a levar a brincadeira para longe da piscina, antes que ela e Daiki se machuquem. O ato não passou desapercebido pelas garotas da mesa e Ísis olhava para o negro com vergonha por tê-lo deixado na esfera por tanto tempo, mas bastou ela pedir desculpas que ele suspirou e passou a tentar alcançar a Umbreon e o Daiki para me ajudar. Eu sei que logo ele vai vir me questionar sobre a Akane, mas por enquanto tenho um tempinho para tentar consolar Lax, sempre de olho em Penélope também.

- Ah! Antes que eu esqueça de novo, meu nome é Ísis. A menina é a Penélope, a Kirlia é a Mandy, o Munchlax é o Lax, o Growlithe é o Daiki, o Umbreon é o Shinji e o Noctowl é o Bubble. - Ísis dizia apontando de um em um, tentando não esquecer de ninguém. As coisas até que pareciam calmas ali, pelo menos até ouvir Penélope chamando Alice. Ao me virar, me deparo com a Giratinista ajoelhada no chão e retribuindo o abraço de Penélope, atrás dela, obviamente, o Morfeu.

Morfeu's POV

Não havíamos nos afastado muito até o celular de Alice tocar, indicando novas entregas na estação. Sendo assim retornamos até que bem rápido. Eu ouvi minha Senhora enviando os quatro Lucky Eggs para uma tal de Lucia em Grung, depositando mais uma quantia sobre o balcão. O dinheiro se vai rápido demais para o meu gosto....

Novamente em frente a estação, dois golpes me eram ensinados e eu prometia fazer muito bom uso deles. Mais poder para proteger e libertar Alice, era isso o que eu queria. Depois desse envio de itens, rumamos para o hotel sem parar para olhar para os lados. Minha criança parecia determinada a chegar logo onde os outros estavam. Nosso momento a sós acabava e, se por um lado eu ficava triste com isso, por outro eu começava a ficar aliviado por ter ajuda em proteger Alice, afinal poderia me dedicar mais em caçar o Hypno das chamas.

- Mãe!

Ao entrar no hotel, percebo que há mais pessoas e pokémons desconhecidos ao redor. Penélope não demorou em se levantar correndo e abraçar minha Senhora pelo pescoço. O mais interessante era ver Alice ajoelhada no chão, passando os braços pela cintura da criança e retribuindo o abraço.

- Alice? - Ísis diz se erguendo e aparentemente sem acreditar em como retornamos rápido e com Alice inteira de novo.
- Não me assusta assim de novo, tá bom? - A menina pedia com a voz trêmula.
- Não vou. - Minha Senhora responde, porém seus olhos não estão mais na criança e sim em uma ruiva. - Susie? - Ela pergunta com o olhar aparentemente confuso, se levantando sem tirar a mão da cabeça de Penélope. Isso faz com que meus olhos se voltem para a estranha, tentando saber quem é ela e como minha criança a conhece. É alguém do passado? É alguém importante?


off: Ensinar Focus Blast e Taunt para Morfeu. Esquecer Disable.
off2: Mandar os 4 lucky eggs para Lucia em grung. Preço do envio: 180Pk$.
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Sex 27 Fev 2015, 21:28

Alice, após enviar mais alguns itens para uma pessoa e ensinar alguns ataques para Morfeu, voltava a seguir seu caminho, se dirigindo até o hotel. Enquanto isso, Susana, Samantha e Ísis conversavam tranquilamente. Umbreon e Daiki brincavam de forma animada, enquanto Mandy e Bulbasaur tentavam manter a dupla longe de encrencas. Shinji logo se juntava, tentando impedir os dois de caírem na piscina, mas por mais que estivessem em maior número, a dupla dinâmica parecia levar a melhor e se mostrava um grande desafio.

Charmander se aproximava de Penélope, tentando animar a menina. Susana estranhava o nome, mas a julgar pelo tempo, acreditava ser outra pessoa e oferecia ajuda, Ísis confessando não saber se alguma coisa podia ser feita e apresentando todos que estavam ali para as duas Stylists.

Mandy, um pouco cansada de correr atrás de Umbreon e Daiki, deixava a tarefa de cuidar da dupla para Bulbasaur e Shinji, tentando animar o Munchlax. No entanto, a atenção de todos era desviada ao ouvir Penélope, se virando na direção da menina. A visão de Alice fazia muitos ficarem aliviados, Penélope abraçava a mulher e o gesto era retribuído. Susana mirava sem acreditar, tendo dificuldades em processar a imagem diante de seus olhos. Sua prima, acordada e aparentemente bem, a reconhecendo, e atrás dela, um Hypno.

Ísis pareceu ficar confusa quando a Giratinista chamou a ruiva, bem como Mandy e, principalmente, Morfeu. O psíquico já se fazia diversas perguntas, mirando Susana.




Off: ficha em breve será atualizada.
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Sab 28 Fev 2015, 23:29

off: ^^



A resposta da loira foi o que eu imaginava, infelizmente. Nesses casos não havia muito o que se fazer além de esperar e torcer muito para que tudo acabasse bem e logo, eu sabia bem disso. Os pokemon ao menos animavam um pouco o ambiente e todos com suas brincadeiras que beiravam a pura bagunça, mas ainda assim era difícil não ficar triste por elas.

Uma luz vermelha chamou minha atenção, mas assim que eu vi que era outro Umbreon, provavelmente um shiny ou com cores anormais, como a minha, tentando acalmar os pokemon que brincavam, parei de dar tanta atenção. Isis logo se desculpou e finalmente apresentou todos ali, o que foi uma lista grande de nomes, mas acho que consegui decorar quase todos.....acho.

Estava tão concentrada, revendo os nomes mentalmente, tentando não esquecer de nenhum, que quase caí da cadeira de susto quando Penélope gritou algo alegre e saiu correndo para a entrada da
piscina. Logo imaginei que fosse a mãe dela, que felizmente já estava de volta e recuperada, mas assim que me virei, ouvindo Samantha falar que estava feliz por finalmente ver Penélope se animar, fiquei olhando sem acreditar.

Ísis passou por mim, confirmando o nome da recém chegada, mas ainda assim era difícil acreditar no que eu estava vendo, então em vários momentos esfreguei meus olhos ou dei alguns beliscões fortes no meu braço. Não podia ser verdade, mas eu estava mesmo vendo Alice bem na minha frente? Aquela parecia muito ser a minha prima, mas ao mesmo tempo era tão impossível era estar ali, com uma filha e com tantos pokemon que a minha mente não conseguia funcionar direito.

- Lyce, é você mesma? - Perguntei ainda sem conseguir acreditar direito, mas sentindo todas as duvidas enfraquecerem muito quando ela me chamou. Só a Alice, minha prima tinha me dado um apelido e já fazia tanto tempo, que nem mesmo nosso pais se lembravam mais, então não tinha como qualquer outro saber disso. Aquela era ela...

- Eu não acredito... onde você foi? Eu fui te visitar e você tinha sumido, por que fugi.... - Falei animada e confusa, já indo dar um abraço nela, não acreditando que ela estava bem, mas assim que olhei para o lado dela, esqueci de todo o resto. Meus olhos se concentraram naquele pokemon e ultima coisa que eu ouvi foi alguém me chamando, mas tão distante que parecia só impressão.




Mas..... o que? @.@


Perseguir uma Umbreon e um Growlithe com energia sem fim e sem vontade de parar, pude tomar cuidado para não se machucarem não era legal e muito menos divertido. Agora eu entendi porque aquela Kirlia estava quase enlouquecendo fazendo isso, mas ainda assim não deixei de ficar de olho no pássaro gigante. Não confio nele.



Em algum momento, depois de eu bater cara pela terceira vez em uma cadeira depois de me distrair ficando de olho naquele pássaro irritado, outro Umbreon apareceu, então ficou um pouco menos difícil correr atrás daqueles dois. Felizmente tudo isso parou (pelo menos um pouco), quando uma mulher chegou, chamando toda a atenção.



Ela era um pouco assustadora com aquele Hypno do lado, que parecia ter acordado com o pé esquerdo ou simplesmente era rabugento demais. A garotinha, Penélope logo foi dar um abraço na mulher, me mostrando que aquela era a sua mãe, mas ainda assim não consegui deixar de achar ela meio estranha. Isso me lembrou imediatamente de Susana, então larguei o tal Shinji com o "trabalho" e fui ver como ela estava.



No começo tudo parecia bem e uma pouco estranho. Susana conhecia aquela mulher? Como é que ela conseguia ficar tão feliz e não ter medo daqueles dois? Isso era estranho, mas já que ela estava feliz, por que eu reclamaria? Mas logo tudo mudou...



Eu estava indo do lado dela, quando do nada ela simplesmente congelou. Fiquei com muito medo que ela só tivesse notado no Hypno agora ou que tivesse lembrado de algo terrível sobre os dois, mas nada do que eu imaginei poderia me preparar para o que eu vi.



Primeiro ela caiu sentada, com um olhar de pânico completo, como eu nunca tinha visto antes. Ela começou a balbuciar coisas sem sentido, tentando se afastar se arrastando para trás, mas quanto mais ela olhava para aquele pokemon rabugento, pior ela ficava. Fiquei completamente imóvel enquanto ela gritava para ele se afastar, depois gritando por Alice, pelos pais e depois simplesmente gritando.... Era horrível de se ver.



Eu só conseguia olhar enquanto ela segurava a cabeça com as mãos, gritando muito e provavelmente nem percebendo quando Samantha foi pro lado dela, quase tão desesperada quanto eu, tentando fazer alguma coisa. Chamar, acalmar ela, ficar entre ela e o pokemon... nada fazia efeito! Quando achei que não podia piorar, ela olhou uma ultima vez para o Hypno, dessa vez com um olhar vazio e logo simplesmente desmaiou.



Só lembrei que precisava fazer alguma coisa quando Umbreon chegou do meu lado, rosnando alto para o Hypno e para a mulher. Sem pensar duas vezes, me uni a ela. -O QUE VOCÊ FEZ?! - Foi o que nós dois gritamo antes de correr em direção daquele pokemon, eu carregando meu solarbeam e ela o Psychic para controlar ele e depois Dark pulse. Nós não perdoaríamos aquele Hypno...



Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Dom 01 Mar 2015, 12:19

Morfeu's POV

Como se eu já não tivesse dúvidas o suficiente na minha mente, a estranha começou a gritar e ter um ataque só de me ver. A conclusão é meio óbvia: ela conhece minha Senhora e teve contato com o Hypno da floresta. Mas saber disso não melhora o fato de ter mais uma garota gritando apavorada enquanto me encara. Sério, eu não sou aquele Hypno e ficarem me comparando a ele não melhora meu humor.

Para dar o toque final, os pokémons da garota resolveram me atacar, como se eu fosse o culpado disso tudo. Nem me designo a responder para eles. Gente irritada normalmente não entende coisas óbvias demais. Bubble é rápido e pousa sobre a Umbreon que avançava contra mim, segurando ela com suas patas. Acho interessante o fato dele tentar não machucá-la, pelo menos por enquanto. Mas bem, com um a menos, só preciso devolver o solarbeam com meu psychic.

- O que tá acontecendo? - Penélope perguntou confusa, sem entender o motivo da crise da ruivinha e dos pokémons dela terem nos atacado. Até mesmo Daiki parou de correr feito louco e ficou "encarando" a todos sem entender.

Alice parece ignorar o fato de termos sido atacados. Isso é bom, ela nunca se importou com ataques. Sei que ela confia em nossa força para protegê-la e fico feliz disso não ter mudado nela. Penélope segue os passos de minha Senhora, segurando sua mão com força. Mantendo meu olho nos pokémons das duas estranhas, sigo minha Criança até a ruiva desmaiada. Vejo Alice se ajoelhar ao lado dela e ficar a encarando, sem tocá-la, para logo depois se erguer.

- Traga-a Morfeu.

É brincadeira né? Por que Alice me pediu para levar essa garota? Ísis tá tentando convence Bubble a soltar a Umbreon, enquanto Mandy está tentando acalmar o Bulbasaur. Algo que me diz que nenhuma das duas terão sucesso.... Claro que posso estar enganado, mas Mandy é a mais propensa a falhar em seu plano. Bubble até é capaz de soltar a Umbreon, se ela parar de dar a entender que vai me atacar de novo. Deixa ela tentar, ainda quero descarregar um pouco dessa frustração de só chegar e começarem a gritar e desmaiarem ao me ver.

Suspiro de forma resignada e uso o Psychic para erguer a ruivinha. Alice está andando em direção ao quarto e realmente não me agrada o fato de levar uma estranha para o nosso quarto. Ísis tá conversando com a amiga dessa daqui, aparentemente tentando tranquilizar ela enquanto tenta entender o que houve. Para mim a única vantagem é que com a ruiva desmaiada posso invadir a mente dela sem dificuldades. Ela conhece Alice, ela não parece estar presa na hipnose do outro Hypno e ela parece ter tido contato com ele. Talvez eu descubra alguns detalhes dessa história que me ajudem a caçar aquele infeliz.
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Dom 01 Mar 2015, 17:44

A situação parecia fugir do controle por alguns momentos, com Susana entrando em crise ao visualizar o Hypno. Morfeu já sabia o que havia acontecido com a ruiva, mas Umbreon e Bulbasaur ficavam confusos e, atribuindo a culpa ao psíquico, tentavam atacar. Samantha ficava perdida e Ísis tentava acalmar a morena, mas também não sabendo o que fazer.

Umbreon era presa por Bubble, ficando desnorteada e tentando se livrar. O golpe do Pokémon Grass voltava contra ele mesmo, devido ao Psychic de Morfeu. Penélope ficava confusa com o que acontecia, Ísis tentava acalmar a coruja enquanto Mandy tentava acalmar Bulbasaur, utilizando o Heal Pulse para curá-lo e pedindo calma ao mesmo. O monstrinho verde continuava querendo atacar, ainda mais quando Susana era erguida pelo Psychic de Hypno, mas não atacou quando viu que estavam indo para o interior do hotel.

No interior do quarto, Ísis ainda conversava e tentava explicar a situação para Samantha. Os diversos seres espalhados pelo quarto estavam ainda tensos, criando um clima desagradável entre eles. Mandy tentava manter todos calmos, mas Morfeu logo invadia a mente de Susana, buscando qualquer informação.

Viu as duas crianças brincando, algumas vezes com um rapaz mais velho junto. Viu quando Susana descobriu que Alice havia se perdido e tentado ajudar. As próximas imagens eram distorcidas e confusas demais para que o Pokémon conseguisse alguma informação maior. Depois disso, Alice estava em coma e a ruiva a visitava. Pouco foi o que Morfeu descobriu, mas o nome da cidade onde sua mestra nasceu, e o nome da floresta onde tudo aconteceu, eram descobertos. Erobring City e Kuroi Mori.



Off: desculpa o post sem muito movimento >.<
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Seg 02 Mar 2015, 02:13

off: sorry o post ruim =x

A partir de hoje odeio Hypnos ù.ú


Correr me concentrando para usar Solarbeam não era nada fácil, mas ainda assim eu avançava contra aquele Hypno mau humorado e no mesmo momento que o pássaro gigante acabava pegando Umbreon, eu lançava o meu ataque, torcendo para que ao menos Umbreon conseguisse usar Psychic. Quando vi uma aura azul cobrir o meu ataque fiquei feliz, imaginando que fosse a Umbreon, então quando o ataque simplesmente fez uma e se voltou contra mim, não tive tempo nem de entender o que estava acontecendo.



Só consegui fechar os olhos e logo eu fui parar bem longe acho que de volta para perto da Kirlia e de Samantha, com muita dor. Eu já imaginava que Solarbeam fosse um ataque muito forte, mas eu não imaginava que machucasse tanto, ainda mais lembrando que tinha sido eu mesmo que havia lançado o ataque. Meus joelhos tremiam demais toda a vez que eu tentava me levantar, então fui obrigado a ficar ali mesmo.



De onde eu estava era quase impossível ver a Umbreon, mas eu consegui ver os dois Dark pulse que ela lançou para cima, sem conseguir acertar nada. Tive a impressão de ouvir aquele pássaro falara alguma coisa, talvez falando com a Umbreon e antes que eu entendesse, ela parecia se acalmar e parar de atacar.



Isis e Samantha conversavam alguma coisa do meu lado, ambas preocupadas e sem entender, mas eu não estava nem ai para o que elas estavam falando. Aquela mulher se aproximou de Susana, com a Penélope sempre ao lado e quando eu vi o Hypno erguendo Susana com o que parecia Psychic, descobri o que tinha acontecido com o meu ataque e quase lancei meu Power Whip de raiva e para impedir que eles machucassem Susana ainda mais. kirlia foi a única coisa que me impediu de fazer isso.



- Me acalmar? Só depois de acabar com ELE! - Falei quando a Kirlia pediu para que eu ficasse mais calmo, dizendo que esse tal de Morfeu não tinha culpa. Que isso também tinha acontecido com a Alice e que ele estava passando por um momento difícil, sofrendo muito por causa disso... sei! Ele realmente me parece muito preocupado do mesmo jeito que eu adorava receber meus próprios ataques no rosto!



- Para Bulbasaur, desse jeito a gente não vai ajudar em nada. - Falou a Umbreon aparecendo de sei-lá-onde. Eu não conseguia acreditar que ela estava do lado deles agora, que traidora! - Susana precisa de você calmo - Quando ela falou isso eu parei onde estava, parando de tentar achar um jeito de acertar um Power Whip no Hypno. Ela estava certa.



Nesse momento deixei para me vingar daquele Morfeu mais tarde e aproveitei que Kuirlia tinha me curado para correr e alcançar aquela mulher e Penélope, tentando andar bem perto de Susana. Ouvi Samantha e os outros andando atrás de nós, mas só prestei tenção em Susana. Ela parecia estar só dormindo, mas as vezes parecia estar no meio de um pesadelo horrível, o que me deixava ainda mais preocupado.



O caminho até o quarto foi muito longo, ainda mais quando passamos pelo quarto em que estávamos e entramos em um outro, um pouco maior e mais bagunçado. Quando Susana foi colocada na cama, eu logo fiquei do lado dela, dessa vez no chão, só olhando e tentando ver se ela acordava. Quando Morfeu ficou do meu lado eu quase rosnei para ele, mas me mantive "calmo", a pedido de Samantha e da Mandy.



- Será que eu posso saber o que você esta fazendo? - Perguntei para Morfeu assim que os olhos dele começaram a brilhar de um jeito que conseguiu me incomodar (pensando bem, só a presença dele ali já me incomodava). Ele agiu como se não tivesse me escutado ou simplesmente estava concentrado demais para me escutar, então decidi (por Susana e Mandy) que em vez de lançar algum outro ataque nele, esperaria ele parar de fazer sei-lá-o-que para perguntar de novo.



Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Ter 03 Mar 2015, 11:21

off: se quer post ruim, leia isso u.u


Morfeu's POV

Kuroi Mori....

Então é lá que você se esconde...

Não posso evitar fechar meu punho ao perceber que estou longe de meu alvo. A falta de informações de certa forma foi frustrante, mas descobrir a localização do Hypno que feriu a minha criança já me serve de consolo. Agora tenho uma rota traçada e nada desviará minha atenção do lugar para onde preciso me dirigir.

Com essa informação, intensifico as ondas psíquicas. Penélope fica me encarando e não tenho a menor ideia de quando ela pegou Melissa, mas nem mesmos os protestos de Melissa para ser colocada no chão (sempre com sua educação "exemplar") e o olhar de Chantal insistente sobre ela são capazes de desviar minha concentração. Para Alice havia a ajuda da sacerdotisa e de seus pokémons psíquicos. Para a ruiva só havia eu e eu teria de ser mais o que suficiente para despertá-la.

Nível a nível de seu subconsciente vou invadindo e bloqueando as imagens de Hypnos, de forma que, assim como Alice, ela nunca mais veja um da minha espécie, somente Drowzees no lugar. Espero conseguir fazer isso sozinho. Sinto uma fisgada na nuca por estar forçando meus poderes e tentar criar uma barreira entre essa mulher e o Hypno, mas isso também não pode me deter.

Antes de abandonar a mente dela e ver se obtive sucesso, me presenteio mais uma vez com as memórias felizes, dela e Alice tão jovens e brincando alegres. Espero um dia ter esse sorriso da minha Senhora de verdade e não somente como uma lembrança roubada.

Shinji's POV

E eu achei que as coisas não poderiam ficar mais estranhas.... Mas bem, Ísis está a salvo, por algum motivo ela também não teve piti ao ver um Hypno e pra mim isso está bom. Também não sei o porquê desse povo gostar tanto de um barraco, mas tirando Melissa que está no colo de Penélope contra sua vontade e Chantal que está mais interessado em tentar pegar a Mel para si, o resto tá tudo encarando a ruivinha. Não sei se fará bem para ela acordar e ver Alice, Ísis, Penélope, Mandy, Daiki, Lax (e suas pipocas), Morfeu, Bubble e eu (sim, também estou encarando, me condenem), todo mundo encarando ela... Sem falar no pessoal dela... O que acrescenta dai mais uma Umbreon (muito bonita, mas meu coração ainda é de Akane), um Bulbasaur (que rosna...), uma Charmander e uma garota que acho que ouvi o nome, mas agora não lembro qual é.... 
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Qua 04 Mar 2015, 21:30

Off: momentos de conversa/interação/Morfeu invadindo mentes alheias, então meus posts vão ficar mais curtinhos =x me sentindo dispensável aqui XD
Off²: posts estão ótimos \o\
Off³: Su enfartando? XD




Bulbasaur estava irritado, frustrado, confuso, entre várias outras emoções, mas se forçou a ficar calmo devido a situação, deixando sua vingança para depois. Permanecia perto de sua mestra, temendo por ela e torcendo para que a ruiva ficasse bem. A presença de Morfeu o incomodava, mas o psíquico simplesmente o ignorava.

Morfeu estava frustrado por tão poucas informações, bem como estar tão longe do ser que prejudicou as duas jovens. Ao menos, agora, possuía um caminho para seguir. Tentava bloquear a imagem de Hypnos na mente da ruiva, mas sem a sacerdotisa, tal tarefa se mostrava muito árdua. Com muito custo ele erguia a barreira na mente da ruiva, cheia de falhas e fraquezas, sem saber exatamente se obteve sucesso ou não.

Shinji ficava feliz por sua mestra não ter uma crise ao ver Hypno, analisando a garota inconsciente quando os olhos de Morfeu pararam de brilhar e ele sentava-se, parecendo um pouco desgastado. Todos os outros que estavam no quarto também aguardavam, esperando a Stylist despertar.

Susana sentia sua cabeça mais leve e abria os olhos lentamente. A quantidade de Pokémon e rostos que a encarava deixou a ruiva confusa, sem se recordar do que havia acontecido nas últimas horas. Quando os olhos da Stylist pousaram no Pokémon Hipnose, viu a imagem desfocada, como se fosse um Drowzee um tanto fora de foco, mas que quando forçava a vista e tentasse focar melhor, ele crescia e a imagem se tornava ainda mais desfocada. Morfeu não havia tido sucesso total em seu objetivo, mas pelo menos, conseguia suavizar o impacto que sua imagem tinha na garota.

Infelizmente, o medo de Pokémon amarelos continuava, e ver um Drowzee/Pokémon muito amarelo fora de foco, Charmander Shiny, Vulpix Shiny, entre outros seres com detalhes amarelados, todos muito próximos e a encarando, podia ter um resultado não muito agradável...
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Sex 13 Mar 2015, 00:36

Então ta.... acho que tudo acabou bem....


Era muito irritante ficar ali sem fazer nada, mas ficar olhando aquele narigudo fazer..... sei-lá-o-que, me ignorando completamente era o teste supremo para a minha paciência e auto controle. Umbreon teve que sentar na minha frente, me afastando um pouco daquele Morfeu para que eu não atacasse e só me restou esperar, torcendo para Susana estar bem.



O quarto estava silencioso, com todos observando e esperando, com exceção da pokemon mais escandalosa e boca suja que eu já tinha visto. Umbreon abaixou as orelhas o máximo que conseguiu para não escutar e eu tampei as minhas com os meus cipós, mas ainda assim conseguia ouvir toda a educação daquela Vulpix.....



Quando eu já não aguentava mais esperar ou ter só a voz da Vulpix para ouvir naquele quarto, os olhos de Morfeu pararam de brilhar e ele se sentou, como se estivesse cansado. Não sabia o que pensar disso, então voltei a olhar para Susana antes de perguntar qualquer coisa para o narigudo.



O tempo parecia não passar enquanto todos nós olhávamos para a Susana, que estava se mexendo um pouco, como se estivesse acordando. Quando ela finalmente acordou eu não consegui me segurar e pulei na cama, usando a perna do Morfeu como apoio para pular mais alto.



Fiquei feliz em ver que a Susana parecia bem, só um pouco confusa e assim que ela quase deu um pulo de susto vendo todos ali, inclusive o Hypno, eu não fiquei preocupado, mas feliz. As coisas estavam voltando ao normal e pela primeira vez, fiquei feliz em ter que ver a Samantha acalmando ela por causa de um pokemon amarelo.







Minha cabeça estava um pouco estranha, como se eu tivesse dormido demais e isso só me deixava ainda com menos vontade de abrir os olhos e ver que horas eram. Era um pouco estranho que Samantha, Bulbasaur ou até mesmo Umbreon ainda não tivessem vindo nos acordar, mas o que mais me incomodava era o sonho que eu tinha tido de já ter acordado e ido para a piscina....

Quando eu comecei a ouvir um som estranho, como o de uma pokemon resmungando muito ou pedindo comida, foi que eu vi que tinha alguma coisa estranha. Meus olhos arderam quando eu tentei abrir eles sem perceber que as luzes estavam acessas, então só fui começar a enxergar o quarto quando Bulbasaur pulou todo animado no meu colo, querendo atenção e talvez alguma coisa para comer, mas pelo menos estava bem animado.

Quando olhei em volta eu não sabia no que pensar e muito menos para onde olhar primeiro. Samantha estava sentada em outra cama com alguém, mas antes de ver quem era, eu me virei para ver uma menina abraçada com uma Vulpix muito amarela, que me fez desviar os olhos, para dar de cara com algo muito estranho. Era horrivelmente amarelo, o que me fazia arrepiar e tremer de medo, mas eu não conseguia ver direito e logo desisti, me virando para o Bulbasaur tentando me acalmar, colocar os pensamentos em ordem e deixar marcado que talvez fosse melhor ir visitar um oftalmologista.......

Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Sex 13 Mar 2015, 14:56

Morfeu's POV

A ruivinha acordou, Bulbasaur está pulando em cima dela, a outra garota está acalmando ela, uhul, viva todo mundo...

Até parece.

Me ergo e me afasto daquele amontoado de pessoas e pokémons felizes e infantis, voltando a em aproximar de Alice. Minha Senhora coloca a mão em minha face e diz que fiz bem. Neste momento a dor de cabeça perde sua importância e fico satisfeito do poder que conquistei.

- Hey, você já está melhor moça?

Escuto a voz de Penélope ecoando e a miro de canto de olho. Vulpix agora está nos braços de Chantal e isso não parece ter melhorado o humor dela ou o nível de seu linguajar. Mandy já está incomodada com isso, porém é totalmente ignorada. Não sei dizer quando foi que Penélope foi para a cama da ruivinha, porém ela parecia muito curiosa.

- Já pode me falar de onde conhece a mamãe?
- Também gostaria de saber isso... Você é parente de Alice?

E lá vem ela chamando Alice de mãe. Ainda sou contra isso, porém ela tem o consentimento de minha Senhora e não serei eu a contrariar uma ordem de minha Mestra. Ísis também está perto da ruivinha e acho que só eu percebo que tanta pressão não vai fazer bem para ela... Shinji parece ter notado também, mas logo se esquece de tudo revirando a mochila de Alice e tirando Akane da Pokébola. A pobre Leafeon parece perdida, porém não a culpo, isso aqui está um pouco cheio demais na minha opinião.
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Sab 14 Mar 2015, 16:33

Bulbasaur sentia sua paciência ser testada , não gostando nada da situação e menos ainda ser ignorado. Não havia muito a ser feito que não fosse esperar, mas essa parecia a pior parte. A espera era ainda pior com a presença da Vulpix mais desbocada que o grupo já havia conhecido. No entanto, ao notar sinais da jovem ruiva acordando, a alegria por parte dos que viajavam com a mesma foi geral.

Quando a Stylist finalmente despertou, o inicial Grass já pulava para cima da garota, que estava confusa e sem saber o que estava acontecendo, imaginando que talvez devesse consultar um oftalmologista após ver um Pokémon apenas como uma mancha amarela. Samantha tentava a tranquilizar, enquanto Morfeu voltava ao lado da Giratinista.

Todos se movimentavam ao redor de Susana, fazendo perguntas, deixando a ruiva ainda mais confusa. Akane estava perdida, sem saber o que estava acontecendo. O quarto cada vez mais cheio e cada vez mais movimentado.


Dado lançado.
Boa sorte.
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Conta Fundadora Sab 14 Mar 2015, 16:33

O membro 'Érica' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'Páscoa' :
Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 UgEPdkR

Conta Fundadora


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Susana_fire Dom 15 Mar 2015, 21:46



Com Bulbasaur no meu colo, ainda querendo atenção, me sentei na cama, o que foi bom, já que logo ela estava lotada com Samantha e a garotinha, que eu tinha a vaga impressão que se chamava Penélope. Aquilo estava um pouco confuso para mim, ainda mais vendo que ali não era o nosso quarto e que Alice estava do outro lado do quarto, com...... aquele Drowzee estranho e um olhar distante.

- Aconteceu de novo? - Perguntei para Samantha, já imaginando quanto tempo eu tinha ficado desacordada dessa vez. Era desanimador, ainda mais lembrando que eu até tinha aguentado bem toda aquela bagunça com os pokemon daquela giratinista, mas decidi esperar Samantha responder antes de ver quanto eu tinha regredido.

- É...mais ou menos. Dessa vez foi muito, muito pior do que todas as vezes que eu vi. Foi assustador... - Respondeu ela parecendo ainda estar um pouco preocupada, mas tentando disfarçar com um sorriso enquanto se acomodava melhor na cama para deixar mais espaço livre para nós. Em resumo ela apenas confirmou o que eu estava imaginando, mas parecia estar escondendo alguma coisa......

- Acho que sim. - Respondi para a Penélope assim que ela perguntou e depois que as duas e Samantha pararam de fazer várias perguntas para saber da onde eu conhecia Alice, eu continuei. - Sim, ela é minha prima. Eu sai de Grung principalmente para tentar encontrar ela e perguntar por que ela foi embora. Por que fugiu sem falar nada, sem nem me avisar ou me dar a chance despedir, de talvez ir com você? - Falei no começo só respondendo elas e guardando o fato de Penélope chamar Alice de "mãe" para perguntar depois, mas primeiro me concentrei em perguntar para a Alice algo que estava me incomodando já fazia um bom tempo.

Enquanto eu perguntava e Alice guardava Charmander para deixar o quarto um pouco menos lotado, minha Umbreon ia para perto do outro Umbreon e da pokemon que ele estava tirando da pokeball. Ela parecia querer conversar um pouco, parecendo até conhecer a outra pokemon, mas só me preocuparia com isso depois que conseguisse as minhas respostas.

Susana_fire
Susana_fire


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Alice Qua 18 Mar 2015, 12:20

Morfeu's POV

Todos parecem bombardear a ruiva com perguntas, porém quando eles param é que ela ganha minha atenção. Já sei a resposta que ela dará e possivelmente ela não falará nada que eu já não tenha descoberto invadindo sua mente, no entanto uma pontinha de esperança ainda vive em meu peito. Descobrir algo novo sobre minha Senhora, algo que possa me ajudar a libertá-la dessa prisão em que ela se encontra, é o que prende me atenção em qualquer outro que não seja ela.

Como esperado, contudo, nada de novo surge. A ruiva faz uma pergunta para Alice e a mira diretamente. Percebo que minha Criança ainda está séria, mirando a ruiva e aparentemente vendo ela. Será que ela pensa em uma resposta? Fechando meus olhos, eu lembro de quando começamos nossa jornada, pelas ruas de Nyender. Nunca descobri como Alice chegou até aquela cidade, falando tão pouco como ela falava na época. Isso também não me importava, eu só queria ficar ao lado dela.

- Ísis, cuide de Penélope.

Alice é firme em suas palavras e chama a atenção de todos, principalmente quando começa a andar em direção à porta. Ela parece não querer seguir aquela conversa naquele quarto. Penélope começa a protestar, dizendo que está cansada de ficar no quarto e que já tem idade para participar de conversa de adultos, Ísis já parece perceber que o assunto é de família e resolve ajudar no trabalho de manter a criança longe. Quando Alice passa por Bubble, que ainda está sério mirando todos, ele parece entender o recado e sai pela janela. Sempre desajeitado, mas consegue sair sem quebrar nada.

- Venha Susie. - Alice chama da porta. Miro a garota que acompanha a ruiva, tentando descobrir se ela também virá ou se nos deixará conversar em privacidade. Melissa escapa e corre por entre as pernas de minha Senhora, parando no corredor e agradecendo a liberdade. Akane opta por ficar no quarto, já ajudando Mandy a tentar distrair Penélope que ainda protesta. Não protesto, Bubble nos seguirá dos céus e aparentemente Melissa também nos acompanhará, então acho que é o suficiente, fora os que estão nas esferas junto de Alice...
Alice
Alice


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Érica Sex 20 Mar 2015, 20:42

Off: sorry post fraco, mas como é momento de conversa, então não tem muita coisa pra descrever... =x




Susana era bombardeada por perguntas, ficando um pouco confusa. Alguns Pokémon interagiam entre si, apenas Alice e Morfeu se mantinham em silêncio. Após falar um pouco com a morena e responder algumas perguntas da criança, Susana se virava para Alice e questionava. Fazia suas perguntas para a mulher.

A religiosa se manteve em silêncio por alguns minutos, para logo dizer para a loira cuidar da mais nova e chamar a ruiva para falar do lado de fora. Penélope protestava, querendo saber o que estava acontecendo e qual era o assunto, alegando ter idade para participar da conversa. Ísis, Mandy e Akane tentavam a acalmar. Bubble se retirava pela janela, enquanto Melissa aproveitava a liberdade. Samantha pareceu notar que o assunto era de família, preferindo ficar no quarto e aguardar, dando mais privacidade para as duas primas. Bulbasaur, no entanto, deixou claro que não deixaria Susana sozinha.
Érica
Érica


Ir para o topo Ir para baixo

Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças? - Página 2 Empty Re: Chermont City: o início do despertar ou fim das esperanças?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Ir para o topo Ir para baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir para o topo


 
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos