Para onde vou?

Ir em baixo

Para onde vou? Empty Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Sex 14 Jun 2013, 23:27

Eu recém havia saído da estação de trem que me deixou naquela estranha cidade. Senti a brisa fresca da primavera acariciar minha face com suavidade. Aquele lugar estava repleto de árvores com flores rosadas, rosa assim como meu cabelo.

Olho ao meu redor, confusa para aonde devo ir. As ruas movimentadas e desconhecidas me assustam um pouco. É um tanto solitário. Embora a solidão me assuste, mantenho a postura inabalável que minha família sempre exigiu. Começo a andar, revisando mentalmente o que sabia daquele lugar. Os inúmeros livros que marcaram minha infância sempre foram uteis e importantes.

Alguns chamam esta cidade de “A Cidade Rosa”, outros de “A Cidade do Começo”, mas isso não é importante no momento. Fico andando enquanto olho as árvores, é estranho estar ali. Estranho estar, pela primeira vez, longe de alguma vigilância. Não sei exatamente como agir, me acostumei muito à presença de conhecidos e dos estranhos acidentes. Pergunto-me se, agora, posso tentar voltar a ser eu mesma, sem medo de que os acontecimentos se repitam novamente.

Não sei por que tenho esperanças, nem sei se poderei voltar a ser como antes. Eu divagava, sem ver onde ando, embora minha cabeça erguida fizesse parecer que sabia exatamente para onde ir. Meus pensamentos são interrompidos quando vejo a Academia. Sigo mantendo a postura, apesar de estar um pouco ansiosa. Meu conhecimento seria testado em poucos instantes, fico curiosa. Já li sobre o lugar, sobre Angélica, ouvi histórias sobre os famosos testes, agora iria ver por mim mesma como era. Sentir na própria pele, como alguns costumam dizer.

Ao adentrar no local, observo por poucos segundos, antes de me dirigir até a pessoa mais próxima.

-Com licença, onde encontro a capitã Angélica Tompson? - Pergunto com gentileza, mas mantendo o olhar de sempre. Muitos me chamam de inexpressiva, apesar de eu não entender o motivo direito.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Seg 17 Jun 2013, 11:03

Off.: Olá, bem vinda ao Pokemon Shinki Adventures RPG. Serei seu narrador e espero que possamos nos divertir. ^^
Off.² Para responder às questões do teste faça uso de nosso sistema: O SHINKIDEX  KKKKKKKKKK    XD


Fleur Delacour chega à capital para adquirir a licença que dá direito a portar pokemons. A cidade, muitas vezes chamada "Cidade Rosa" ou "Cidade do Começo" neste caso poderia ser chamada também "Cidade do Nascimento" visto que a jovem começa aqui a sua vida. Não houve oportunidades anteriores de conhecer o mundo, viajar como as garotas normais, sendo vigiada 24 horas por dia. Nunca teve a chance de aproveitar um dia no parque ou uma pracinha, interagindo com outras crianças, seus companheiros sempre foram os livros sendo recompensada com grande quantidade de conhecimento.

Embora não demonstre, mantendo sua bela postura, Fleur está um pouco nervosa, é a primeira vez que se vê completamente sozinha, não sabendo ao certo o que fazer ou para onde ir. Os livros mais uma vez se mostraram úteis para a menina que revisando mentalmente tudo que havia lido sobre a capital descobre onde deve ir: O prédio da Academia de Polícia.

Diante do um pouco assustador edifício ela entra, tentando sempre esconder o nervosismo e insegurança que sentia, os cadetes andavam de um lado para outro, ocupados em seus afazeres. Ao se informar sobre onde deveria fazer a prova, é direcionada para o primeiro andar, onde deveria encontrar uma mulher chamada Angélica Thompson.

Nesse momento Fleur percebe que está sendo observada de perto: Um Meowth ao lado do balcão fitava  a moça, mas sem demonstrar hostilidade, na verdade o gatinho até simpatizara com ela. Em seguida ela sente que algo se esfrega em suas pernas, fazendo alguma pressão. É um imponente Persian.


Para onde vou? 22-2


Fleur caminhava com certa dificuldade, pois o Persian insistia em esfregar-se, passando entre suas pernas juntamente com o Meowth que fazia o mesmo. O alto ronronar dos felinos chamava a atenção dos demais gatos que se aproximavam com a mesma intenção. Seus respectivos mestres olhavam admirados, não era o temperamento comum à nenhum deles demonstrar tamanho afeto.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Seg 17 Jun 2013, 19:55

Era estranho, pela primeira vez em minha vida, tomar os passos de uma pessoa normal. Centenas de jovens de 18 anos, ou alguns poucos a mais, vinham até este lugar fazer as provas. Pergunto-me como seriam as tais provas e, se Angélica era realmente tão horrível como diziam. 
Ainda lembro-me do meu aniversário, quando atingi a maior idade, um dos cozinheiros comentou que eu poderia ir para a Academia, mas o lembrei de meus familiares. Contei como me senti,era algo já comum tal sentimento em meu peito, que eles haviam dito ser inveja. Talvez realmente o fosse, mas agora está mais longe. Lentamente, talvez eu consiga ser igual às outras pessoas e saber dizer o que sinto de verdade.
Agradeço a quantidade de leituras que tive, era como se conhecesse o lugar antes de chegar. As imagens nos livros valorizavam o local, que parecia mais intimidador agora que eu via por mim mesma. Por sorte, um senhor me indicou para onde ir. Não deveria ser difícil encontrar a mulher, pelo menos, eu esperava por isso.
Noto um dos felinos, símbolos da força policial, me observando. Meus olhos fitam os deles, estou um pouco curiosa. Porque ele me observa? Continuaria meu caminho, se não fosse à sensação de algo se esfregando em minha perna. Olho para o local, um persian aparentemente simpatizou comigo.
Sempre imaginei tal pokémon sentado, mantendo alguma pose intimidadora, pelo menos, era assim como eram fotografados ao lado de seus mestres. Era assim que eram descritos. Estariam todos errados, ou aquele era uma exceção da regra? Começo a desconfiar que seja exagero de quem contava as histórias, já que vários felinos agora se aproximavam de mim.
Desisto de prosseguir por enquanto e estico uma das mãos,deixando a palma aberta e próxima de um dos gatos que me rodeava, em um pedido silencioso, desejando permissão para tocar neles.
-É assim... Que demonstram afeição?...
Lanço a pergunta, sem notar o principio de um sorriso escapar da minha face, que se acostumou a ficar quase o tempo todo inalterável. Me abaixo para ficar mais próxima deles, confesso que quero descobrir a textura do pelo deles, nunca toquei em um meowth ou persian antes. Me pergunto se são os pokémons dos cadetes que, tantas vezes, rodearam o local onde eu vivia até pouco tempo, tentando pegar os possíveis criminosos. Só pude olhar de longe enquanto eles faziam a vigia. Será que me reconheceram?
Imaginar se alguém lembra do meu rosto, foi o mais perto que cheguei de alguma amizade com outras pessoas ou pokémons. Minha família são os criados. Meus pais são estranhos que me vigiam. O mundo ainda é estranho. Embora há pouco tempo livre, já sei que é melhor ver e sentir por mim mesma, a ideia de ter um pokémon viajando comigo, agora, é mais aconchegante.
Não olho para mais nada, continuo apenas focada nos pokémons que me rodeiam. Me sinto mais calma e até estranho a facilidade que tais felinos demonstram alguma afeição, talvez verdadeira, enquanto o máximo que consigo, é sorrir sincera sem perceber. 

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Ter 18 Jun 2013, 00:16

Os felinos-símbolo da força policial rodeavam a menina. Fleur notara o Meowth que a observava atentamente e um Persian que parece ter se afeiçoado com ela.
A menina interrompeu sua caminhada passando a observá-los, os gatos sentiram-se confortáveis com ela. Lentamente ela se abaixa, estendendo calmamente a mão em direção ao evoluído, ele não expressa hostilidade, nem ao menos se incomoda com o estender da menina, embora recue um pouco, analisando a situação, porque a proximidade?

Persian estica o focinho em sua direção, avaliando odores, um Meowth mais ousado aproxima-se por trás dela, passando por baixo da mão, passando seu pelo por todo o braço dela. Persian recua mas um pouco, parece querer aproveitar o outro gato como cobaia, para ter certeza que é seguro. De alguma forma a inexperiência de Fleur faz com que se torne receptiva aos pokemons.

Vencido pela curiosidade Persian toca levemente o dedo médio com o focinho, parece chamar a atenção dela. Os outros felinos que passavam pelo saguão ao lado de seus mestres não saíam do recinto sem antes conferir o motivo da junção de tantos em torno de uma simples garotinha. A brincadeira infelizmente dura pouco, os cadetes apontavam suas pokebolas e recolhiam os gatinhos, saindo do estabelecimento silenciosamente. Sobrando apenas o grande Persian e um pequeno Meowth.

Os dois gatos seguem Fleur até a sala da comandante Angélica Thompson.


Para onde vou? AS2yM


Eles entram na sala da capitã acompanhados pela menina, dando um pequeno passo para trás no momento que ouvem a líder gritar com a menina. A mulher exala autoridade e parece exigir explicações dela. Angélica ainda esbravejava e xingava enquanto Meowth sobe no colo da Fleur. O odor da adrenalina toma conta da sala, fazendo os pelos dos felinos arrepiarem-se. O som do baque do punho da mulher contra a mesa deixa até mesmo o Persian em alerta.



Escreva em breves palavras o porque querer se tornar gladiadora.


Meowth que lambia a pata parou para acompanhar o movimento da caneta de Fleur que deslizava sobre o papel.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Ter 18 Jun 2013, 16:26

Os gatos pareciam ficar a vontade perto de mim, mas mesmo assim, persian recuou desconfiado. Não se mostra hostil, nem parece se incomodar, mas pareceu confuso e indeciso. Mantenho minha mão parada no ar, enquanto aguardo a decisão dele e observo sua reação.
 
Analiso, enquanto o vejo esticar o focinho e cheirar minha pele. É mais bonito quando visto de perto, tem um comportamento bem diferente do que imaginei. Sinto o pelo de um meowth passando pelo meu braço, logo o olho e acaricio seu dorso. Sinto o pelo macio entre os dedos e fico feliz. Volto a observar o pokémon já evoluído, quando este toca o focinho em meus dedos. Tento acariciar o topo de sua cabeça, evitando qualquer movimento rápido.
 
Aquilo não durou muito, os cadetes tinham mais o que fazer e retornaram a maioria dos felinos, sobrando apenas um persian e um meowth que continuavam me seguindo até a sala da capitã.
 
Não sei bem o que pensar de Angélica... Ela é autoritária, com certeza, intimidadora e até um pouco violenta. Ambos os gatos recuaram quando a comandante gritou comigo. Pergunto-me se fiz algo de errado ou ilegal para ela estar irritada.
 
-Me desculpe incomodá-la, mas necessito fazer o teste com a senhora para ter licença, estou certa?
 
Pergunto, mantendo minha expressão inalterada, mantendo também a educação e formalidade, coisas estranhas aconteceram com certa frequência ao meu redor. Pessoas morrendo e vultos estranhos são mais assustadores, embora eu confesse, mentalmente, de que concordo com algumas das histórias que ouvi. A mulher sabia se impor. Esse é o perfil de uma pessoa “normal”?
 
Angélica exige explicações, não entendo bem o que ela quer que seja explicado. Sou uma jovem qualquer que vai fazer o teste, como tantas outras. O que tem para ser explicado? Inclino a cabeça levemente para o lado, um pouco confusa, enquanto pergunto “O que necessita explicação?”.  Só depois de pronunciar tais palavras, que penso se foi boa ideia, não quero irritá-la. Quero me manter distante dela. Tenho medo de que ela me irrite e me faça reagir e, que depois disso, alguma tragédia ocorra. Esse temor vai me perseguir por mais algum tempo.
 
Ela ainda xingava a esbravejava, eu apenas observo inalterada, aguardando o término da “demonstração” de força pacientemente. É, talvez eu realmente fosse inexpressiva. Meowth subia em meu colo e logo acaricio sua cabeça, até finalmente receber uma tarefa.
 
Me ponho a pensar brevemente. Não sei o quão sincera devo ser nessa prova. A principio, é plano de minha família, mas não acredito que seja uma boa ideia colocar isso. Começo a escrever sem pensar muito.
 
Já fui para diversas cidades, mas não tive oportunidade de explorar. Não desejo fama, nem ficar conhecida, por isso não serei Stylist. Não desejo procurar por criminosos, nem tenho o que é preciso para ser uma cadete. Viajar pelo mundo sem um pokémon é arriscado, então por isso a escolha foi Gladiadora.
 
Termino um tanto rápido, tento ser breve e direta. Largo a caneta e volto a observar a capitã, com uma das mãos sobre a cabeça do felino que permanecia em meu colo.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Qua 26 Jun 2013, 09:30

O pequeno texto era concluído aos olhos do "Meowzinho" que descansava sobre o colo de Fleur, o movimento da caneta chama a atenção para a brincadeira e tenta, sem sucesso, segura-la com sua patinha. Angélica observa sem dizer palavra, mas sentia-se no ar a reprovação da chefe máxima da corporação policial que recaía sobre a candidata.

Rapidamente a mulher recolhe a folha, passando em seguida outra, esta estava cheia de questões, o primeiro bloco de perguntas, o teste propriamente dito.
Os animais sentiam-se pressionados pela autoridade de Angélica, estando desconfortáveis, ao mesmo tempo que pareciam querer ficar junto da garota, como se a apoiassem. Eles não entendem e nem sentem as terríveis coisas que aconteceram com aqueles que se aproximavam da garota? Os felinos são corajosos ou apenas ignoram esse fato?
O mesmo gatinho descia do colo da menina, tomando certa distância quando a capitã entrega a folha para Fleur.


Teste escreveu:

Questão 1:

Qual desses pokemons aprende no Lv. 50 um golpe em que o adversário é agarrado e elevado aos céus, sendo em seguida arremessado contra o solo?

( )Para onde vou? 430 ( )Para onde vou? 628 ( ) Para onde vou? 18( ) Para onde vou? 398( ) Para onde vou? 521
( ) Para onde vou? 581

Questão 2:

Qual desses grupos possui a probabilidade macho/ fêmea de 50/ 50 em todos os membros?

( ) Eneco - Hitomoshi - Hoho - Subame
( ) Monozu - Victini - Tamagetake - Agehunt
( ) Dokucale - Mamanbou - Fuachimaru - Abagoura
( ) Magmag - Cocoon - Kailios - Desukarn

Questão 3:

Dadas as seguintes entradas da Shinkidex:
1 - Dizem que ele vem tirar a alma de crianças que desobedecem seus pais;
2 - Ele se locomove girando seu corpo;
3 - Essa chama se torna o combustível de seu fogo interno.

O grupo a qual essas entradas pertence é:
( ) Shedjinja - Treecko - Chimchar
( ) Duskull - Baltoy - Litwick
( ) Hoothoot - Meowth - Pidgeot

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Qua 26 Jun 2013, 13:31

O pequeno felino parecia querer segurar a caneta, não tendo sucesso. Era como se fosse um filhote... Sorrio, simpatizei com o meowth, mas logo volto à expressão “vaga” de antes. Sem alegria, tristeza, raiva, apenas vazia. Sinto o olhar de Angélica sobre mim, algo de reprovação. Será que eu não podia me aproximar tanto dos felinos símbolos dos cadetes?

Não importa muito agora. Ela me passa outra folha, com algumas perguntas. O teste finalmente começou, posso ver por mim mesma o quão difíceis são. Testar-me até me anima, os criados diziam que eu era inteligente, vou poder ver se isso é verdade ou não. Embora ansiosa por dentro, vejo que persian e meowth se sentem desconfortáveis, o menor saindo do meu colo, mas não se afastavam, não iam embora.
São corajosos, reconheço, ou apenas inocentes demais para perceber. Fui mantida afastada de todos por um longo tempo, coisas ruins acontecem com quem eu gosto ou desgosto. Não consigo evitar um breve e discreto olhar para a janela. Tenho medo de o plano ter falhado e dos vultos ainda estarem atrás de mim, sendo que agora estou sozinha.


Volto a visualizar as questões, arqueando uma das sobrancelhas de leve. Não era terrível, como imaginei. A primeira questão só exigiu um pouco de memória

-Questão 1, a resposta correta é Braviary, que aprende no nível 50 o golpe denominado Sky Drop. Swanna, Unfezant, Staraptor e Honchkrow não aprendem nenhum golpe no nível pedido. O golpe que Pigeot aprende não causa o efeito solicitado.

Digo mais para mim mesma, enquanto marco a opção Braviary. O pokémon símbolo dos gladiadores, por se orgulhar de suas cicatrizes. Agora a segunda questão, é mais fácil que a primeira.

-A segunda questão. Primeira opção é eliminada logo pelo primeiro pokémon, que possui 75% fêmeas. A segunda opção é eliminada logo no segundo, por este pokémon não possuir gênero. Na terceira opção, o primeiro pokémon é 100% macho. Apenas a ultima opção apresenta pokémons cujas probabilidades são 50% machos e 50% fêmeas.

Novamente penso alto, marcando a opção que acredito ser a correta. Até me divirto com o teste, não é terrível como falaram. Só me falta uma pergunta para passar para a “segunda rodada”. A pergunta é fácil novamente.

-O pokémon ladrão de almas é Duskull. Baltoy só se locomove girando seu corpo. Litwick é o pokémon descrito na terceira entrada da pokédex. Segunda opção.

Marco a opção e largo a caneta, apenas aguardo alguma resposta da comandante. Pergunto-me se fui bem e como serão as próximas questões.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Seg 01 Jul 2013, 17:31

As questões eram entregues à examinadora, a mulher não está satisfeita com o bom desempenho da candidata.
Os gatos sentem a adrenalina da capitã que fervilhava e recuavam um tanto intimidados, preferiam ficar perto de Fleur cujo cheiro não demonstrava hostilidade. O Persian que a acompanhara até a sala permanecia um pouco mais à frente e próximo à capitã se deita deixando sua barriga à mostra, não era um pedido de carinho, é o modo felino de demonstrar submissão. Já o pequenino preferiu o esconderijo atrás da cadeira da jovem que permanecia calada, apenas aguardando as próximas perguntas.



Questão 4:

Houndour, um dos iniciais dos cadetes é um pokemon muito inteligente que, quando em meio selvagem se reúne em matilhas a fim de espreitar e capturar sua presa. Esse pokemon possui vários moves entre eles um em específico, que só funcionará se o adversário estiver usando os golpes Protect ou Detect. Que move é esse? Se trata de um que se aprende por Level Up ou é um Eggmove?

Questão 5:

Um cadete e um gladiador preparavam-se para batalhar. O cadete lança a pokeball, invocando o pokemon que domina combinações de golpes elegantes e o gladiador libera seu companheiro que com suas mandíbulas tem o hábito de morder qualquer coisa. No início da luta o gladiador ordena a seu pokemon que diminua a defesa do inimigo em um estágio e o policial manda seu pokemon usar a técnica que aumenta o ataque em um estágio. Que pokemons foram utilizados? E que golpes foram executados?

Questão 6:

Qual dos citados na questão 3 aprende um move que pode deixar o oponente com status paralyzis via Eggmove? E que move é esse?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Seg 01 Jul 2013, 19:07

Entreguei as respostas e aguardei alguma resposta. Esperei pra ver se ela diria se acertei ou errei, mas não ouve uma resposta sonora. Só posso notar que, pelo seu olhar, a senhora não estava satisfeita com meu desempenho. Eu fui tão mal assim? Embora, haja a possibilidade dela querer que eu não passe, desejar um desempenho bom apenas para aqueles que queiram, sonhem se tornar cadetes.

Não sei o que ela realmente espera de mim, com exceção é claro, que não faça nada ilegal. Que vá contra a lei. Isso não é problema, não quero chamar atenção mesmo, já sou perseguida. Não desejo problemas com cadetes. Estou acostumada a sempre exigirem muito de mim, me pergunto o quanto ela vai exigir...

Ambos os gatos parecem intimidados com alguma coisa, não sei bem o que, mas há algo hostil e mais capacitado que eles assustando. Seria a capitã? Talvez, mas não tenho certeza. O persian se deitava de barriga para o alto, submisso, já o meowth ficava atrás da cadeira que eu ocupava. Continuo em silencio, a expressão inalterada. Aguardo as novas perguntas, que são entregues.

Analiso e me ponho a pensar por alguns segundos. A quarta questão pedia um movimento especifico que um dos iniciais dos cadetes podia usar. Dava o efeito, pedia um nome e a forma aprendida. Relembro meus livros, respondendo, talvez um pouco robótica.

-O pokémon Houndour só terá o movimento solicitado por eggmove, ou seja, herdando de seus progenitores. O movimento em questão é conhecido como Feint, do tipo normal e poder base 50, accuracy é de 100. Pela Shinkidex, só funcionará se o adversário utilizar Protect ou Detect.

Agora era a vez da pergunta 5. Um pokémon elegante dos cadetes, um pokémon que gosta de morder dos gladiadores, mais seus golpes.

-Mienfoo, o pokémon inicial dos cadetes. Eles dominam combinações de golpes elegantes. Quando se concentram, seus movimentos de batalha se tornam mais rápidos e mais precisos, segundo a entrada da pokédex. O golpe que ele utilizou é o Meditate. O pokémon do gladiador é o crocodilo aquático Totodile, que tem o hábito de morder qualquer coisa com suas mandíbulas desenvolvidas. Até seu mestre deve ter cautela. O movimento que ele utilizou foi o Leer.

É... Talvez eu esteja lendo demais, mas adoro os livros. Por longos anos, foram meus maiores companheiros. Eram os únicos que eu podia me abrir, sem medo de alguma coisa acontecendo. Foco-me na ultima questão da “rodada”, teria que agora analisar os pokémons citados na terceira pergunta. Um golpe que deixe o oponente paralisado, sem ser por nível.

-Dos listados na terceira pergunta, que possam aprender algum golpe que seja herdado do pai, deixando o oponente nas condições solicitadas, tem o Chimchar. Esse pokémon pode aprender o movimento físico, do tipo elétrico, conhecido como Thunderpunch ou Soco Trovão. Poder base é 75, accuracy de 100. Há 10% de chances de o oponente ficar paralisado após receber esse ataque.

Termino de responder, mantendo a fala calma e sem demonstrar muita coisa. Aguardo alguma reação, alguma fala, qualquer coisa de Tompson.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Qua 10 Jul 2013, 20:53

A folha com as questões eram recolhidas pela capitã que as analisava atentamente. Fleur permanecia em silêncio enquanto aguardava alguma resposta e/ ou reação da parte da comandante. A mulher porém não emitia som ou resposta, algo que pudesse ser captado pelos ouvidos, somente uma espécie de aura emanava da regente de forma ameaçadora. Por que ela é assim? O que a transformou nesse ícone, nessa figura tão venerada, temida e amaldiçoada por tantos? Essas questões permanecem incógnitas, a única certeza que se tem é que tanto humanos quanto pokemons a obedecem sem pestanejar.

A mulher permanece mexendo em seus documentos, retirando mais uma de suas folhas, outra parte do teste. Os gatos perecem ainda incomodados com a presença e imponência de Angélica, até em seu modo de realizar pequenas tarefas a mulher esbanja autoridade.




Questão 7:

Fale o nome de 3 berrys que curam HP pokémon, o quanto elas recuperam e onde podem ser encontradas.

Questão 8:

Marque V para Verdadeiro e F para Falso nas sentenças abaixo. Justifique as falsas.

( ) Beautifly são encontrados na proporção de 50% machos e 50% fêmeas na natureza.
( ) Eevee possui diferentes formas evolutivas, dependendo somente a qual pedra evolutiva ele será exposto.
( ) Magikarp e Lapras são os pokémons mais raros de se encontrar em Arima.
( ) Electabuzz atingi seu estágio evolutivo final no nível 60.

Questão 9:

Cite 2 pokémon da cadeia evolutiva dos iniciais dos gladiadores que aprendam o golpe Hammer Arm e em que nível aprendem essa técnica, seu power e accuarcy.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Qua 10 Jul 2013, 21:56


O Teste Continua...

A folha com as respostas foi rapidamente recolhida pela capitã que realizava o teste. Continuo em silencio, apenas observando. Não tenho nada para comentar mesmo... Angélica parece preferir o silencio também, não emitindo um único som. Ela é um pouco... Estranha. Não ouso dizer isso em voz alta, sei que isso não terminaria muito bem...


A mulher pega mais uma folha, com mais três perguntas. Estou começando a ficar um pouco entediada, sentindo saudades dos meus livros. Os felinos continuam assustados, com medo da comandante. Pensei que ela gostasse deles... Afinal, eram o símbolo da organização policial, pensei que a mulher fosse mais amena com eles.


Bem, isso não me importa agora, tenho que me focar nas perguntas. Tenho que me lembrar de três frutas que possam recuperar energia. Essa parte é fácil. Tenho que também dizer onde se encontram. Essa parte é mais chata.

-Primeira Berry: Lapapa Berry - Recupera 15% de HP, deixa Pokémon confuso. Encontrada na rota 4, 7, 12, 24, 25, Seimei Forest, Arima, Holy Garden.
-Segunda Berry: Oran Berry - Recupera 10% HP. Encontrada na Holy Garden, Arima, Mitsue Garden, Seimei Forest, rota 25, 24, 11, 7, 2, 1.
-Terceira Berry: Sitrus Berry - Recupera 25% de HP. Encontrada na Holy Garden, Arima, Mitsue Garden, rota 25, 24, 12, 11.


Termino de responder, esperando não ter errado. Essas frutas aparecem em diversos lugares, é complicado dizer com precisão cada um... Pelo menos, uma a menos, agora a questão oito, sendo mais fácil que a anterior.

(F ) Beautifly são encontrados na proporção de 50% machos e 50% fêmeas na natureza. – É uma espécie composta apenas por fêmeas.
(V) Eevee possui diferentes formas evolutivas, dependendo somente a qual pedra evolutiva ele será exposto. – Eevee evolui apenas com as pedras evolutivas.
(V) Magikarp e Lapras são os pokémons mais raros de se encontrar em Arima. – São os mais raros, tendo apenas 5% de chances de encontrar cada um.
(V) Electabuzz atingi seu estágio evolutivo final no nível 60.


Questão pronta, acredito que esteja correta. Não é a mais complexa que já foi mandada. A ultima questão, pelo menos, da “rodada”. Dois monstrinhos que aprendem esse ataque, nível e informações do próprio golpe, vejamos...

-Hammer Arm, um ataque físico do tipo lutador, poder base é 100 e a accuracy base 90. Infelizmente, reduz a velocidade do usuário em um nível. Os Pokémon que aprendem este movimento são Swampert no nível 69 e o Emboar, no nível 1 ou inicial.


Termino de responder e entrego a folha para a comandante. Pergunto-me se falta muito... Quero meus livros, são mais divertidos...


Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Qui 11 Jul 2013, 00:25

Os felinos se arrepiavam, Persian rosnava bem baixinho enquanto aproxima-se da porta, totalmente acuado enquanto o "Meowzinho" havia simplesmente sumido. A cadete confere as folhas, as questões de Fleur, lendo e relendo várias vezes, em silêncio. Passam-se minutos e nada da capitã dizer algo, antes era possível um palpite com base em sua expressão facial, mas agora nada, ela passa anotando sabe-se lá o que em suas folhas, numa rotina que parece não ter fim. Fleur apenas espera, sem também nenhuma expressão.

Embora a capitã não mais demonstrasse algo com seu rosto, os felinos sentiam-se nervosos com ela, toda aquela aura tornava o ambiente por demais pesado e e os gatos sabiam disso, pois podiam sentir a ameaça. Talvez toda essa hostilidade fosse necessária para assegurar seu posto na corporação.
Após muitas e muitas anotações um telefonema é dado, logo em seguida alguém bate à porta e entra na sala, não antes de prestar continência para a mulher. Um cadete que aparentava ter mais de sessenta anos, e uma expressão senil e excêntrica, um tanto louca.


Para onde vou? KingBumi21


As únicas palavras ditas por Angélica naquele momento:
-Tire-a daqui, ela foi aprovada! Aquele velho era tão estranho que, ao entrar na sala, como um vento, os gatos fogem desesperados. -CHECHECHECHECHE!!! Venha, linda menina, vou te mostrar uma coisa muito legal!! CHECHECHE!! O velho segura Fleur pelo braço, puxando-a e levando para a última sala do corredor, o ambulatório, onde fará a sua tatoo. O velho chegava perto, tão perto que era possível contar os poucos dentes inteiros que ele possuía. -Onde quer sua marca, linda menina?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Qui 11 Jul 2013, 00:47


O Teste Terminou! E Agora?...

Continuo em silencio, como sempre, observando enquanto Angélica fazia algumas anotações e dando um rápido telefonema. Pergunto-me o motivo daquilo, mas logo minha curiosidade é saciada com a chegada de um... Cadete? Provavelmente sim, mas era muito velho, já devia ter se aposentado provavelmente.


A idade avançada não era o mais estranho, mas sim sua estranha expressão facial. Fazia-me duvidar de sua sanidade mental, como se possuísse algum problema psicológico... Não posso reclamar mesmo, aguentar aquilo mais um pouco e talvez teria meu Pokémon.


Ouvir que fui aprovada no teste fez um esboço rápido de um sorriso surgir em minha face, mas não durou mais do que poucos segundos. A presença do idoso pareceu assustar os gatos, que fugiram aparentemente em pânico. Isso parecia um sinal preocupante.


Não tive muito tempo para falar ou agir, nem de perguntar quais questões errei, o idoso já me segurava pelo braço e puxava. O acompanhava pelo corredor, chegando à sala onde marcaria meu corpo. Ele chegava perto demais, inclino meu corpo para trás para tomar distância. Não é bom que cheguem perto de mim.


Devo me focar onde iria fazer a tatuagem. Tiro a jaqueta e toco na área de trás do ombro.

-Aqui...


Respondo e aguardo inexpressiva. Meus pais provavelmente não aprovariam aquilo, ou escolheriam um local que raramente fosse visto. Talvez depois de passar pelo cadete de idade avançada, pudesse escolher meu Pokémon, ou teria que fazer algo a mais? Só aguardando o desenrolar dos acontecimentos pra saber...


Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Qui 11 Jul 2013, 21:45

O estranho e senil cadete puxava a candidata recém aprovada como um troglodita, arrastando-a sem a mínima delicadeza. Os dois entram na referida sala, o ambulatório e Fleur é arremessada contra a cadeira. O velhote pergunta onde quer que seja feita a "marca", o modo como ele se refere às tatuagens. Para ele, o ser humano é como gado e portanto deve ser marcado para apontar quem é seu dono. Os dois felinos, que a acompanharam até momentos antes dele aparecer haviam sumido, não ficando sequer para espiar, talvez tenham sentido a mesquinhez desse homem.

O cadete chegava perto demais, conversando com Fleur, falando sobre outros candidatos e suas peles macias, e outras nem tanto. O assunto em si era tão podre quanto os dentes dele.A experiência era sem dúvida tão ou mais traumática que o encontro com a própria Thompson. O velho conseguia ser irritante e repugnante ao mesmo tempo. Difícil de admitir era o fato que o homem tem talento, os detalhes e contornos da figura do brasão dos gladiadores era cuidadosamente entalhado na pele clara da jovem Delacour com grande destreza.

Minutos se passaram, pareciam horas, A menina ganhara uma tatuagem muito bem feita, acompanhada de uma dor esmagadora no local, consideração para com o próximo é um dom, algo que aquele homem não recebera com certeza. A jovem caminhava, mão posta na proximidade da tattoo, caminhava lentamente para o térreo, rumo ao laboratório, hora de escolher o inicial.


Última edição por Cerberus em Sex 12 Jul 2013, 09:21, editado 2 vez(es)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Qui 11 Jul 2013, 22:14


Buscando meu Cyndaquil

O estranho cadete não era nem um pouco delicado. Não gostei da sensação de ser puxava por ele, apesar do termo “arrastada” ser melhor para descrever a forma como fui guiada por ele. Fui praticamente arremessada na cadeira, ficando em silencio enquanto a tatuagem era feita. Ou marca, como o idoso chamava. Não vejo sinal dos felinos, o que me deixa um pouco cabisbaixa, embora não demonstre. Eu tinha gostado da companhia deles. Queria sentir mais a textura daquele pelo macio, mas só aquele contato já foi mais do que eu tive em muito anos, talvez fosse bom não pedir demais.


O cadete chegava perto demais, não gosto da sensação. Ele só fala sobre as peles dos outros candidatos. Não sei o quão boa é minha pele, nunca me importei muito, mas algumas criadas me ajudavam nesse tipo de cuidado mesmo que eu estivesse desinteressada...


A conversa pouco interessante e o próprio senhor me fazia preferir Angélica. Pelo menos ela testa meu conhecimento. Os minutos pareciam tão lentos... A tatuagem era bem feita, mas a dor era desagradável. O sofrimento chegava ao fim, posso ir para o laboratório escolher meu Pokémon. Já tenho um em mente... Um Cyndaquil, essa seria minha escolha...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Qui 11 Jul 2013, 23:31

A dor da marca persistia em seu corpo, enquanto a menina descia a escadaria que dava para o andar térreo, o laboratório fica localizado nos fundos, a última sala do andar, possuindo acesso a um jardim interno.

O ambiente naquele dia estava bem organizado, os documentos, itens e pokebolas foram dispostos sobre as prateleiras obedecendo distâncias pre-definidas. O silêncio do recinto lembrava uma grande biblioteca, talvez a jovem Fleur pudesse se sentir melhor nesse lugar do que no restante da academia. Delacour é recebida por uma simpática figura: Trata-se da doutora responsável pela entrega dos iniciais.

Para onde vou? Images?q=tbn:ANd9GcQAG_7BitWkasYo66lmkvj24ihShv2MzrV87ScwyLHiaw9y_OX1tg

-Olá srta. Fleur, parabéns pela aprovação! Venha comigo, vou apresentar as opções de inicial que você tem. Hahahahahaha!

A sorridente doutora leva a gladiadora até uma mesa onde estão dispostas quinze pokeball, distribuídas nos grupos: Fogo, água e grama, cinco grupos cada. Os monstrinhos estavam guardados, pois recém haviam chegado à academia.
Os bichinhos estavam ansiosos para sair e explorar o ambiente novo que os rodeia. Mas uma pokebola era especial. Ela continha um monstrinho com um temperamento bem particular. O aparelho esférico balançava com veemência, fumegando enquanto balançava de um lado para outro.

-Esse é um Cyndaquil um tanto temperamental, como chegaram hoje, não tenho certeza de como será seu comportamento. Quer tentar?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Qui 11 Jul 2013, 23:52


Buscando meu Cyndaquil

A dor ainda persiste. Acabo por franzir de leve a fronte, respiro fundo, em breve deveria passar. Não imaginava que a tatuagem ficaria tão dolorida, ou talvez fosse a falta de delicadeza do senhor. Provavelmente fosse a junção das duas possibilidades, não sei, a única coisa que sei é a que não pretendo passar por aquela sala de novo.


O som dos meus passos enquanto me dirijo para a área me distrai. A última sala se mostrava organizada, com os itens e pokébolas em seus devidos lugares nas prateleiras. O silencio fazia parecer uma grande biblioteca, o que me faz me sentir mais a vontade ali, do que nos outros locais da academia. Um esboço de um sorriso surgia na face.


Olho para a responsável pelo local. Ao contrario dos outros, é simpática. Ela era muito sorridente, me desejando parabéns. Digo simplesmente “obrigada” com um meio sorriso, enquanto a sigo até a mesa onde estavam os seres enigmáticos. Parecia que haviam chegado faz pouco tempo, ainda guardados em suas capsulas.


Uma das esferas balançava, fumegando. Logo a mulher me informava que era um cyndaquil mais temperamental. Não sabia dizer como reagiria. Talvez fosse tão curioso como eu. Fico curiosa sobre ele.

-Sim, quero tentar.


Respondo, acredito que ansiosa. Quero conhecer sobre aquele pequeno ser. Como será viajar com ele?

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Cerberus em Seg 15 Jul 2013, 00:19

A pokeball balançava de form a nervosa, fumegando e brilhando enquanto as demais permaneciam imóveis. A jovem gladiadora resolve arriscar, mesmo com as recomendações da doutora, que resolve entregar uma luva para ela.
-Acho melhor você levar isto. para o caso a pokebola superaqueça. Como eu já disse, ele chegou agora com os outros e não posso te dar recomendações melhores quanto ao temperamento salvo aquilo que vimos até agora. Boa sorte!!

Dizia a doutora com um sorriso entregando a luva para Fleur. A esfera ainda balançava e fumegava de vez em quando. Ela se despede de Fleur com seu sorriso costumeiro. A moça não tivera oportunidade de reencontrar os gatos que a acompanharam por todo o teste para se despedir deles, aquele velho os afugentara, mas ganhou um amigo bem incomum, resta para a jovem iniciante descobrir na prática as manias de seu novo amigo nas ruas da capital que agora, livre, poderá explorar.


Você recebeu
Para onde vou? 76-1
Cindaquil
Sexo: Macho
Lv. 05
Trait. Blaze



Tópico encerrado. Narre sua saída da academia e o próximo post deverá ser em um novo tópico em Ruas de Nyender

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Fleur Delacour em Seg 15 Jul 2013, 00:42


O Fim da Solidão...

A esfera continuava balançando sem parar, parecia que o Pokémon que estava ali queria sair logo. Esquentava a capsula e sua vontade de sair a fazia brilhar. Era arriscado, mas eu não conseguia não parar de olhar para aquela esfera. Eu o que queria, apesar das recomendações da doutora que me entregava uma luva.


A observo, um pouco confusa, mas logo recebo a explicação. A esfera podia se superaquecer então... O temperamento dele deve ser difícil. Coloco a nova peça de roupa, sorrindo levemente para a mulher. A esfera ainda balançando e fumegando, mas em minhas mãos. Me despeço da doutora e me retiro da sala.


Meus olhos buscam pelos felinos de antes, mas não parecem estar por perto. Uma pena. Observo a esfera bicolor, um ser misterioso e incomum. Teria que aprender sobre ele, não podendo depender de livros para me auxiliar na tarefa. Finalmente saio pelas portas da Academia e observo a rua, respirando fundo e aliviada. Não estava mais sozinha...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Para onde vou? Empty Re: Para onde vou?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum